Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Vereadores de São Bernardo rejeitam pedidos de cassação de Morando e Mario de Abreu

Arquivo/Diário do Grande ABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Segundo presidente do Legislativo, denúncia que embasava pedido de cassação de Morando não tinha peso suficiente


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

17/06/2020 | 12:10


Os vereadores de São Bernardo rejeitaram os pedidos de cassação dos mandatos do prefeito da cidade, Orlando Morando (PSDB), e do vereador, afastado judicialmente Mario de Abreu (PDT) em sessão que ocorreu de forma presencial na manhã desta quarta-feira.
As duas solicitações foram encaminhadas pela advogada Silmara Cristiane da Silva Pompolio, sendo que a do prefeito se baseia na demora da entrega do Hospital de Urgência , que tinha previsão para ser entregue em março, mas só foi aberto em maio. Já no caso do parlamentar afastado, a advogada sustenta que a Câmara age com morosidade para definir o futuro de Abreu, alvo de operação policial ainda em 2017, quando atuava como secretário de Meio Ambiente na gestão Morando. Os vereadores rejeitaram a denúncia contra Morando por 17 votos contrários, dois favoráveis (Ana Nice, PT e Joilson Santos, PT) e duas abstenções (Toninho da Lanchonete, PT e Tião Mateus, PT). Já o pedido de cassação de Abreu recebeu 15 votos contrários, cinco favoráveis (Ana Nice, PT, Toninho da Lanchonete, PT, José Luís Ferrarezi, PT, Joilson Santos, PT, e Julinho Fuzari, DEM) e uma abstenção (Tião Mateus, PT).
Conforme o presidente do Legislativo, Juarez Tudo Azul (PSDB), a denúncia que embasava o pedido de cassação de Morando não continha peso suficiente para gerar debate entre os vereadores. Já a situação de Mario de Abreu, segundo o tucano, é um pouco mais complexa.
“Mario de Abreu ainda não foi julgado. Seu processo ainda corre na Justiça e não seria correto votarmos pela sua cassação. E se amanhã a Justiça entender que o vereador é inocente?”, alegou.
Vereadores ouvidos pelo Diário têm o mesmo entendimento do presidente da Casa. Para Rafael Demarchi (PSL), é necessário aguardar a Justiça determinar o julgamento de Abreu, antes que a Câmara aceite e vote seu pedido de cassação. “Quando a Justiça julgar o vereador afastado, a Câmara tomará, também, uma decisão”, afirmou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vereadores de São Bernardo rejeitam pedidos de cassação de Morando e Mario de Abreu

Segundo presidente do Legislativo, denúncia que embasava pedido de cassação de Morando não tinha peso suficiente

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

17/06/2020 | 12:10


Os vereadores de São Bernardo rejeitaram os pedidos de cassação dos mandatos do prefeito da cidade, Orlando Morando (PSDB), e do vereador, afastado judicialmente Mario de Abreu (PDT) em sessão que ocorreu de forma presencial na manhã desta quarta-feira.
As duas solicitações foram encaminhadas pela advogada Silmara Cristiane da Silva Pompolio, sendo que a do prefeito se baseia na demora da entrega do Hospital de Urgência , que tinha previsão para ser entregue em março, mas só foi aberto em maio. Já no caso do parlamentar afastado, a advogada sustenta que a Câmara age com morosidade para definir o futuro de Abreu, alvo de operação policial ainda em 2017, quando atuava como secretário de Meio Ambiente na gestão Morando. Os vereadores rejeitaram a denúncia contra Morando por 17 votos contrários, dois favoráveis (Ana Nice, PT e Joilson Santos, PT) e duas abstenções (Toninho da Lanchonete, PT e Tião Mateus, PT). Já o pedido de cassação de Abreu recebeu 15 votos contrários, cinco favoráveis (Ana Nice, PT, Toninho da Lanchonete, PT, José Luís Ferrarezi, PT, Joilson Santos, PT, e Julinho Fuzari, DEM) e uma abstenção (Tião Mateus, PT).
Conforme o presidente do Legislativo, Juarez Tudo Azul (PSDB), a denúncia que embasava o pedido de cassação de Morando não continha peso suficiente para gerar debate entre os vereadores. Já a situação de Mario de Abreu, segundo o tucano, é um pouco mais complexa.
“Mario de Abreu ainda não foi julgado. Seu processo ainda corre na Justiça e não seria correto votarmos pela sua cassação. E se amanhã a Justiça entender que o vereador é inocente?”, alegou.
Vereadores ouvidos pelo Diário têm o mesmo entendimento do presidente da Casa. Para Rafael Demarchi (PSL), é necessário aguardar a Justiça determinar o julgamento de Abreu, antes que a Câmara aceite e vote seu pedido de cassação. “Quando a Justiça julgar o vereador afastado, a Câmara tomará, também, uma decisão”, afirmou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;