Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

'Sucessor' de Nalbert será submetido a cirurgia cardíaca na sexta


Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

01/06/2005 | 08:30


O jogador Roberto Minuzzi, 23 anos, atacante do Minas e da Seleção Brasileira, será operado na sexta-feira, em São Paulo, para corrigir uma dilatação na aorta (maior artéria do corpo humano). A intervenção servirá para a colocação de um tubo na artéria, por meio de um cateter. Por este motivo, o atleta ficará afastado da equipe e voltará às quadras somente em 2006. Devido à doença de Minuzzi, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) vai poder inscrever outro jogador na Liga Mundial sem pagar multa.

O atacante, que foi apontado por Nalbert como seu sucessor na seleção, será operado pelo médico José Pedro Silva, o mesmo que realizou uma intervenção cirúrgica no presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Carlos Arthur Nuzman. O problema foi detectado há dez dias em um exame de ecocardiograma, no Centro de Treinamento de Saquarema (RJ). Foi constatado que Minuzzi tem um aneurisma na parte restrita da aorta ascendente. A doença foi estudada numa angioressonância, que confirmou a dilatação. Normalmente, a aorta tem 3 cm, e a principal artéria do corpo de Minuzzi tem 4,8 cm.

"Em qualquer cirurgia existe risco. Mas no caso de Minuzzi é muito baixo. Se a dilatação não fosse corrigida, ele poderia morrer em quadra. A hemorragia é irreversível", explicou o cardiologista da CBV, João Olyntho, na coletiva realizada nesta terça-feira no Rio. Segundo Olyntho, a expectativa é de que o atleta volte a jogar no mesmo nível ou até melhor. Ele disse que 75% das pessoas que sofrem da doença são idosas e as demais têm predisposição genética.

"Os exames salvaram minha vida. Foi um achado. Quem pensou que eu chegaria aqui cabisbaixo e depressivo, se enganou. Tive uma semana tranqüila", revelou o jogador, eleito o melhor atacante da Superliga, que ficou assustado ao saber da doença. O atacante não tinha viajado com a seleção para as duas vitórias sobre a Venezuela no último final de semana, em Caracas.

Feminino - A seleção inicia nesta quarta-feira o ciclo olímpico com nova cara. O time comandado pelo técnico José Roberto Guimarães encara a Alemanha na estréia do Torneio de Coumayer, na Itália. A partida terá transmissão da ESPN Internacional, às 13h30 (horário de Brasília). Após esta competição, o Brasil participará de outro torneio, o Montreux Volley Masters, de 7 a 12 deste mês, na Suíça. Os campeonatos servem de preparação para o Grand Prix, que vai do próximo dia 24 a 18 de julho, na Ásia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Sucessor' de Nalbert será submetido a cirurgia cardíaca na sexta

Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

01/06/2005 | 08:30


O jogador Roberto Minuzzi, 23 anos, atacante do Minas e da Seleção Brasileira, será operado na sexta-feira, em São Paulo, para corrigir uma dilatação na aorta (maior artéria do corpo humano). A intervenção servirá para a colocação de um tubo na artéria, por meio de um cateter. Por este motivo, o atleta ficará afastado da equipe e voltará às quadras somente em 2006. Devido à doença de Minuzzi, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) vai poder inscrever outro jogador na Liga Mundial sem pagar multa.

O atacante, que foi apontado por Nalbert como seu sucessor na seleção, será operado pelo médico José Pedro Silva, o mesmo que realizou uma intervenção cirúrgica no presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Carlos Arthur Nuzman. O problema foi detectado há dez dias em um exame de ecocardiograma, no Centro de Treinamento de Saquarema (RJ). Foi constatado que Minuzzi tem um aneurisma na parte restrita da aorta ascendente. A doença foi estudada numa angioressonância, que confirmou a dilatação. Normalmente, a aorta tem 3 cm, e a principal artéria do corpo de Minuzzi tem 4,8 cm.

"Em qualquer cirurgia existe risco. Mas no caso de Minuzzi é muito baixo. Se a dilatação não fosse corrigida, ele poderia morrer em quadra. A hemorragia é irreversível", explicou o cardiologista da CBV, João Olyntho, na coletiva realizada nesta terça-feira no Rio. Segundo Olyntho, a expectativa é de que o atleta volte a jogar no mesmo nível ou até melhor. Ele disse que 75% das pessoas que sofrem da doença são idosas e as demais têm predisposição genética.

"Os exames salvaram minha vida. Foi um achado. Quem pensou que eu chegaria aqui cabisbaixo e depressivo, se enganou. Tive uma semana tranqüila", revelou o jogador, eleito o melhor atacante da Superliga, que ficou assustado ao saber da doença. O atacante não tinha viajado com a seleção para as duas vitórias sobre a Venezuela no último final de semana, em Caracas.

Feminino - A seleção inicia nesta quarta-feira o ciclo olímpico com nova cara. O time comandado pelo técnico José Roberto Guimarães encara a Alemanha na estréia do Torneio de Coumayer, na Itália. A partida terá transmissão da ESPN Internacional, às 13h30 (horário de Brasília). Após esta competição, o Brasil participará de outro torneio, o Montreux Volley Masters, de 7 a 12 deste mês, na Suíça. Os campeonatos servem de preparação para o Grand Prix, que vai do próximo dia 24 a 18 de julho, na Ásia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;