Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Pronto para a oposição

Os vereadores de oposição de São Bernardo voltam do recesso amanhã com sabor de vitória


Do Diário do Grande ABC

04/08/2009 | 00:00


Os vereadores de oposição de São Bernardo voltam do recesso amanhã com sabor de vitória. A base contrária à administração de Luiz Marinho (PT) conseguiu convencer o governo a modificar a proposta original que trata do uso e ocupação do solo nas Zeis (Zonas Especiais de Interesse Social). Em julho, os parlamentares já haviam apontado o que eles chamaram de "divergências" no projeto do Executivo. A questão dizia respeito a áreas no município para construção de moradias populares, mas que não constavam no Plano Diretor. Recuperado de uma angioplastia e um cateterismo realizados durante o recesso, o vereador Ary de Oliveira (PSB) comemorou o recuo do governo petista. "Acredito que desta maneira não haverá problema em viabilizar a aprovação da matéria. Isso é fruto de diálogo", disse o parlamentar. Falta de diálogo, aliás, que travou o Legislativo durante quase todo o primeiro semestre. O fato deixa claro que, se não tiver conversa, não haverá avanço. Isso porque a base de sustentação não se cansa de dizer que tem a maioria na Câmara. Imagine se fosse a minoria...

Bastidores

E o acordo?
Quando ainda era candidato a prefeito de Mauá, no ano passado, Francisco Carneiro, o Chiquinho do Zaíra, somente recebeu o apoio da deputada estadual Vanessa Damo (PV) - filha do então prefeito Leonel Damo (que se desfiliou do PV) - após comprometer-se a apoiá-la em 2010 para a reeleição. O problema é que, após sair do PSB, Chiquinho, que deve sair a deputado federal, vem conversando com PSL e DEM e já fala em fazer dobradas no ano que vem. Mas e como fica o trato? Deixa para lá?

Só Deus sabe
Petistas ligados ao Paço de São Bernardo já dão como certo que o funcionalismo público terminará o ano sem um centavo de aumento, apesar de o prefeito Luiz Marinho (PT) dizer sempre que uma das primeiras ações de governo seria valorizar os servidores. E pelo andar da carruagem, também não há previsão para 2010. Reservadamente, os aliados de Marinho reconhecem o erro do prefeito na condução deste processo com o Sindicato dos Servidores, que já causou grande desgaste ao chefe do Executivo, um ex-líder sindical.

Sem paciência
Por falar em Marinho, o prefeito foi o único a não ficar na reunião com o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), para discutir a criação do polo tecnológico na região. De forma deselegante, o petista apenas cumprimentou o ex-governador e saiu rapidamente, sob alegação de que tinha outros compromissos. Disse também que o tucano estava atrasado (não mais do que 10 minutos). Mas o que será que ele tinha de tão importante que não poderia ficar na discussão? Será que, nesse caso, a cor partidária falou mais alto? Só para lembrar: esse evento estava marcado no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC há mais de um mês.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pronto para a oposição

Os vereadores de oposição de São Bernardo voltam do recesso amanhã com sabor de vitória

Do Diário do Grande ABC

04/08/2009 | 00:00


Os vereadores de oposição de São Bernardo voltam do recesso amanhã com sabor de vitória. A base contrária à administração de Luiz Marinho (PT) conseguiu convencer o governo a modificar a proposta original que trata do uso e ocupação do solo nas Zeis (Zonas Especiais de Interesse Social). Em julho, os parlamentares já haviam apontado o que eles chamaram de "divergências" no projeto do Executivo. A questão dizia respeito a áreas no município para construção de moradias populares, mas que não constavam no Plano Diretor. Recuperado de uma angioplastia e um cateterismo realizados durante o recesso, o vereador Ary de Oliveira (PSB) comemorou o recuo do governo petista. "Acredito que desta maneira não haverá problema em viabilizar a aprovação da matéria. Isso é fruto de diálogo", disse o parlamentar. Falta de diálogo, aliás, que travou o Legislativo durante quase todo o primeiro semestre. O fato deixa claro que, se não tiver conversa, não haverá avanço. Isso porque a base de sustentação não se cansa de dizer que tem a maioria na Câmara. Imagine se fosse a minoria...

Bastidores

E o acordo?
Quando ainda era candidato a prefeito de Mauá, no ano passado, Francisco Carneiro, o Chiquinho do Zaíra, somente recebeu o apoio da deputada estadual Vanessa Damo (PV) - filha do então prefeito Leonel Damo (que se desfiliou do PV) - após comprometer-se a apoiá-la em 2010 para a reeleição. O problema é que, após sair do PSB, Chiquinho, que deve sair a deputado federal, vem conversando com PSL e DEM e já fala em fazer dobradas no ano que vem. Mas e como fica o trato? Deixa para lá?

Só Deus sabe
Petistas ligados ao Paço de São Bernardo já dão como certo que o funcionalismo público terminará o ano sem um centavo de aumento, apesar de o prefeito Luiz Marinho (PT) dizer sempre que uma das primeiras ações de governo seria valorizar os servidores. E pelo andar da carruagem, também não há previsão para 2010. Reservadamente, os aliados de Marinho reconhecem o erro do prefeito na condução deste processo com o Sindicato dos Servidores, que já causou grande desgaste ao chefe do Executivo, um ex-líder sindical.

Sem paciência
Por falar em Marinho, o prefeito foi o único a não ficar na reunião com o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), para discutir a criação do polo tecnológico na região. De forma deselegante, o petista apenas cumprimentou o ex-governador e saiu rapidamente, sob alegação de que tinha outros compromissos. Disse também que o tucano estava atrasado (não mais do que 10 minutos). Mas o que será que ele tinha de tão importante que não poderia ficar na discussão? Será que, nesse caso, a cor partidária falou mais alto? Só para lembrar: esse evento estava marcado no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC há mais de um mês.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;