Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Miriam Belchior pode virar secretária em São José dos Campos

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

De saída do Ministério do Planejamento, petista recebe
convite para trabalhar no governo de Carlinhos Almeida


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

26/11/2014 | 07:00


De saída do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão do governo de Dilma Rousseff (PT), Miriam Belchior (PT) está próxima de assumir a Pasta de Planejamento Urbano em São José dos Campos, cidade do interior paulista administrada pelo petista Carlinhos Almeida. Se confirmada, seria a primeira baixa do Grande ABC no primeiro escalão presidencial.

Na semana passada, surgiu especulação que Dilma decidiu trocar o comando do Ministério do Planejamento, tirando Miriam e colocando Nelson Barbosa, ex-secretário executivo do Ministério da Fazenda no governo petista. Cogitou-se colocar a ainda ministra na Pasta de Minas e Energia, porém, nesta semana cresceu a possibilidade de retorno ao Estado de São Paulo.

A queda da petista é o primeiro passo para a redução no número de ministérios oferecidos aos políticos paulistas. Dilma já sinalizou que, em seu segundo mandato, abrirá espaço para nomes do Nordeste, onde ela venceu por 12 milhões de votos diante do senador Aécio Neves (PSDB) na corrida presidencial. São Paulo conferiu a Dilma a maior derrota de um petista na história – foram 7 milhões de votos a mais depositados para Aécio.

O Grande ABC será afetado diretamente pela recomposição da Esplanada dos Ministérios. Atualmente, a região conta com cinco nomes de destaque no governo federal: além de Miriam, Gilberto Carvalho (ministro da Secretaria-Geral da Presidência), Arthur Chioro (Saúde), Regina Miki (Secretaria Nacional de Segurança Pública) e Jorge Hereda (presidência da Caixa). Nos corredores do Palácio do Planalto, especula-se a saída de Regina Miki – Chioro também foi cotado para deixar o primeiro escalão, mas deve continuar.

Em São José dos Campos, a Secretaria de Planejamento Urbano é chefiada de maneira interina por Miguel Sampaio Júnior, ex-vice-prefeito de Guaratinguetá e que também acumula a Pasta de Habitação. Carlinhos Almeida assumiu o governo da cidade do Vale do Paraíba em 2013, quebrando hegemonia de 16 anos do PSDB local.

Miriam não foi localizada para comentar o assunto.

HISTÓRICO
Miriam iniciou carreira política em Santo André, no governo de Celso Daniel (morto em 2002), com quem foi casada. Na Prefeitura andreense, ocupou as secretarias de Administração e Modernização e de Inclusão Social e Habitação, e liderou projetos estruturantes para o município.

No primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Miriam passou por cargos menores no Ministério da Casa Civil. Já em 2007, virou secretária executiva do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), setor em que se aproximou de Dilma. Com a indicação de Dilma para concorrer à Presidência da República em 2010, Miriam passou a coordenar o PAC. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Miriam Belchior pode virar secretária em São José dos Campos

De saída do Ministério do Planejamento, petista recebe
convite para trabalhar no governo de Carlinhos Almeida

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

26/11/2014 | 07:00


De saída do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão do governo de Dilma Rousseff (PT), Miriam Belchior (PT) está próxima de assumir a Pasta de Planejamento Urbano em São José dos Campos, cidade do interior paulista administrada pelo petista Carlinhos Almeida. Se confirmada, seria a primeira baixa do Grande ABC no primeiro escalão presidencial.

Na semana passada, surgiu especulação que Dilma decidiu trocar o comando do Ministério do Planejamento, tirando Miriam e colocando Nelson Barbosa, ex-secretário executivo do Ministério da Fazenda no governo petista. Cogitou-se colocar a ainda ministra na Pasta de Minas e Energia, porém, nesta semana cresceu a possibilidade de retorno ao Estado de São Paulo.

A queda da petista é o primeiro passo para a redução no número de ministérios oferecidos aos políticos paulistas. Dilma já sinalizou que, em seu segundo mandato, abrirá espaço para nomes do Nordeste, onde ela venceu por 12 milhões de votos diante do senador Aécio Neves (PSDB) na corrida presidencial. São Paulo conferiu a Dilma a maior derrota de um petista na história – foram 7 milhões de votos a mais depositados para Aécio.

O Grande ABC será afetado diretamente pela recomposição da Esplanada dos Ministérios. Atualmente, a região conta com cinco nomes de destaque no governo federal: além de Miriam, Gilberto Carvalho (ministro da Secretaria-Geral da Presidência), Arthur Chioro (Saúde), Regina Miki (Secretaria Nacional de Segurança Pública) e Jorge Hereda (presidência da Caixa). Nos corredores do Palácio do Planalto, especula-se a saída de Regina Miki – Chioro também foi cotado para deixar o primeiro escalão, mas deve continuar.

Em São José dos Campos, a Secretaria de Planejamento Urbano é chefiada de maneira interina por Miguel Sampaio Júnior, ex-vice-prefeito de Guaratinguetá e que também acumula a Pasta de Habitação. Carlinhos Almeida assumiu o governo da cidade do Vale do Paraíba em 2013, quebrando hegemonia de 16 anos do PSDB local.

Miriam não foi localizada para comentar o assunto.

HISTÓRICO
Miriam iniciou carreira política em Santo André, no governo de Celso Daniel (morto em 2002), com quem foi casada. Na Prefeitura andreense, ocupou as secretarias de Administração e Modernização e de Inclusão Social e Habitação, e liderou projetos estruturantes para o município.

No primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Miriam passou por cargos menores no Ministério da Casa Civil. Já em 2007, virou secretária executiva do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), setor em que se aproximou de Dilma. Com a indicação de Dilma para concorrer à Presidência da República em 2010, Miriam passou a coordenar o PAC. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;