Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Velório do Cemitério Carminha é reaberto após três anos de obra

Equipamento municipal voltou a receber cerimônias na manhã de ontem; ato ecumênico inaugurou capela


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

21/05/2017 | 07:00


 Ato ecumênico inaugurou, na manhã de ontem, a capela do velório municipal do Cemitério dos Casa, na Vila Carminha, em São Bernardo. O equipamento foi finalmente reaberto para as celebrações após três anos de obras para ampliação e revitalização.

As intervenções tiveram início em 2014 e deveriam ter sido concluídas no prazo de dez meses, no entanto, histórico de problemas em relação à empresa responsável pelos serviços somente foi solucionado agora, explica o prefeito Orlando Morando (PSDB). “A administração anterior fez a obra e chegou a reinaugurar o cemitério no ano passado, porém, faltava concluir o forro e as ligações de água e energia elétrica. Negociamos com a (AES) Eletropaulo e pagamos a taxa para reabrir o velório”, diz.

A finalização da obra não resultou em custo extra para a Prefeitura, ressalta Morando. “Exigimos que a própria empresa (Flasa Engenharia) concluísse o serviço faltante”, observa. A intervenção completa aumentou de cinco para seis o número de salas de velório e reformou os banheiros.

O contrato com a Flasa Engenharia, no valor de R$ 2 milhões, foi firmado em meados de 2016 ainda pela gestão Luiz Marinho (PT), e inclui a conclusão da reforma e ampliação das salas de velório do Cemitério da Pauliceia – também iniciada em 2014 com prazo de dez meses. A empresa substituiu a Provence Construtora Ltda, a qual abandonou os serviços com 70% da execução do projeto realizado e após ter recebido R$ 3,6 milhões dos cofres públicos.

“Até agora, a cidade contava apenas com os velórios públicos da Vila Euclides e do Baeta (Neves) em funcionamento. Em junho, faremos a entrega do Cemitério da Pauliceia”, garante o prefeito. Neste caso, além da reforma dos sanitários, passará de quatro para oito a quantidade de salas de velório.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Velório do Cemitério Carminha é reaberto após três anos de obra

Equipamento municipal voltou a receber cerimônias na manhã de ontem; ato ecumênico inaugurou capela

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

21/05/2017 | 07:00


 Ato ecumênico inaugurou, na manhã de ontem, a capela do velório municipal do Cemitério dos Casa, na Vila Carminha, em São Bernardo. O equipamento foi finalmente reaberto para as celebrações após três anos de obras para ampliação e revitalização.

As intervenções tiveram início em 2014 e deveriam ter sido concluídas no prazo de dez meses, no entanto, histórico de problemas em relação à empresa responsável pelos serviços somente foi solucionado agora, explica o prefeito Orlando Morando (PSDB). “A administração anterior fez a obra e chegou a reinaugurar o cemitério no ano passado, porém, faltava concluir o forro e as ligações de água e energia elétrica. Negociamos com a (AES) Eletropaulo e pagamos a taxa para reabrir o velório”, diz.

A finalização da obra não resultou em custo extra para a Prefeitura, ressalta Morando. “Exigimos que a própria empresa (Flasa Engenharia) concluísse o serviço faltante”, observa. A intervenção completa aumentou de cinco para seis o número de salas de velório e reformou os banheiros.

O contrato com a Flasa Engenharia, no valor de R$ 2 milhões, foi firmado em meados de 2016 ainda pela gestão Luiz Marinho (PT), e inclui a conclusão da reforma e ampliação das salas de velório do Cemitério da Pauliceia – também iniciada em 2014 com prazo de dez meses. A empresa substituiu a Provence Construtora Ltda, a qual abandonou os serviços com 70% da execução do projeto realizado e após ter recebido R$ 3,6 milhões dos cofres públicos.

“Até agora, a cidade contava apenas com os velórios públicos da Vila Euclides e do Baeta (Neves) em funcionamento. Em junho, faremos a entrega do Cemitério da Pauliceia”, garante o prefeito. Neste caso, além da reforma dos sanitários, passará de quatro para oito a quantidade de salas de velório.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;