Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Motorista saca R$ 2 mil na Marechal e é morto


Fabiana Chiachiri
Do Diário do Grande ABC

25/01/2006 | 08:11


O motorista Sandro Wilson Sampaio de Souza, 34 anos, foi morto com um tiro na cabeça no fim da manhã de ontem, em São Bernardo, depois de deixar a CEF (Caixa Econômica Federal), na rua Marechal Deodoro, onde havia sacado R$ 2 mil. A vítima estava acompanhada de sua mãe e da filha de 6 anos. Após balear o motorista, dois homens fugiram sem levar nada. Horas depois, policiais civis encontraram a arma utilizada no crime na esquina da avenida Faria Lima com a rua Doutor Fláquer, a poucos metros do estacionamento.

O crime aconteceu às 11h50. De acordo com testemunhas que pediram para não ser identificadas, dois homens abordaram a mãe do motorista, a dona-de-casa S.S., 54 anos, quando ela chegava no estacionamento. “O rapaz (Souza) estava pagando o estacionamento, quando ouviu a mãe gritar. Voltou para ver o que estava acontecendo e os bandidos atiraram”, disse um funcionário do estacionamento.

Policiais do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) estavam passando pela rua Marechal Deodoro quando foram avisados por populares de que uma pessoa havia sido baleada e de que dois homens jogaram um objeto na esquina da rua Doutor Fláquer com a avenida Brigadeiro Faria Lima. No fim da tarde de ontem, policiais da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) prenderam três pessoas na favela do DER. Os suspeitos foram levados para o 1º Distrito Policial, onde o caso foi registrado como latrocínio (roubo seguido de morte), mas testemunhas não os reconheceram.

De acordo com a Polícia Militar, a área comercial da rua Marechal Deodoro e da avenida Brigadeiro Faria Lima – e arredores – são as mais críticas de São Bernardo, registrando um grande números de roubos com uso de arma de fogo. Isso se dá pelo fato de existir muitas vielas e galerias nessa região, o que facilitam a ação dos assaltantes.

Família – Parentes e amigos de Souza não se conformavam com o crime. Muitos foram até o PS Central, onde a vítima foi socorrida, oferecer consolo à mãe e à mulher do motorista. “Ele (Souza) era muito querido no bairro. Fomos criados juntos. Não tinha uma pessoa que não gostasse dele. Adorava jogar bola com a molecada na rua”, disse o autônomo Adriano Ruiz, 32 anos.

“Não acredito no que aconteceu com o meu sobrinho. Minha irmã (mãe da vítima) está inconsolável. A todo momento ela diz que poderia ter sido ela. O pior de tudo é ver a filha do Sandro dizendo ‘machucaram meu pai, ele está cheio de sangue‘. Como vamos fazer com a cabeça dessa criança?”, questionava uma das tias do motorista.

De acordo com um irmão da vítima, que pediu para não ser identificado, Souza havia sacado R$ 2 mil para acertar a documentação do veículo. “Ele saiu do banco e iria até o Poupatempo para pagar licenciamento e impostos do carro”, disse.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;