Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

'O Cativeiro da Terra' alcança a edição nº 9

O professor José de Souza Martins, nascido em São Caetano, lança amanhã a nona edição de O Cativeiro da Terra


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

28/03/2010 | 00:00


O professor José de Souza Martins, nascido em São Caetano, lança amanhã, em São Paulo, a nona edição, revista e muito ampliada, de O Cativeiro da Terra (Editora Contexto), um livro clássico da sociologia brasileira. O ato está marcado para o período das 19h às 21h30 na Livraria Cultura, do Shopping Villa-Lobos, na Avenida das Nações Unidas, 4.777 (auditório). Informações: 3024-3599.

Um debate será realizado. Participantes: o autor, o professor Alfredo Bosi (autor de Dialética da Colonização e membro da Academia Brasileira de Letras) e o geógrafo Demétrio Magnoli, autor de Uma Gota de Sangue (História do pensamento racial), que foi aluno de Martins na USP. A mesa será coordenada pela professora Maria Arminda do Nascimento Arruda. Ela é pró-reitora de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo.

TRECHO

"O desenvolvimento capitalista no Brasil não seguiu o modelo consagrado na literatura especializada. Teve sua própria circunstância e nela percorreu o caminho possível. As determinações de origem do capitalismo entre nós não podem ser ignoradas se queremos compreender suas contradições históricas, os bloqueios que até hoje nos desafiam a criar mais do que imitar. Para compreender o substancial dessa singularidade basta levar em conta uma diferença fundamental e radical de origem, que permanece e nos regula".

DEPOIMENTO
Sobre o livro O Cativeiro da Terra, José de Souza Martins presta um depoimento em vídeo que pode ser consultado no seguinte endereço: http://www.youtube.com/watch?v=spgf9mQkJCM .

Ribeirão Pires
"Seguem fotos que foram tiradas há 30 anos na Paróquia de Santana do nosso querido padre José Raschelli, em Ribeirão Pires. São meninos e meninas se preparando para receber a primeira Eucaristia. Será que alguém sabe aonde foi parar toda essa turma ou se reconhece nas fotos? Continuo em Ribeirão Pires, a nossa pérola do Grande ABC". Ailton Gomes, de Ribeirão Pires

EM 28 DE MARÇO DE...

1965 - Inaugurada exposição de maquetes de obras públicas na Escola Industrial Júlio de Mesquita, em Santo André.

1970 - Serviço Dentário Municipal de São Bernardo recebe o nome de Dr Antonio Nascimento, em homenagem ao primeiro dentista da Prefeitura, admitido após a reconquista da emancipação político-administrativa.

TRABALHADORES

Nascem em 28 de março:

1904 - Maria M. de Jesus. Empacotadora da Atlantis do Brasil. Residência: Rua Rio Branco, 22.

1919 - João Florentino da Costa.. Eletricista da Alca. Residência: Rua Senador Souza Ramos, 594.

1919 - Jacy Conceição. 28-3-1919. Pedreiro da Eletrocloro. Residência: Rua Rabelo Lobo, s/n, Rio Grande.

Fonte: 1º livro geral dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC.

MUNICÍPIOS PAULISTAS

- Vilas de Jundiaí e Amparo são elevadas à categoria de cidades em 28 de março de 1865.

- Povoação Divino Espírito Santo dos Dois Córregos, no Município de Brotas, é elevada à freguesia em 28 de março de 1865 sob invocação de Nossa Senhora das Dores.

- Uchoa, elevado a município em 1925, quando se separa de São José do Rio Preto.

- Embu Guaçu e Juquitiba dão posse aos seus primeiros prefeitos e vereadores, separando-se de Itapecerica da Serra.

HOJE

Dia do Diagramador e Dia do Revisor, ofícios do jornalismo que adquirem novos formatos nestes tempos de informatização.

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS

Sexta-feira, 28 de março de 1980

Manchete - Sem nada ceder, os metalúrgicos vão à reunião com os patrões; negociações podem tomar novos rumos; Fiesp aumenta contraproposta de 3,63% para 4,42%; metalúrgicos reivindicam 15%.

Editorial - Confronto trabalho-capital pede bom senso.

Transportes - Táxis a álcool começam a operar em Santo André.

Primeiro Plano (Eduardo Camargo) - Novos passos na era do álcool motor.

Cinema - Estranho Sorriso, de Heitor Capuzzo e José Armando Pereira da Silva, críticos do Diário, alcança sucesso no Festival de Gramado.

