Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Aidan e Paço divergem sobre período de férias


Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

19/02/2013 | 00:31


 

O ex-prefeito de Santo André Aidan Ravin (PTB) e a Prefeitura não se entendem sobre o prazo das férias que o petebista tem direito. Aidan pediu mais 45 dias de licença, mas o Paço alega que o médico concursado possui 30 dias para serem tirados.

O primeiro período de afastamento de Aidan, por licença prêmio, expirou na quinta-feira. Ele deveria voltar a atender no PA (Pronto Atendimento) da Vila Luzita na sexta-feira, mas não compareceu, alegando que seu plantão de 24 horas seria hoje. A Prefeitura, por sua vez, informou que o obstetra tinha como obrigação voltar a atender no PA no dia 15 e que a falta será computada pelo setor de recursos humanos. A Secretaria de Administração andreense ressaltou que os 45 dias de licença-prêmio foram referentes ao quinquênio de 1995 até 2000.

Ontem, o Executivo destacou que o ex-prefeito tem direito a tirar outros 30 dias de férias, referentes a um período anterior a 2009, ano em que Aidan assumiu o principal cargo público da cidade, após vencer a eleição no ano anterior. Antes disso, exerceu função de vereador por quatro anos: 2005 a 2008. A atual gestão não confirmou se houve pedido formal para programação das férias válidas a partir de hoje, pois a praça de atendimento já havia fechado.

O salário de um médico concursado no PA da Vila Luzita varia entre R$ 10.557,32 a R$ 25.487,99 mensais, conforme dados disponibilizados no Portal da Transparência.

Segundo a assessoria do ex-prefeito, ele pediu mais dias de licença "para descansar e fazer reuniões com aliados políticos". Desde que deixou o comando do Paço, em 31 de dezembro, Aidan não voltou ao posto de atendimento médico.

O Diário esteve no local na sexta-feira e conversou com servidores. Os funcionários criticaram as condições estruturais que a gestão Aidan deixou a unidade, que apresentava mofo nas paredes, sofá rasgado, bebedouro quebrado, entre outros problemas.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aidan e Paço divergem sobre período de férias

Cynthia Tavares
Do Diário do Grande ABC

19/02/2013 | 00:31


 

O ex-prefeito de Santo André Aidan Ravin (PTB) e a Prefeitura não se entendem sobre o prazo das férias que o petebista tem direito. Aidan pediu mais 45 dias de licença, mas o Paço alega que o médico concursado possui 30 dias para serem tirados.

O primeiro período de afastamento de Aidan, por licença prêmio, expirou na quinta-feira. Ele deveria voltar a atender no PA (Pronto Atendimento) da Vila Luzita na sexta-feira, mas não compareceu, alegando que seu plantão de 24 horas seria hoje. A Prefeitura, por sua vez, informou que o obstetra tinha como obrigação voltar a atender no PA no dia 15 e que a falta será computada pelo setor de recursos humanos. A Secretaria de Administração andreense ressaltou que os 45 dias de licença-prêmio foram referentes ao quinquênio de 1995 até 2000.

Ontem, o Executivo destacou que o ex-prefeito tem direito a tirar outros 30 dias de férias, referentes a um período anterior a 2009, ano em que Aidan assumiu o principal cargo público da cidade, após vencer a eleição no ano anterior. Antes disso, exerceu função de vereador por quatro anos: 2005 a 2008. A atual gestão não confirmou se houve pedido formal para programação das férias válidas a partir de hoje, pois a praça de atendimento já havia fechado.

O salário de um médico concursado no PA da Vila Luzita varia entre R$ 10.557,32 a R$ 25.487,99 mensais, conforme dados disponibilizados no Portal da Transparência.

Segundo a assessoria do ex-prefeito, ele pediu mais dias de licença "para descansar e fazer reuniões com aliados políticos". Desde que deixou o comando do Paço, em 31 de dezembro, Aidan não voltou ao posto de atendimento médico.

O Diário esteve no local na sexta-feira e conversou com servidores. Os funcionários criticaram as condições estruturais que a gestão Aidan deixou a unidade, que apresentava mofo nas paredes, sofá rasgado, bebedouro quebrado, entre outros problemas.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;