Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cientistas estudam sobre homem e neandertal


Da AFP

15/11/2006 | 20:56


Os ancestrais do Neandertal se separaram de nossos antepassados há meio milhão de ano depois de uma longa coexistência, concluíram duas equipes de cientistas que analisaram o material genético de um osso com 38 mil anos.

As duas pesquisas, realizadas a partir do DNA de um fóssil encontrado em 1980 na gruta croata de Vindija, perto de Zagreb, chegam a conclusões bastante similares.

Essas duas análises, publicadas na revista britânica Nature e no jornal americano Science, concordam em afirmar que não se detectou uma mestiçagem entre nossa espécie e a dos Neandertais, um dos temas preferidos durante os últimos anos entre os antropólogos.

Segundo uma das equipes, o grande divórcio entre o Neandertal e o Homo Sapiens aconteceu há cerca de 516 mil anos, enquanto que o outro grupo de cientistas o situa entre 120 mil e 670 mil anos, inclinando-se por uma estimativa de aproximadamente 370 mil anos. Em contas resumidas, o último antepassado comum pode ter vivido há 706 mil anos.

O primeiro grupo, constituído por pesquisadores alemães, americanos e dirigido por Svante Paabo, analisou um milhão de pares de estruturas de ácido desoxirribonucléico (DNA, matéria-prima da herança genética). Estes cientistas analisaram por seqüenciação direta o DNA nuclear deste homem pré-histórico.

A segunda equipe, alemã-americana encabeçada por Edward Rubin, recorreu a outro método, a metagenômica, que permite comparar vários genomas entre si.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cientistas estudam sobre homem e neandertal

Da AFP

15/11/2006 | 20:56


Os ancestrais do Neandertal se separaram de nossos antepassados há meio milhão de ano depois de uma longa coexistência, concluíram duas equipes de cientistas que analisaram o material genético de um osso com 38 mil anos.

As duas pesquisas, realizadas a partir do DNA de um fóssil encontrado em 1980 na gruta croata de Vindija, perto de Zagreb, chegam a conclusões bastante similares.

Essas duas análises, publicadas na revista britânica Nature e no jornal americano Science, concordam em afirmar que não se detectou uma mestiçagem entre nossa espécie e a dos Neandertais, um dos temas preferidos durante os últimos anos entre os antropólogos.

Segundo uma das equipes, o grande divórcio entre o Neandertal e o Homo Sapiens aconteceu há cerca de 516 mil anos, enquanto que o outro grupo de cientistas o situa entre 120 mil e 670 mil anos, inclinando-se por uma estimativa de aproximadamente 370 mil anos. Em contas resumidas, o último antepassado comum pode ter vivido há 706 mil anos.

O primeiro grupo, constituído por pesquisadores alemães, americanos e dirigido por Svante Paabo, analisou um milhão de pares de estruturas de ácido desoxirribonucléico (DNA, matéria-prima da herança genética). Estes cientistas analisaram por seqüenciação direta o DNA nuclear deste homem pré-histórico.

A segunda equipe, alemã-americana encabeçada por Edward Rubin, recorreu a outro método, a metagenômica, que permite comparar vários genomas entre si.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;