Futebol - Pela Segunda Divisão, jogos de ontem envolvendo equipes do ABC: no Estádio Bruno Daniel, Santo André 2, Amparo 1; no Baetão, Aliança 4, Portuguesa Santista 0; em Jundiaí, Paulista 4, Saad, de São Caetano, 0.

Polícia - Tiroteio, morte e prisão de ladrões.

SANTOS DO DIA

Castor, Gisela, Gontrão e Malco.
Na estampa de 1958, Nossa Senhora das Dores.

Crédito da estampa: Acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez.

FALECIMENTOS

Ela esteve pelo menos duas vezes aqui em Memória, contando histórias da sua Ribeirão Pires. Maria Zampol de Almeida, filha de Afonso Zampol e Teresa Bertoldo. Gente que conheceu os anos longínquos do Núcleo Colonial de Ribeirão Pires, o terceiro e último núcleo oficial destinado aos imigrantes italianos, criado no final do século 19.

"Ela gostava de passear, de jardinagem e flores, tinha até um pé de cambuci em casa", narra Lourdes, sua filha. Era também extremamente religiosa. Conhecia a vida de muitos santos. Rezava sempre. Era sincera, exigente e objetiva. Organizada, exercia liderança, fazia caridade e participava de ações sociais. "Era por isso que tinha tantos amigos", explica a filha.

Uma família numerosa, a Zampol. Maria era irmã de Zeferino, Ida, Gino, Olga, Zina, Iole, Domingos, Antonio e Renato. Casou-se com Antonio de Almeida e, além de Lourdes, o casal teve o filho Afonso, que lhes deram sete netos: Afonso Júnior, Adriano, Lizandra, Sinara, Henrique, Melissa e Felipe. E quatro bisnetos: Andrés, Nicolas, Giovana e Amanda.

Maria Zampol de Almeida partiu aos 97 anos. Está sepultada no Cemitério São José. A missa de sétimo dia em sua homenagem será celebrada amanhã, às 19h, na Matriz de São José, na sua Ribeirão Pires.

Texto: Ademar Bertoldo, pesquisador e radialista.

SÃO CAETANO

Joana Zelent Martin, 70. Dia 20. Cemitério das Lágrimas

Maria Alaíde Garcia Valen, 61. Dia 20. Cemitério das Lágrimas

Valter Dunder, 58. Dia 22. Cemitério das Lágrimas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'O Cativeiro da Terra' alcança a edição nº 9

O professor José de Souza Martins, nascido em São Caetano, lança amanhã a nona edição de O Cativeiro da Terra

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

28/03/2010 | 00:00


O professor José de Souza Martins, nascido em São Caetano, lança amanhã, em São Paulo, a nona edição, revista e muito ampliada, de O Cativeiro da Terra (Editora Contexto), um livro clássico da sociologia brasileira. O ato está marcado para o período das 19h às 21h30 na Livraria Cultura, do Shopping Villa-Lobos, na Avenida das Nações Unidas, 4.777 (auditório). Informações: 3024-3599.

Um debate será realizado. Participantes: o autor, o professor Alfredo Bosi (autor de Dialética da Colonização e membro da Academia Brasileira de Letras) e o geógrafo Demétrio Magnoli, autor de Uma Gota de Sangue (História do pensamento racial), que foi aluno de Martins na USP. A mesa será coordenada pela professora Maria Arminda do Nascimento Arruda. Ela é pró-reitora de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo.

TRECHO

"O desenvolvimento capitalista no Brasil não seguiu o modelo consagrado na literatura especializada. Teve sua própria circunstância e nela percorreu o caminho possível. As determinações de origem do capitalismo entre nós não podem ser ignoradas se queremos compreender suas contradições históricas, os bloqueios que até hoje nos desafiam a criar mais do que imitar. Para compreender o substancial dessa singularidade basta levar em conta uma diferença fundamental e radical de origem, que permanece e nos regula".

DEPOIMENTO
Sobre o livro O Cativeiro da Terra, José de Souza Martins presta um depoimento em vídeo que pode ser consultado no seguinte endereço: http://www.youtube.com/watch?v=spgf9mQkJCM .

Ribeirão Pires
"Seguem fotos que foram tiradas há 30 anos na Paróquia de Santana do nosso querido padre José Raschelli, em Ribeirão Pires. São meninos e meninas se preparando para receber a primeira Eucaristia. Será que alguém sabe aonde foi parar toda essa turma ou se reconhece nas fotos? Continuo em Ribeirão Pires, a nossa pérola do Grande ABC". Ailton Gomes, de Ribeirão Pires

EM 28 DE MARÇO DE...

