Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 24 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Eleições de 2018: Veja as regras de postagem na internet

Marcella Blass

28/08/2018 | 17:18


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou uma cartilha para esclarecer dúvidas a respeito da propaganda na internet durante as eleições de 2018. Mais do que ajudar os candidatos e os comunicadores digitais, o documento também vai nortear o eleitor a respeito de quais candidatos estão promovendo suas campanhas dentro da lei.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Pode ou não pode?

Desde o dia 16 de agosto, os candidatos podem manter plataformas online e sites próprios, do partido ou da coligação. O uso de redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter também é permitido. Mas há uma série de regras a respeito.

A promoção de campanhas nas redes sociais está liberada desde que feita por meio das próprias plataformas de mídia — como exige a Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997). Contratar ferramentas de busca, como o Google AdWords, para aparecer bem posicionado nos resultados de pesquisa também é permitido.

Ao fazer uma publicação paga no Facebook, Instagram ou Twitter o candidato deve deixar claro que que se trata de um conteúdo patrocinado. Ainda nesse contexto, é preciso incluir todos os valores investidos em impulsionamento nos gastos eleitorais. Números que depois devem ser declarados à Justiça Eleitoral na prestação de contas da campanha, como já é feito com as ações de marketing.

Só conteúdo real

Vale lembrar as publicações impulsionadas não podem trazer conteúdo para denegrir a imagem dos outros candidatos. A estratégia já foi usada em outras eleições e ganhou o nome de “desconstrução de candidato”. Então, se você ver algo do tipo, denuncie.

Com as fake news e os perfis falsos a todo vapor nas redes sociais, a cartilha também proíbe a criação dessas páginas com informações de pessoas irreais. Na mesma pegada, não é permitido usar robôs para controlar contas e replicar postagens favoráveis aos candidatos.

Você pode conferir a cartilha completa do Tribunal Superior Eleitoral aqui.

Leia mais: 
Não sabe em quem votar? Plataformas apontam candidatos com quem você dá mais “match”
Plataforma de mobilização colaborativa ajuda a combater as Fake News

Já o que está mais que liberado na internet são os memes. No clima de eleições presidenciais, vale voltar no tempo para relembrar as melhores montagens com a foto oficial de Michel Temer, divulgada em janeiro de 2017:

 
 

<
>

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;