Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 22 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Marina: eleições de 2014 é que tiveram problema de legitimidade, não essa



11/09/2018 | 13:57


A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, assim como já fizeram outros candidatos, discordou de declarações dadas ao jornal O Estado de S. Paulo pelo comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que lamentou o clima de radicalismo no País e afirmou que "a legitimidade do novo governo pode até ser questionada".

Segundo Marina, a legitimidade é dada pelo eleitor e todos os candidatos que estão na disputa, principalmente depois que a Justiça impediu a candidatura do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, estão dentro da legalidade para disputar o cargo.

"Quem dá legitimidade é o eleitor, é o cidadão. Todos os candidatos que estão participando estão dentro das regras", disse durante sabatina do jornal O Globo, afirmando que em 2014 houve um problema de legitimidade muito maior. "Vejo um problema de legitimidade muito maior nas eleições de 2014. O PT e o PSDB usaram dinheiro de caixa 2, o que é crime. Se eu ganhar vou criminalizar o caixa 2", comentou.

Na mesma entrevista, Marina também rebateu declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de que faltaria "malignidade" na candidatura da ex-petista. "Tem que virar essa página de que para governar precisa de malignidade, precisamos de dignidade", disse Marina.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Marina: eleições de 2014 é que tiveram problema de legitimidade, não essa


11/09/2018 | 13:57


A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, assim como já fizeram outros candidatos, discordou de declarações dadas ao jornal O Estado de S. Paulo pelo comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que lamentou o clima de radicalismo no País e afirmou que "a legitimidade do novo governo pode até ser questionada".

Segundo Marina, a legitimidade é dada pelo eleitor e todos os candidatos que estão na disputa, principalmente depois que a Justiça impediu a candidatura do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, estão dentro da legalidade para disputar o cargo.

"Quem dá legitimidade é o eleitor, é o cidadão. Todos os candidatos que estão participando estão dentro das regras", disse durante sabatina do jornal O Globo, afirmando que em 2014 houve um problema de legitimidade muito maior. "Vejo um problema de legitimidade muito maior nas eleições de 2014. O PT e o PSDB usaram dinheiro de caixa 2, o que é crime. Se eu ganhar vou criminalizar o caixa 2", comentou.

Na mesma entrevista, Marina também rebateu declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de que faltaria "malignidade" na candidatura da ex-petista. "Tem que virar essa página de que para governar precisa de malignidade, precisamos de dignidade", disse Marina.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;