Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Pôquer se transforma em profissão


Renata Oliveira*

07/12/2009 | 07:01


O pôquer on-line tem se tornado uma das atividades de entretenimento que mais cresce e conquista pessoas no mundo. De acordo com o site PokerStars, em apenas 18 meses o portal que registrava 10 bilhões de mãos jogadas saltou para a expressiva marca de 25 bilhões. Entre os sites mais conhecidos dos usuários estão o Party Poker, Full Tilt Poker e o PokerStars.

A esses números que surpreendem, juntam-se outros dados talvez até menos conhecidos: hoje, jogar pôquer on-line não é apenas uma maneira de se divertir e passar algumas horas do dia, mas também está se tornando profissão de muitas pessoas que jogam nestes portais.

A profissão, que ainda é desconhecida por boa parte da população brasileira, está entre as cinco atividades inovadoras em tecnologia, segundo matéria divulgada em agosto de 2009, pela Revista Info, da Editora Abril.

O jogador profissional de pôquer André Akkari faz parte desse grupo de pessoas que possui o jogo como profissão. Atualmente membro do Team Poker Stars Pro, com patrocínio exclusivo para jogar somente no PokerStars, o jogador revela como descobriu o carteado: "Comecei a jogar pôquer em 2005, depois de ter um contato comercial para elaborar um e-commerce a um site de pôquer e ter que instalar o software".

Akkari conta que começou a jogar com dinheiro fictício e, daí em diante, se apaixonou pelo jogo: "estudei muito e tudo aconteceu".

Com o sucesso na profissão, André Akkari consegue pagar as despesas da família com o dinheiro que conquista jogando nos sites. Ele comenta como participa das mesas na internet e como é o dia a dia de um profissional.

"Hoje minha rotina se divide em jogar torneios on-line no PokerStars, viagens para disputar os torneios do circuito mundial e gravar os programas da ESPN, onde sou comentarista. Jogo pôquer praticamente 40 horas por semana, em média de cinco telas ao mesmo tempo, principalmente aos domingos, quando acontecem os maiores torneios da internet", afirma Akkari.

Entre os campeonatos que o jogador já disputou estão os Main Events da World Series of Poker - WSOP, em 2008 e 2009, e o Main Event da WSOP Europe, quando conseguiu a 27ª colocação, em setembro deste ano.

Canais de TV pagos transmitem jogos de pôquer

O jogador de pôquer on-line, Eduardo Damásio - ou Fox_Mulder3, como é identificado na Internet - se interessou pelo jogo ao assistir os campeonatos mundiais transmitidos pelos canais a cabo ESPN. A partir de então, começou a jogar on-line gratuitamente pelo site PartyPoker e, há um ano, participa das mesas nos portais Full Tilt Poker e PokerStars, jogando com dinheiro real, com média de três horas diárias.

Eduardo revela que o pôquer, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é um jogo de azar: "O pôquer é um jogo diferente de qualquer outro, é um jogo de cérebro, que te permite aprimorar seu autocontrole e passar a observar os seus adversários por outros ângulos, para assim superá-los", afirma Damásio. "É um jogo em que tudo se une: probabilidade, habilidade, matemática, lógica e principalmente percepção, cada movimento tem que ser perfeitamente planejado, para que mesmo que as cartas te façam perder certo campeonato, sua habilidade ainda assim te faça campeão", acrescenta.

Existem também outros portais que oferecem materiais para ajudar novos jogadores a entrar no mundo do pôquer, com videoaulas, instruções, artigos e informações sobre o esporte. O site Universidade do Poker é um deles.

Criado em 2007, iniciou com uma área de vendas de videoaulas dentro do maior portal de pôquer brasileiro da época, o Clube do Poker. Com o sucesso adquirido, em 2008 o site internacional Full Tilt Poker se interessou em patrociná-los, com o intuito de torná-los um portal independente, com artigos e conteúdos próprios. Em troca, o Full Tilt Poker ofereceria patrocínio direto para montar uma equipe e realizaria torneios exclusivos aos jogadores que abrissem contas por meio do site Universidade do Poker.

