Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

CPI da Catarata entra na pauta dos vereadores

Andréa Iseki/Arquivo DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Pedido está na fila de votações na Câmara e depende de análise da presidência para avançar


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

12/02/2016 | 07:00


A bancada de oposição ao governo do prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), emplacou ontem pedido de instalação de CPI da Catarata, com o objetivo de apurar ocorrências registradas em mutirão de cirurgia da doença, realizada no dia 30, no Hospital de Clínicas. Das 27 pessoas que passaram pelo procedimento, 21 adquiriram infecção ocular por bactéria, pelo menos 17 ficaram cegas e dez precisaram remover globo ocular. O caso está sob investigação do Ministério Público.

No Legislativo, o pedido de CPI foi elaborado pelo oposicionista Julinho Fuzari (PPS), que reuniu dez assinaturas – um terço dos parlamentares –, conforme prevê a Constituição. Além do apoio da bancada de oposição, composta por oito vereadores, o popular-socialista assegurou a adesão do governista Fábio Landi (PSD), que também preside a Comissão de Saúde da Casa, e de Antônio Cabrera (PSB), que recentemente deixou a base de sustentação da gestão petista. “É posição minha. Como médico na cidade, uma situação como essa não poderia deixar escapar de uma CPI. Precisam ser elucidados muitos esclarecimentos”, pontuou Landi.

Pelos trâmites da Casa, o pedido de CPI está na lista de projetos para ingressar na pauta de votações do plenário. Como Julinho não conseguiu ter metade das adesões no Legislativo, o item não será analisado em regime de urgência. Com isso, não há prazo para que a solicitação do oposicionista entre em votação na Câmara.

“Vamos ver qual encaminhamento será dado. Eu cumpro regulamento (interno). Agora, só vai ter andamento mediante ao que o regimento propõe. Uma CPI só faz sentido quando não há esclarecimento”, citou o presidente da Câmara, José Luís Ferrarezi (PT).

Na avaliação de Julinho, a CPI pode auxiliar os trabalhos da Prefeitura, que instaurou sindicância para apurar os fatos. As cirurgias de catarata foram realizadas pelo Instituto de Oftalmologia da Baixada Santista, cujo vínculo com o governo Marinho foi estabelecido desde 2013.

“O pedido de CPI era o melhor instrumento que poderíamos, uma vez que, se ele prosperar, conseguiremos acompanhar melhor todos os fatos, adicionar a participação de especialistas. Poderemos requisitar documentos e esse é um episódio que requer todos os mecanismos de auxílio”, defendeu Julinho.

REEDIÇÃO
Em agosto, a bancada de oposição emplacou primeiro pedido de CPI contra o governo Marinho, mas não viu a investigação prosperar. Na ocasião, a solicitação, de autoria de Pery Cartola (SD), pedia investigação no Imasf (Instituto Municipal de Assistência à Saúde do Funcionalismo), que expôs graves problemas financeiros e de gestão.

O pedido de CPI ficou enquadrado como requerimento comum e segue tramitando na Casa. Pery chegou a acionar o Ministério Público para iniciar apuração, mas não obteve êxito. “Se for novamente tratado como requerimento comum vai para no fim da fila, de novo. Vamos nos reunir na oposição e estudar ingressar na Justiça, se for necessário”, observou Pery. 

Odete é confrontada por parlamentares em visita à Câmara, mas foge da imprensa

Titular da Pasta de Saúde no governo Luiz Marinho (PT) em São Bernardo, Odete Gialdi compareceu ontem na Câmara para falar com os vereadores sobre o episódio do mutirão de cirurgia de catarata, que resultou em contaminação e cegueira de pacientes. O encontro ocorreu por horas, a portas fechadas, na sala de reunião do Legislativo. Na companhia do secretário de Governo, José Albino (PT), Odete acabou confrontada pelos oposicionistas.

No fim e visivelmente nervosa, a titular da Saúde saiu às pressas, evitando estender respostas aos jornalistas. “Não há nenhum elemento novo do que já foi anunciado. Por opção pessoal vim até a Câmara para informá-los sobre o episódio e todas as medidas que estamos tomando com os pacientes e as famílias.”

Oposicionista, Juarez Tudo Azul (PSDB) revelou que espera por mais justificativas. Ele criticou o Hospital de Clínicas. “Antes dessa situação lamentável, protocolei questionamento sobre o complexo, que consumiu muito e está ocioso em setores”, afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;