Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Oswaldo ganha força para a eleição de 2020


Raphael Rocha
Do dgabc.com.br

25/05/2019 | 07:00


<EM>Triprefeito de Mauá, Oswaldo Dias (PT) vem ganhando força para ser o candidato do partido em 2020. Embora o petismo da cidade esteja, atualmente, inclinado a apostar em eventual candidatura ao Paço do vereador Marcelo Oliveira (PT), começa a ganhar corpo um projeto eleitoral liderado por Oswaldo. Tanto que o setor jurídico da legenda já monitora a situação jurídica do ex-chefe do Executivo. Oswaldo foi candidato a deputado estadual em 2018, mas teve candidatura impugnada porque o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) citou contrato irregular de uma das gestões do petista como motivo para inelegibilidade. Advogados ligados ao partido asseguram que a punição expirou, o que abre portas para Oswaldo. A possibilidade ganhou ainda mais força quando o deputado federal Alexandre Padilha, vice-presidente nacional do PT, considerou Oswaldo como nome ideal para a corrida eleitoral de Mauá. 

Recall
A classe política de Mauá, fora do PT, já vinha monitorando o crescimento do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT) na cidade, em especial na periferia. Oswaldo foi prefeito entre 1997 e 2004 e de 2009 a 2012. A primeira passagem foi considerada boa gestão. A última deixou a desejar, até porque, o petista herdou um governo – de Leonel Damo – com muitos problemas políticos e financeiros. Na retina da população estão os dois primeiros mandatos do petista. Diante de um quadro incerto e turbulento, o recall eleitoral de Oswaldo pode ser determinante.

Goiabas
Aliado do ex-prefeito Aidan Ravin (Podemos) em Santo André e ex-assessor de vereadores na cidade, Luiz Carlos de Oliveira, conhecido como Luizinho, compareceu na quinta-feira à Câmara andreense reclamando da administração, em protesto inusitado. Atualmente, Luizinho vende goiabinhas em semáforo na Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, nas proximidades do Estádio Bruno José Daniel. Consigo, tem carregado uma faixa criticando a atual gestão. Luizinho diz que, nesta semana, foi abordado por GCMs (Guardas-Civis Municipais) de forma truculenta. Ele alegou ter sido jogado no chão durante a ação. Na Câmara, Luizinho resolveu levar a polêmica faixa e distribuiu as goiabinhas aos munícipes presentes.

Bancada tucana – 1
O convite do prefeito em exercício de São Caetano, Beto Vidoski (PSDB), aos vereadores Marcel Munhoz (Cidadania) e Suely Nogueira (MDB) para filiação tumultuou o ambiente na bancada tucana na Câmara. Para amplificar o mal-estar, Olyntho Voltarelli (PSDB), primeiro secretário da mesa diretora, não compareceu à sessão solene que concedeu título de cidadão são-caetanense ao bispo dom Pedro Carlos Cipollini, na noite de quinta-feira.

Bancada tucana – 2
A falta de Olyntho Voltarelli (PSDB) à solenidade abriu espaço para que Marcel Munhoz (Cidadania) e Suely Nogueira (MDB), presentes ao ato, pudessem coletar pontos positivos junto à comunidade católica da cidade. No fim do dia, porém, a tentativa de mostrar união da bancada foi feita: os tucanos Olyntho, Daniel Cordoba (vereador licenciado e secretário de Assistência e Inclusão Social), Ricardo Andrejuk e Marcos Fontes foram jantar pizza.

