Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

França suspende 3 mil trabalhadores do setor de saúde que não se vacinaram

Divulgação/ Angelo Baima/ PSA Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


16/09/2021 | 18:12


Cerca de 3 mil funcionários de hospitais, lares de idosos e clínicas particulares da França foram suspensos após não cumprirem a vacinação obrigatória contra a covid-19, anunciou o governo nesta quinta-feira, 16, enquanto países da Europa avaliam o limite das medidas impostas para combater a pandemia.

O governo francês determinou a quarta-feira, 15, como prazo final para que cerca de 2,7 milhões de trabalhadores do setor de saúde - como médicos, enfermeiros, profissionais de assistência domiciliar, socorristas e técnicos de atendimento de urgência - tomassem pelo menos a primeira dose de qualquer imunizante autorizado no país.

"Ontem quarta, cerca de 3 mil suspensões foram notificadas ao pessoal de centros de saúde por não terem recebido pelo menos uma dose da vacina", disse o ministro da Saúde, Olivier Véran, à rádio RTL, acrescentando que dezenas de funcionários também foram demitidos.

Em meados de julho, o presidente Emmanuel Macron anunciou medidas de combate à covid-19 na tentativa de pressionar os franceses a se vacinarem. O público geral passou a ter que apresentar uma espécie de passaporte sanitário para frequentar espaços compartilhados, como restaurantes, academias e museus. Na mesma ocasião, foi informado o prazo final para os trabalhadores de saúde e as medidas - suspensão do trabalho e de seus pagamentos.

Apesar de polêmica, a medida garantiu alguns resultados práticos. Autoridades de saúde apontam que cerca de 84% dos funcionários de estabelecimentos de saúde tomaram as duas doses da vacina até o dia 7 de setembro. Verán afirmou que mesmo com as demissões e a suspensão dos funcionários, o sistema de saúde do país não corre risco.

A estimativa da autoridade de saúde francesa, Santé Publique - citada pelo jornal The Guardian - é de que menos de 12% dos funcionários do setor hospitalar deixaram de se vacinar. O número é de aproximadamente 6%, se considerados os médicos de estabelecimentos privados.

Atualmente, pouco menos de 47 milhões de franceses com 12 anos ou mais estão totalmente vacinados, o que representa 81,4% da população. Pelo menos 86,1% receberam a primeira dose.

A França acumula mais de 115 mil mortes por coronavírus desde o começo da pandemia. Todos os viajantes, exceto os totalmente vacinados, devem apresentar teste negativo de covid-19 para entrar no país. O uso de máscara é obrigatório em transportes públicos e áreas compartilhadas. (Com agências internacionais)



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;