Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

IPCA de junho é o maior desde dezembro de 2019, afirma IBGE



10/07/2020 | 10:31


A alta de 0,26% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em junho foi o mais elevado desde dezembro passado, quando havia aumentado 1,15%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em junho de 2019, o IPCA ficou em 0,01%. Com o resultado, a taxa acumulada pelo IPCA em 12 meses acelerou de 1,88% em maio para 2,13% em junho, ante uma meta de 4% perseguida pelo Banco Central este ano.

As famílias voltaram a gastar mais com alimentos no mês de junho. O grupo Alimentação e bebidas saiu de uma taxa de 0,24% em maio para avanço de 0,38%, uma contribuição de 0,08 ponto porcentual para o IPCA.

Os alimentos para consumo no domicílio passaram de aumento de 0,33% em maio para elevação de 0,45% em junho. O avanço foi puxado pelo encarecimento das carnes (1,19%) e do leite longa vida (2,33%).

As famílias também pagaram mais pelo arroz (2,74%), feijão carioca (4,96%) e queijo (2,48%). Por outro lado, ficaram mais baratos o tomate (-15,04%) e a cenoura (-8,88%).

A alimentação fora do domicílio passou de aumento de 0,04% em maio para alta de 0,22% em junho. O lanche subiu 1,01%, uma contribuição de 0,02 ponto porcentual no IPCA de junho. A refeição fora de casa diminuiu 0,07%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

IPCA de junho é o maior desde dezembro de 2019, afirma IBGE


10/07/2020 | 10:31


A alta de 0,26% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em junho foi o mais elevado desde dezembro passado, quando havia aumentado 1,15%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em junho de 2019, o IPCA ficou em 0,01%. Com o resultado, a taxa acumulada pelo IPCA em 12 meses acelerou de 1,88% em maio para 2,13% em junho, ante uma meta de 4% perseguida pelo Banco Central este ano.

As famílias voltaram a gastar mais com alimentos no mês de junho. O grupo Alimentação e bebidas saiu de uma taxa de 0,24% em maio para avanço de 0,38%, uma contribuição de 0,08 ponto porcentual para o IPCA.

Os alimentos para consumo no domicílio passaram de aumento de 0,33% em maio para elevação de 0,45% em junho. O avanço foi puxado pelo encarecimento das carnes (1,19%) e do leite longa vida (2,33%).

As famílias também pagaram mais pelo arroz (2,74%), feijão carioca (4,96%) e queijo (2,48%). Por outro lado, ficaram mais baratos o tomate (-15,04%) e a cenoura (-8,88%).

A alimentação fora do domicílio passou de aumento de 0,04% em maio para alta de 0,22% em junho. O lanche subiu 1,01%, uma contribuição de 0,02 ponto porcentual no IPCA de junho. A refeição fora de casa diminuiu 0,07%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;