Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Médicos suspendem boicote a cinco planos de saúde


Luciana Sereno
e Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

18/06/2004 | 21:01


Cinco planos de saúde que atuam no Grande ABC saíram da lista de operadoras boicotadas pelos médicos credenciados após apresentarem propostas que elevaram o valor pago pelas consultas médicas. A decisão foi tomada durante assembléia realizada na noite desta quinta em São Bernardo. Na região, o movimento, iniciado em fevereiro, chegou a atingir 22 planos de saúde.

Com as propostas aceitas, Golden Cross, Intermedice, Unihosp, Imasf e Classes Laboriosas voltaram imediatamente a atender os pacientes. Durante o boicote, os médicos credenciados suspenderam a aceitação de guias e para passar por consulta, o cliente tinha de pagar o valor cobrado pelo médico e depois negociar o reembolso junto à operadora. Atendimentos de urgência e emergência não sofreram retaliações. Os médicos reivindicam valor mínimo de R$ 42 por consulta e a implementação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos.

Para o presidente do Movimento Médico do Grande ABC, Romildo Gerbelli, os acertos mostram que o “movimento está consolidado e que a classe está mesmo disposta a lutar pelo piso mínimo previsto na classificação”. De acordo com ele, a Green Line (que também está na lista de operadoras boicotadas) também apresentou uma proposta. “Foi recusada porque estipulamos o mínimo de R$ 22 por consulta para iniciar a negociação.” A proposta da Green Line foi de aumentar de R$ 16,50 para R$ 18,50 o valor da consulta. Gerbelli acredita que na próxima semana pelo menos a Intermédica apresente seus novos valores.

Entre as operadoras que já estão fora do boicote, Intermedice e Imasf começam imediatamente a praticar os novos valores por consulta. “A Intermedice passou de R$ 13,50 para R$ 25 e o Imasf de R$ 18 e R$ 21,60 para R$ 25.” A partir de 1º de julho, passam a valer os novos valores para Unihosp, Classes Laboriosas e Golden Cross. Os novos valores serão de R$ 26, R$ 22,80 e R$ 30, respectivamente.

Quanto à implementação da classificação, as discussões devem ser retomadas em agosto. “Por ora, apenas com a Golden Cross está firmado o compromisso de a implementação entrar em vigor a partir de 1º de julho de 2005, para consultas e honorários”, explicou Gerbelli.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Médicos suspendem boicote a cinco planos de saúde

Luciana Sereno
e Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

18/06/2004 | 21:01


Cinco planos de saúde que atuam no Grande ABC saíram da lista de operadoras boicotadas pelos médicos credenciados após apresentarem propostas que elevaram o valor pago pelas consultas médicas. A decisão foi tomada durante assembléia realizada na noite desta quinta em São Bernardo. Na região, o movimento, iniciado em fevereiro, chegou a atingir 22 planos de saúde.

Com as propostas aceitas, Golden Cross, Intermedice, Unihosp, Imasf e Classes Laboriosas voltaram imediatamente a atender os pacientes. Durante o boicote, os médicos credenciados suspenderam a aceitação de guias e para passar por consulta, o cliente tinha de pagar o valor cobrado pelo médico e depois negociar o reembolso junto à operadora. Atendimentos de urgência e emergência não sofreram retaliações. Os médicos reivindicam valor mínimo de R$ 42 por consulta e a implementação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos.

Para o presidente do Movimento Médico do Grande ABC, Romildo Gerbelli, os acertos mostram que o “movimento está consolidado e que a classe está mesmo disposta a lutar pelo piso mínimo previsto na classificação”. De acordo com ele, a Green Line (que também está na lista de operadoras boicotadas) também apresentou uma proposta. “Foi recusada porque estipulamos o mínimo de R$ 22 por consulta para iniciar a negociação.” A proposta da Green Line foi de aumentar de R$ 16,50 para R$ 18,50 o valor da consulta. Gerbelli acredita que na próxima semana pelo menos a Intermédica apresente seus novos valores.

Entre as operadoras que já estão fora do boicote, Intermedice e Imasf começam imediatamente a praticar os novos valores por consulta. “A Intermedice passou de R$ 13,50 para R$ 25 e o Imasf de R$ 18 e R$ 21,60 para R$ 25.” A partir de 1º de julho, passam a valer os novos valores para Unihosp, Classes Laboriosas e Golden Cross. Os novos valores serão de R$ 26, R$ 22,80 e R$ 30, respectivamente.

Quanto à implementação da classificação, as discussões devem ser retomadas em agosto. “Por ora, apenas com a Golden Cross está firmado o compromisso de a implementação entrar em vigor a partir de 1º de julho de 2005, para consultas e honorários”, explicou Gerbelli.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;