Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Átila tenta emplacar na Câmara comissão para UFABC


Havolene Valinhos
Do Diário do Grande ABC

16/11/2010 | 07:03


 

  

O vereador oposicionista de Mauá Átila Jacomussi (PV) apresentará hoje, durante a sessão, proposta de criação de Comissão Especial com o objetivo de acompanhar o processo de implementação da UFABC (Universidade Federal do ABC) em Mauá, que deve ser erguida na área que atualmente é de propriedade do INSS, no Parque São Vicente./CWCW30

Na semana passada, os vereadores validaram o projeto de lei que autorizou o Executivo a dispensar o artigo 51 da lei nº 3.272, de 2000, que determina que em desmembramentos com área igual ou superior a 10 mil m² deverão ser destinados percentuais mínimos para áreas públicas, verde e institucional.

O vereador, embora tenha votado a favor da matéria, questiona o projeto. "Não foram feitos estudos de impacto ambiental e urbanístico. A Prefeitura não pediu compensação ambiental, preservação da mata nativa, mina d'água, nada."/CW

Durante a sessão, o líder governista, Rômulo Fernandes (PT), disse que o intuito é apenas facilitar a construção da universidade no município. "A retirada do artigo vale especificamente para essa área, mas para todas as demais a legislação vale sem alterações. A pedra fundamental deverá ser colocada até o fim do ano."

Átila foi mais enfático ao levantar hipótese de possível manobra política. "Quem me garante que não trata-se de grande manobra do Oswaldo (Dias)? Incorpora área no município e em vez de doar para o Ministério da Educação vende a área pública para levantar recurso como já fez com outras em Mauá. Há casos de empresas que não respeitaram as leis de construção e a Prefeitura deu CF51habite-se /CFmesmo assim, Ele pode dar golpe outra vez", cutucou o político do PV.

Questionado sobre o motivo de ter dado aval ao projeto ao votar favoravelmente, o verde justificou que "votou pela vinda da faculdade." "O prefeito não se preocupa com nada, mandou lei em cima da hora e com justificativa mentirosa."

Procurada, a Prefeitura não quis comentar sobre o assunto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Átila tenta emplacar na Câmara comissão para UFABC

Havolene Valinhos
Do Diário do Grande ABC

16/11/2010 | 07:03


 

  

O vereador oposicionista de Mauá Átila Jacomussi (PV) apresentará hoje, durante a sessão, proposta de criação de Comissão Especial com o objetivo de acompanhar o processo de implementação da UFABC (Universidade Federal do ABC) em Mauá, que deve ser erguida na área que atualmente é de propriedade do INSS, no Parque São Vicente./CWCW30

Na semana passada, os vereadores validaram o projeto de lei que autorizou o Executivo a dispensar o artigo 51 da lei nº 3.272, de 2000, que determina que em desmembramentos com área igual ou superior a 10 mil m² deverão ser destinados percentuais mínimos para áreas públicas, verde e institucional.

O vereador, embora tenha votado a favor da matéria, questiona o projeto. "Não foram feitos estudos de impacto ambiental e urbanístico. A Prefeitura não pediu compensação ambiental, preservação da mata nativa, mina d'água, nada."/CW

Durante a sessão, o líder governista, Rômulo Fernandes (PT), disse que o intuito é apenas facilitar a construção da universidade no município. "A retirada do artigo vale especificamente para essa área, mas para todas as demais a legislação vale sem alterações. A pedra fundamental deverá ser colocada até o fim do ano."

Átila foi mais enfático ao levantar hipótese de possível manobra política. "Quem me garante que não trata-se de grande manobra do Oswaldo (Dias)? Incorpora área no município e em vez de doar para o Ministério da Educação vende a área pública para levantar recurso como já fez com outras em Mauá. Há casos de empresas que não respeitaram as leis de construção e a Prefeitura deu CF51habite-se /CFmesmo assim, Ele pode dar golpe outra vez", cutucou o político do PV.

Questionado sobre o motivo de ter dado aval ao projeto ao votar favoravelmente, o verde justificou que "votou pela vinda da faculdade." "O prefeito não se preocupa com nada, mandou lei em cima da hora e com justificativa mentirosa."

Procurada, a Prefeitura não quis comentar sobre o assunto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;