Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

São Caetano será terceira a adotar pregão eletrônico


Juliana de Sordi Gattone
Do Diário do Grande ABC

03/09/2005 | 09:51


Seguindo o exemplo de Santo André e São Bernardo, São Caetano será a terceira cidade do Grande ABC a adotar, até o fim do ano, o pregão eletrônico, onde as licitações são realizadas via internet. Conhecido também como e-gov, a modalidade tem crescido entre as administrações públicas com o objetivo de reduzir não só o tempo para concluir uma compra, mas também para diminuir custos. Atualmente, a economia gira em torno de 20% em relação aos preços de mercado, aplicados em licitações tradicionais.

Enquanto os processos presenciais – aqueles onde os participantes devem estar presentes – demora até 120 dias para ser concluído, o e-gov leva, no máximo, 20 dias. Além disso, qualquer pessoa pode ter acesso à página do pregão para acompanhar o processo, sem necessidade de senha ou login. "Isso torna a licitação mais transparente", defende o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PTB).

O projeto de lei, para modificar a modalidade, ainda não foi enviado à Câmara, mas o vereador Angelo Pavin (PPS) registrou indicação ao prefeito – com todas as normas. "Eu já conversei com Auricchio sobre o assunto e ele gostou muito da idéia. Mas como se trata de indicação, o Executivo poderá adaptar o projeto a sua necessidade", disse.

Segundo o prefeito, a FGV (Fundação Getúlio Vargas) está implementando todo o novo processo, que inclui o plano de modernização administrativa, anunciado em meados deste ano. Ele explicou que para instalar o primeiro módulo de compra eletrônica basta acessar a BEC (Bolsa Eletrônica de Compras) que pertence ao Prodesp (Processamento de Dados do Estado de São Paulo). "Através desse sistema é possível atingir o pregão eletrônico, que permite compras, produtos e serviços no valor maior do que a BEC autoriza, de até R$ 8 mi."

Histórico – As prefeituras de Santo André e São Bernardo economizaram juntas no ano passado R$ 3,7 milhões com licitações eletrônicas, o que representa, em média, redução de 20% entre o valor cotado e o contratado no período. A diminuição dos custos é ainda maior se incluídos os gastos com publicação de editais.

Santo André realiza pregões eletrônicos desde 2002, quando contratou a empresa Paradigma Tecnologia de Negócios para dar suporte técnico às licitações pela Internet. No ano passado, dos R$ 12,3 milhões que a administração do prefeito João Avamileno (PT) esperava gastar com compras, contratou R$ 10 milhões, uma economia de 23% do que foi cotado para o que foi efetivamente comprado. Segundo a assessoria de imprensa, a medida foi adotada exatamente para desburocratização do processo e também por permitir economia de custo, tempo, material (papel) e funcionário.

Em São Bernardo a economia também foi significativa em 2004. Foram aproximadamente 1,9 mil negociações on-line que resultaram em uma economia de R$ 1,4 milhões. A administração do prefeito William Dib (PSB) esperava gastar R$ 7,6 milhões, mas contratou R$ 6,2 milhões, o que representa uma diminuição de 17,85% nos custos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;