Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Bordéis da Alemanha se armam para festa da Copa


Thiago Varella
Especial para o Diário

25/04/2006 | 08:54


Mais de um milhão de torcedores devem invadir a Alemanha durante a Copa. Por isso, o mundo dos negócios está ansiosamente esperando estes turistas para alavancar seus negócios. A indústria do sexo alemã não é exceção.

Diferentemente do Brasil, a prostituição é legal na Alemanha. Mais de 400 mil prostitutas são registradas no país. Por isso, os bordéis do país já se preparam para o aumento de movimento. O Artemis, maior casa de prostituição de Berlim, é um deles. Em sua campanha de marketing para o Mundial, já foram impressos milhares de panfletos que serão entregues nos hotéis da cidade e no Estádio Olímpico.

O Artemis recebe uma média de 130 visitantes por dia, número que deve aumentar bastante durante o Mundial. “Nós estamos pensando em trabalhar o dia todo durante a Copa. Provavelmente o número de clientes deve aumentar para 250 a 350 por dia, mas nos preparamos para receber até 500 se for preciso”, disse Egbert Krumeich, gerente da casa.

O grande medo das autoridades alemãs é que o número de prostitutas ilegais e forçadas aumente. Mais de 40 mil mulheres de países do leste europeu devem ir trabalhar como prostitutas ilegalmente na Alemanha no período da competição. A maioria delas contra a própria vontade. (Supervisão de Angelo Verotti)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bordéis da Alemanha se armam para festa da Copa

Thiago Varella
Especial para o Diário

25/04/2006 | 08:54


Mais de um milhão de torcedores devem invadir a Alemanha durante a Copa. Por isso, o mundo dos negócios está ansiosamente esperando estes turistas para alavancar seus negócios. A indústria do sexo alemã não é exceção.

Diferentemente do Brasil, a prostituição é legal na Alemanha. Mais de 400 mil prostitutas são registradas no país. Por isso, os bordéis do país já se preparam para o aumento de movimento. O Artemis, maior casa de prostituição de Berlim, é um deles. Em sua campanha de marketing para o Mundial, já foram impressos milhares de panfletos que serão entregues nos hotéis da cidade e no Estádio Olímpico.

O Artemis recebe uma média de 130 visitantes por dia, número que deve aumentar bastante durante o Mundial. “Nós estamos pensando em trabalhar o dia todo durante a Copa. Provavelmente o número de clientes deve aumentar para 250 a 350 por dia, mas nos preparamos para receber até 500 se for preciso”, disse Egbert Krumeich, gerente da casa.

O grande medo das autoridades alemãs é que o número de prostitutas ilegais e forçadas aumente. Mais de 40 mil mulheres de países do leste europeu devem ir trabalhar como prostitutas ilegalmente na Alemanha no período da competição. A maioria delas contra a própria vontade. (Supervisão de Angelo Verotti)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;