Com o patrocínio consolidado, hoje o Universidade do Poker oferece videoaulas, dois artigos semanais, suporte aos jogadores e uma espécie de quiz semanal. Para o diretor de Marketing, Gustavo Costa, este forte crescimento do on-line deve-se ao espaço que os veículos de comunicação têm destinado ao esporte.

Segundo ele, "os programas de televisão da ESPN e BandSports, assim como diversos meios de comunicação, têm evidenciado cada vez mais que este é um jogo de habilidade, no qual o conhecimento matemático e a experiência fazem a diferença".

Costa observa que a ideia de um jogo de azar é cada vez mais desconstruída. "No jogo de azar, a banca é quem sempre sai ganhando a longo prazo e, no pôquer, não existe banca, mas sim jogadores jogando contra outros jogadores", revela.

Outro portal que conquistou, em 2009, uma parceria com o Full Tilt Poker, foi o SuperPoker. Criado em 2005 por um grupo de amigos, o site possui atualmente mais de 5.000 usuários cadastrados.

Além de oferecer notícias diárias nacionais e internacionais sobre pôquer, artigos, entrevistas, calendário com os principais eventos e promoções, o SuperPoker também disponibiliza em seu portal um ranking de jogadores, que é considerado o ranking oficial brasileiro.

Como prova de que este fascínio do pôquer on-line tende a crescer cada vez mais, no dia 19 de julho de 2009 o site do PokerStars entrou para o Guinness Book e quebrou o recorde de Maior Torneio do Mundo, com a participação de 65 mil jogadores de 155 países.

Além disso, no dia 6 de setembro, o PokerStars voltou a estabelecer um novo recorde. O portal conseguiu novamente entrar para o Guinness Book, batendo o próprio recorde de ter "mais jogadores on-line na mesma sala de pôquer", com um total de 307.016 jogadores, em 42.814 mesas, jogando on-line simultaneamente.

Aluna do 4º. ano de Jornalismo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, sob orientação da profa. Mônica Pegurer Caprino. O conteúdo editorial desta página é de inteira responsabilidade da Universidade de São Caetano do Sul, com supervisão editorial dos jornalistas Eduardo Borga e Nelson Tucci, da Comunicação da USCS.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pôquer se transforma em profissão

Renata Oliveira*

07/12/2009 | 07:01


O pôquer on-line tem se tornado uma das atividades de entretenimento que mais cresce e conquista pessoas no mundo. De acordo com o site PokerStars, em apenas 18 meses o portal que registrava 10 bilhões de mãos jogadas saltou para a expressiva marca de 25 bilhões. Entre os sites mais conhecidos dos usuários estão o Party Poker, Full Tilt Poker e o PokerStars.

A esses números que surpreendem, juntam-se outros dados talvez até menos conhecidos: hoje, jogar pôquer on-line não é apenas uma maneira de se divertir e passar algumas horas do dia, mas também está se tornando profissão de muitas pessoas que jogam nestes portais.

A profissão, que ainda é desconhecida por boa parte da população brasileira, está entre as cinco atividades inovadoras em tecnologia, segundo matéria divulgada em agosto de 2009, pela Revista Info, da Editora Abril.

O jogador profissional de pôquer André Akkari faz parte desse grupo de pessoas que possui o jogo como profissão. Atualmente membro do Team Poker Stars Pro, com patrocínio exclusivo para jogar somente no PokerStars, o jogador revela como descobriu o carteado: "Comecei a jogar pôquer em 2005, depois de ter um contato comercial para elaborar um e-commerce a um site de pôquer e ter que instalar o software".

Akkari conta que começou a jogar com dinheiro fictício e, daí em diante, se apaixonou pelo jogo: "estudei muito e tudo aconteceu".

Com o sucesso na profissão, André Akkari consegue pagar as despesas da família com o dinheiro que conquista jogando nos sites. Ele comenta como participa das mesas na internet e como é o dia a dia de um profissional.

"Hoje minha rotina se divide em jogar torneios on-line no PokerStars, viagens para disputar os torneios do circuito mundial e gravar os programas da ESPN, onde sou comentarista. Jogo pôquer praticamente 40 horas por semana, em média de cinco telas ao mesmo tempo, principalmente aos domingos, quando acontecem os maiores torneios da internet", afirma Akkari.