1965 - Inaugurada exposição de maquetes de obras públicas na Escola Industrial Júlio de Mesquita, em Santo André.

1970 - Serviço Dentário Municipal de São Bernardo recebe o nome de Dr Antonio Nascimento, em homenagem ao primeiro dentista da Prefeitura, admitido após a reconquista da emancipação político-administrativa.

TRABALHADORES

Nascem em 28 de março:

1904 - Maria M. de Jesus. Empacotadora da Atlantis do Brasil. Residência: Rua Rio Branco, 22.

1919 - João Florentino da Costa.. Eletricista da Alca. Residência: Rua Senador Souza Ramos, 594.

1919 - Jacy Conceição. 28-3-1919. Pedreiro da Eletrocloro. Residência: Rua Rabelo Lobo, s/n, Rio Grande.

Fonte: 1º livro geral dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC.

MUNICÍPIOS PAULISTAS

- Vilas de Jundiaí e Amparo são elevadas à categoria de cidades em 28 de março de 1865.

- Povoação Divino Espírito Santo dos Dois Córregos, no Município de Brotas, é elevada à freguesia em 28 de março de 1865 sob invocação de Nossa Senhora das Dores.

- Uchoa, elevado a município em 1925, quando se separa de São José do Rio Preto.

- Embu Guaçu e Juquitiba dão posse aos seus primeiros prefeitos e vereadores, separando-se de Itapecerica da Serra.

HOJE

Dia do Diagramador e Dia do Revisor, ofícios do jornalismo que adquirem novos formatos nestes tempos de informatização.

Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS

Sexta-feira, 28 de março de 1980

Manchete - Sem nada ceder, os metalúrgicos vão à reunião com os patrões; negociações podem tomar novos rumos; Fiesp aumenta contraproposta de 3,63% para 4,42%; metalúrgicos reivindicam 15%.

Editorial - Confronto trabalho-capital pede bom senso.

Transportes - Táxis a álcool começam a operar em Santo André.

Primeiro Plano (Eduardo Camargo) - Novos passos na era do álcool motor.

Cinema - Estranho Sorriso, de Heitor Capuzzo e José Armando Pereira da Silva, críticos do Diário, alcança sucesso no Festival de Gramado.

Futebol - Pela Segunda Divisão, jogos de ontem envolvendo equipes do ABC: no Estádio Bruno Daniel, Santo André 2, Amparo 1; no Baetão, Aliança 4, Portuguesa Santista 0; em Jundiaí, Paulista 4, Saad, de São Caetano, 0.

Polícia - Tiroteio, morte e prisão de ladrões.

SANTOS DO DIA

Castor, Gisela, Gontrão e Malco.
Na estampa de 1958, Nossa Senhora das Dores.

Crédito da estampa: Acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez.

FALECIMENTOS

Ela esteve pelo menos duas vezes aqui em Memória, contando histórias da sua Ribeirão Pires. Maria Zampol de Almeida, filha de Afonso Zampol e Teresa Bertoldo. Gente que conheceu os anos longínquos do Núcleo Colonial de Ribeirão Pires, o terceiro e último núcleo oficial destinado aos imigrantes italianos, criado no final do século 19.

"Ela gostava de passear, de jardinagem e flores, tinha até um pé de cambuci em casa", narra Lourdes, sua filha. Era também extremamente religiosa. Conhecia a vida de muitos santos. Rezava sempre. Era sincera, exigente e objetiva. Organizada, exercia liderança, fazia caridade e participava de ações sociais. "Era por isso que tinha tantos amigos", explica a filha.

Uma família numerosa, a Zampol. Maria era irmã de Zeferino, Ida, Gino, Olga, Zina, Iole, Domingos, Antonio e Renato. Casou-se com Antonio de Almeida e, além de Lourdes, o casal teve o filho Afonso, que lhes deram sete netos: Afonso Júnior, Adriano, Lizandra, Sinara, Henrique, Melissa e Felipe. E quatro bisnetos: Andrés, Nicolas, Giovana e Amanda.

Maria Zampol de Almeida partiu aos 97 anos. Está sepultada no Cemitério São José. A missa de sétimo dia em sua homenagem será celebrada amanhã, às 19h, na Matriz de São José, na sua Ribeirão Pires.

Texto: Ademar Bertoldo, pesquisador e radialista.

SÃO CAETANO

Joana Zelent Martin, 70. Dia 20. Cemitério das Lágrimas

Maria Alaíde Garcia Valen, 61. Dia 20. Cemitério das Lágrimas

Valter Dunder, 58. Dia 22. Cemitério das Lágrimas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;