Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsonaro diz que acordo Mercosul-Japão pode avançar em novembro

Rovena Rosa/EBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


23/10/2019 | 08:06


Após reunião com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que foi dado "mais um passo" para viabilizar o acordo comercial entre o Mercosul e o Japão. Segundo Bolsonaro, o início das negociações será formalizado em novembro, quando Abe vai ao Brasil.

"Demos mais um passo na questão (do acordo) do Mercosul. Há interesse por parte dele (Abe) também", declarou Bolsonaro. Questionado se é possível oficializar o início do acordo no próximo mês, com a visita de Abe ao País, o presidente respondeu que sim. "Não há a menor dúvida", enfatizou.

O terceiro encontro entre Bolsonaro e o primeiro-ministro ocorreu no Palácio Akasaka, em Tóquio, e durou cerca de 15 minutos. "A reunião foi excelente", afirmou o presidente.

Bolsonaro também disse que recebeu o apoio de Abe para que o Brasil entre na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), embora admita que o processo deve demorar.

"Ele (Abe) falou que está favorável ao Brasil entrar. É uma operação demorada, dois, três anos.... Tem o apoio de peso que nós temos, já tivemos Israel e tantos outros. Tudo está caminhando bem para que tenhamos a coroação de uma viagem de sucesso", afirmou.

Interessado na abertura do mercado japonês para a carne brasileira, Bolsonaro convidou o primeiro-ministro para comer churrasco no Brasil. "Vamos a uma churrascaria", contou o presidente. Ao chegar no Japão, na segunda-feira, ele brincou que não comeria carne no país até que suínos e bovinos brasileiros sejam comercializados em restaurantes japoneses.

Bolsonaro e Shinzo Abe trataram, ainda, de uma possível parceria entre os países envolvendo minérios raros como nióbio, grafeno e lítio. De acordo com um assessor presidencial, a parceria envolveria principalmente investimentos e pesquisas na área. Ainda de acordo com esse assessor, a parceria está "ganhando concretude".

O presidente brasileiro aproveitou para destacar a aprovação do texto-base da reforma da Previdência no Senado e reforçou o interesse do Brasil de atrair mais investimentos e parcerias estrangeiras.

Além disso, afirmou que quer estimular parcerias educacionais para que mais brasileiros participem programas de estudo e trabalho no Japão.

Na visão de integrantes do Itamaraty, a presença de Bolsonaro como único chefe de Estado da América do Sul para a coroação do imperador japonês, Naruhito, foi vista como um gesto de boa vontade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsonaro diz que acordo Mercosul-Japão pode avançar em novembro


23/10/2019 | 08:06


Após reunião com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que foi dado "mais um passo" para viabilizar o acordo comercial entre o Mercosul e o Japão. Segundo Bolsonaro, o início das negociações será formalizado em novembro, quando Abe vai ao Brasil.

"Demos mais um passo na questão (do acordo) do Mercosul. Há interesse por parte dele (Abe) também", declarou Bolsonaro. Questionado se é possível oficializar o início do acordo no próximo mês, com a visita de Abe ao País, o presidente respondeu que sim. "Não há a menor dúvida", enfatizou.

O terceiro encontro entre Bolsonaro e o primeiro-ministro ocorreu no Palácio Akasaka, em Tóquio, e durou cerca de 15 minutos. "A reunião foi excelente", afirmou o presidente.

Bolsonaro também disse que recebeu o apoio de Abe para que o Brasil entre na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), embora admita que o processo deve demorar.

"Ele (Abe) falou que está favorável ao Brasil entrar. É uma operação demorada, dois, três anos.... Tem o apoio de peso que nós temos, já tivemos Israel e tantos outros. Tudo está caminhando bem para que tenhamos a coroação de uma viagem de sucesso", afirmou.

Interessado na abertura do mercado japonês para a carne brasileira, Bolsonaro convidou o primeiro-ministro para comer churrasco no Brasil. "Vamos a uma churrascaria", contou o presidente. Ao chegar no Japão, na segunda-feira, ele brincou que não comeria carne no país até que suínos e bovinos brasileiros sejam comercializados em restaurantes japoneses.

Bolsonaro e Shinzo Abe trataram, ainda, de uma possível parceria entre os países envolvendo minérios raros como nióbio, grafeno e lítio. De acordo com um assessor presidencial, a parceria envolveria principalmente investimentos e pesquisas na área. Ainda de acordo com esse assessor, a parceria está "ganhando concretude".

O presidente brasileiro aproveitou para destacar a aprovação do texto-base da reforma da Previdência no Senado e reforçou o interesse do Brasil de atrair mais investimentos e parcerias estrangeiras.

Além disso, afirmou que quer estimular parcerias educacionais para que mais brasileiros participem programas de estudo e trabalho no Japão.

Na visão de integrantes do Itamaraty, a presença de Bolsonaro como único chefe de Estado da América do Sul para a coroação do imperador japonês, Naruhito, foi vista como um gesto de boa vontade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;