Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Verão brilhante


Andréia Meneguete
Do Diário do Grande ABC

13/12/2009 | 07:16


Se a ideia de moda durante as festas de fim de ano é brilhar, estilistas e lojas dão todos os argumentos para que você use o paetê como aviamento obrigatório no dress code das noites de Natal e Réveillon.

As pastilhas metalizadas ganham tamanhos e cores diferenciadas e foram coqueluche nos últimos desfiles da temporada de verão 2010. Mas não pense que estes pontos de luz são uma tendência inovadora no cenário fashion.

Na verdade, o apetrecho foi popularizado por mademoiselle Chanel, nos anos 1920, quando a estilista procurava uma forma de engrandecer os vestidos de noite, que ganharam versão mini e ficaram longe das tantas camadas de babados e saiotes, sem limitar o movimento da mulher. Depois disso, o paetê virou sinônimo de luxo e item obrigatório entre as peças do guarda-roupa feminino. "Antigamente, os ciganos e indianos conseguiam obter o brilho na roupa por meio de pedras preciosas. Passada esta época, o resultado foi conseguido por materiais que imitam ouro", revela a professora de Moda da Faculdade Santa Marcelina Miti Shitara. Mas foi na fase de ouro do cinema, em 1930, após a quebra da Bolsa, que o paetê ganhou força no closet feminino, por agregar glamour ao figurino sem ter que gastar muito. "Foi uma época de pouco investimento por parte das mulheres no que se referia ao consumo. Logo, elas acharam uma forma de suavizar a dificuldade do dia a dia com a sofisticação aparente proporcionada pelos paetês", explica Miti.

Já nos anos 1970 e 1980, o paetê chega ao som de disco, numa versão mais balada, usado pelos jovens da época para dançar.

ATUALIDADE FASHION
Os pequenos e luminosos enfeites não são mais privilégio de grandes ocasiões, como nos anos de 1940, quando eram usados somente em festas de gala.

E graças às diferentes formas e possibilidades de utilização, o brilho invade as ruas durante o dia e as festas à noite, levando charme às produções.

Para a consultora de imagem Ana Pasternak, de São Paulo, é ideal que haja um equilíbrio entre a roupa com paetês e os acessórios que vão compor o look. "Os sapatos devem ser lisos e feitos com uma matéria-prima que não carregue demais a composição e deixe o resultado comprometido ", sugere a especialista em moda.

E a sensação brilhante do momento não fica restrita somente às roupas, os badalados aviamentos chegam também aos sapatos e bolsas, com a proposta de manter o luxo dos pés à cabeça. Então não se assuste se vir os paetês até mesmo em tiaras e faixas de cabelo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Verão brilhante

Andréia Meneguete
Do Diário do Grande ABC

13/12/2009 | 07:16


Se a ideia de moda durante as festas de fim de ano é brilhar, estilistas e lojas dão todos os argumentos para que você use o paetê como aviamento obrigatório no dress code das noites de Natal e Réveillon.

As pastilhas metalizadas ganham tamanhos e cores diferenciadas e foram coqueluche nos últimos desfiles da temporada de verão 2010. Mas não pense que estes pontos de luz são uma tendência inovadora no cenário fashion.

Na verdade, o apetrecho foi popularizado por mademoiselle Chanel, nos anos 1920, quando a estilista procurava uma forma de engrandecer os vestidos de noite, que ganharam versão mini e ficaram longe das tantas camadas de babados e saiotes, sem limitar o movimento da mulher. Depois disso, o paetê virou sinônimo de luxo e item obrigatório entre as peças do guarda-roupa feminino. "Antigamente, os ciganos e indianos conseguiam obter o brilho na roupa por meio de pedras preciosas. Passada esta época, o resultado foi conseguido por materiais que imitam ouro", revela a professora de Moda da Faculdade Santa Marcelina Miti Shitara. Mas foi na fase de ouro do cinema, em 1930, após a quebra da Bolsa, que o paetê ganhou força no closet feminino, por agregar glamour ao figurino sem ter que gastar muito. "Foi uma época de pouco investimento por parte das mulheres no que se referia ao consumo. Logo, elas acharam uma forma de suavizar a dificuldade do dia a dia com a sofisticação aparente proporcionada pelos paetês", explica Miti.

Já nos anos 1970 e 1980, o paetê chega ao som de disco, numa versão mais balada, usado pelos jovens da época para dançar.

ATUALIDADE FASHION
Os pequenos e luminosos enfeites não são mais privilégio de grandes ocasiões, como nos anos de 1940, quando eram usados somente em festas de gala.

E graças às diferentes formas e possibilidades de utilização, o brilho invade as ruas durante o dia e as festas à noite, levando charme às produções.

Para a consultora de imagem Ana Pasternak, de São Paulo, é ideal que haja um equilíbrio entre a roupa com paetês e os acessórios que vão compor o look. "Os sapatos devem ser lisos e feitos com uma matéria-prima que não carregue demais a composição e deixe o resultado comprometido ", sugere a especialista em moda.

E a sensação brilhante do momento não fica restrita somente às roupas, os badalados aviamentos chegam também aos sapatos e bolsas, com a proposta de manter o luxo dos pés à cabeça. Então não se assuste se vir os paetês até mesmo em tiaras e faixas de cabelo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;