Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ocupação do MTST recebe políticos para ato

Celso Luiz/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Evento foi convocado após disparo de arma de fogo ferir homem no braço, no sábado à tarde


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

18/09/2017 | 07:00


Ato de apoio à ocupação do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) reuniu pelo menos 10 mil pessoas na tarde de ontem no acampamento instalado em terreno privado no bairro Assunção, em São Bernardo, ocupado pelo grupo desde o dia 2. O evento, convocado pelas lideranças do movimento no sábado, após disparo de arma de fogo atingir o fundidor Aldinei Serapião da Silva, 40 anos, no braço esquerdo, contou com a presença de parlamentares, como o vereador da Capital Eduardo Suplicy (PT) e dos deputados federais Paulo Teixeira (PT), Carlos Zarattini (PT) e Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT), sindicatos e demais movimentos sociais.

“A gente veio para ficar. Vamos lutar para ser vizinho de vocês”, destacou ao microfone Guilherme Boulos, um dos coordenadores do MTST. O movimento alega que o tiro que atingiu Silva partiu de um dos condomínios localizados no entorno do terreno. Já o MCI (Movimento Contra a Invasão), que representa 10 mil famílias que vivem em prédios do bairro, alega que a responsabilidade sobre o ocorrido é do próprio movimento. O grupo diz, inclusive, que registrou boletim de ocorrência, ontem, ao flagrar, em vídeo, “dois indivíduos fazendo gestos de ameaças como se estivessem armados”.

Após conseguir suspender a ordem de reintegração de posse da área, pertencente à MZM, na sexta-feira, a partir de decisão do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), o MTST busca recursos para viabilizar a construção de moradias. “Conseguimos tempo para pressionar a construtora a negociar, mas para isso precisamos exigir repasse do governo federal”, destaca Josué Rocha. As famílias foram convocadas para dia de luta, na terça-feira, às 15h, na Estação da Luz.

A Ocupação Povo Sem Medo já concentra 7.000 famílias, conforme o MTST. A Prefeitura diz que não concorda com a invasão por moradia e que dispõe de programa habitacional.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;