Entre os campeonatos que o jogador já disputou estão os Main Events da World Series of Poker - WSOP, em 2008 e 2009, e o Main Event da WSOP Europe, quando conseguiu a 27ª colocação, em setembro deste ano.

Canais de TV pagos transmitem jogos de pôquer

O jogador de pôquer on-line, Eduardo Damásio - ou Fox_Mulder3, como é identificado na Internet - se interessou pelo jogo ao assistir os campeonatos mundiais transmitidos pelos canais a cabo ESPN. A partir de então, começou a jogar on-line gratuitamente pelo site PartyPoker e, há um ano, participa das mesas nos portais Full Tilt Poker e PokerStars, jogando com dinheiro real, com média de três horas diárias.

Eduardo revela que o pôquer, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é um jogo de azar: "O pôquer é um jogo diferente de qualquer outro, é um jogo de cérebro, que te permite aprimorar seu autocontrole e passar a observar os seus adversários por outros ângulos, para assim superá-los", afirma Damásio. "É um jogo em que tudo se une: probabilidade, habilidade, matemática, lógica e principalmente percepção, cada movimento tem que ser perfeitamente planejado, para que mesmo que as cartas te façam perder certo campeonato, sua habilidade ainda assim te faça campeão", acrescenta.

Existem também outros portais que oferecem materiais para ajudar novos jogadores a entrar no mundo do pôquer, com videoaulas, instruções, artigos e informações sobre o esporte. O site Universidade do Poker é um deles.

Criado em 2007, iniciou com uma área de vendas de videoaulas dentro do maior portal de pôquer brasileiro da época, o Clube do Poker. Com o sucesso adquirido, em 2008 o site internacional Full Tilt Poker se interessou em patrociná-los, com o intuito de torná-los um portal independente, com artigos e conteúdos próprios. Em troca, o Full Tilt Poker ofereceria patrocínio direto para montar uma equipe e realizaria torneios exclusivos aos jogadores que abrissem contas por meio do site Universidade do Poker.

Com o patrocínio consolidado, hoje o Universidade do Poker oferece videoaulas, dois artigos semanais, suporte aos jogadores e uma espécie de quiz semanal. Para o diretor de Marketing, Gustavo Costa, este forte crescimento do on-line deve-se ao espaço que os veículos de comunicação têm destinado ao esporte.

Segundo ele, "os programas de televisão da ESPN e BandSports, assim como diversos meios de comunicação, têm evidenciado cada vez mais que este é um jogo de habilidade, no qual o conhecimento matemático e a experiência fazem a diferença".

Costa observa que a ideia de um jogo de azar é cada vez mais desconstruída. "No jogo de azar, a banca é quem sempre sai ganhando a longo prazo e, no pôquer, não existe banca, mas sim jogadores jogando contra outros jogadores", revela.

Outro portal que conquistou, em 2009, uma parceria com o Full Tilt Poker, foi o SuperPoker. Criado em 2005 por um grupo de amigos, o site possui atualmente mais de 5.000 usuários cadastrados.

Além de oferecer notícias diárias nacionais e internacionais sobre pôquer, artigos, entrevistas, calendário com os principais eventos e promoções, o SuperPoker também disponibiliza em seu portal um ranking de jogadores, que é considerado o ranking oficial brasileiro.

Como prova de que este fascínio do pôquer on-line tende a crescer cada vez mais, no dia 19 de julho de 2009 o site do PokerStars entrou para o Guinness Book e quebrou o recorde de Maior Torneio do Mundo, com a participação de 65 mil jogadores de 155 países.

Além disso, no dia 6 de setembro, o PokerStars voltou a estabelecer um novo recorde. O portal conseguiu novamente entrar para o Guinness Book, batendo o próprio recorde de ter "mais jogadores on-line na mesma sala de pôquer", com um total de 307.016 jogadores, em 42.814 mesas, jogando on-line simultaneamente.

Aluna do 4º. ano de Jornalismo da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, sob orientação da profa. Mônica Pegurer Caprino. O conteúdo editorial desta página é de inteira responsabilidade da Universidade de São Caetano do Sul, com supervisão editorial dos jornalistas Eduardo Borga e Nelson Tucci, da Comunicação da USCS.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;