Conversa
Ainda na sessão solene, chamou atenção um fato. Após a cerimônia, o vereador Marcel Munhoz (Cidadania) recebeu em seu gabinete o ex-vereador e ex-prefeiturável Fabio Palacio (PSD). A conversa, segundo quem esteve nos corredores da Câmara de São Caetano, durou duas horas. Muita gente estranhou, porque Marcel comentou com aliados que a proposta de migração para o PSDB, do prefeito José Auricchio Júnior, foi interessante.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oswaldo ganha força para a eleição de 2020

Raphael Rocha
Do dgabc.com.br

25/05/2019 | 07:00


<EM>Triprefeito de Mauá, Oswaldo Dias (PT) vem ganhando força para ser o candidato do partido em 2020. Embora o petismo da cidade esteja, atualmente, inclinado a apostar em eventual candidatura ao Paço do vereador Marcelo Oliveira (PT), começa a ganhar corpo um projeto eleitoral liderado por Oswaldo. Tanto que o setor jurídico da legenda já monitora a situação jurídica do ex-chefe do Executivo. Oswaldo foi candidato a deputado estadual em 2018, mas teve candidatura impugnada porque o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) citou contrato irregular de uma das gestões do petista como motivo para inelegibilidade. Advogados ligados ao partido asseguram que a punição expirou, o que abre portas para Oswaldo. A possibilidade ganhou ainda mais força quando o deputado federal Alexandre Padilha, vice-presidente nacional do PT, considerou Oswaldo como nome ideal para a corrida eleitoral de Mauá. 

Recall
A classe política de Mauá, fora do PT, já vinha monitorando o crescimento do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT) na cidade, em especial na periferia. Oswaldo foi prefeito entre 1997 e 2004 e de 2009 a 2012. A primeira passagem foi considerada boa gestão. A última deixou a desejar, até porque, o petista herdou um governo – de Leonel Damo – com muitos problemas políticos e financeiros. Na retina da população estão os dois primeiros mandatos do petista. Diante de um quadro incerto e turbulento, o recall eleitoral de Oswaldo pode ser determinante.

Goiabas
Aliado do ex-prefeito Aidan Ravin (Podemos) em Santo André e ex-assessor de vereadores na cidade, Luiz Carlos de Oliveira, conhecido como Luizinho, compareceu na quinta-feira à Câmara andreense reclamando da administração, em protesto inusitado. Atualmente, Luizinho vende goiabinhas em semáforo na Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, nas proximidades do Estádio Bruno José Daniel. Consigo, tem carregado uma faixa criticando a atual gestão. Luizinho diz que, nesta semana, foi abordado por GCMs (Guardas-Civis Municipais) de forma truculenta. Ele alegou ter sido jogado no chão durante a ação. Na Câmara, Luizinho resolveu levar a polêmica faixa e distribuiu as goiabinhas aos munícipes presentes.

Bancada tucana – 1
O convite do prefeito em exercício de São Caetano, Beto Vidoski (PSDB), aos vereadores Marcel Munhoz (Cidadania) e Suely Nogueira (MDB) para filiação tumultuou o ambiente na bancada tucana na Câmara. Para amplificar o mal-estar, Olyntho Voltarelli (PSDB), primeiro secretário da mesa diretora, não compareceu à sessão solene que concedeu título de cidadão são-caetanense ao bispo dom Pedro Carlos Cipollini, na noite de quinta-feira.

Bancada tucana – 2
A falta de Olyntho Voltarelli (PSDB) à solenidade abriu espaço para que Marcel Munhoz (Cidadania) e Suely Nogueira (MDB), presentes ao ato, pudessem coletar pontos positivos junto à comunidade católica da cidade. No fim do dia, porém, a tentativa de mostrar união da bancada foi feita: os tucanos Olyntho, Daniel Cordoba (vereador licenciado e secretário de Assistência e Inclusão Social), Ricardo Andrejuk e Marcos Fontes foram jantar pizza.

Conversa
Ainda na sessão solene, chamou atenção um fato. Após a cerimônia, o vereador Marcel Munhoz (Cidadania) recebeu em seu gabinete o ex-vereador e ex-prefeiturável Fabio Palacio (PSD). A conversa, segundo quem esteve nos corredores da Câmara de São Caetano, durou duas horas. Muita gente estranhou, porque Marcel comentou com aliados que a proposta de migração para o PSDB, do prefeito José Auricchio Júnior, foi interessante.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;