Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Hábitos saudáveis garantem coração forte

Alimentação, exercícios e suplementação, desde que feita com cautela, são aliados da saúde


Camila Galvez
Do Diário do Grande ABC

29/09/2014 | 07:00


No Dia Mundial do Coração, comemorado hoje, não é demais lembrar que hábitos de vida saudáveis podem prevenir doenças coronárias como arritmia e infarto do miocárdio, que, em muitos casos, levam à morte. Alimentação correta, prática de exercícios físicos e até mesmo suplementação nutricional, desde que feita com cautela, podem ajudar a evitar problemas.

Segundo o doutor em cardiologia pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Bruno Valdigem, são muitos os fatores que levam ao risco de doenças cardíacas adquiridas, ou seja, que não tem causas genéticas. “Sedentarismo, obesidade abdominal, tabagismo, dieta, diabetes e hipertensão não controladas são os principais fatores. Vale lembrar que fumantes com menos de 35 anos podem infartar e a maioria das mulheres que tem infarto antes da menopausa usam anticoncepcionais e fumam, combinação maligna para o coração.”

O médico indica alimentação fracionada ao longo do dia, com abuso de frutas e saladas e pouca gordura e carboidratos. Segundo Valdigem, álcool deve ser evitado, pois se transforma em gordura logo após seu consumo. Também tem efeitos imediatos sobre a pressão arterial e tardios sobre o fígado e o cérebro.

No caso da suplementação, o engenheiro químico Paulo Reimann, da empresa andreense projetoVhita, destaca que pesquisas apontam para os benefícios do consumo do ômega 3, principalmente se ingerido desde a infância. “Sabemos que dietas e exercícios são necessários, mas muitos não seguem. Portanto, a suplementação ajuda, desde que feita cedo e com produtos de qualidade.”

O alerta do cardiologista é o mesmo. “Ômega 3 e alguns derivados de uva e vinho têm efeito protetor cardiovascular, mas devem ser usados de forma cuidadosa, com produtos de qualidade.”

O aposentado de Santo André Sérgio Soares, 61 anos, recupera-se de infarto do miocárdio sofrido em abril. “Não tinha uma alimentação ruim, mas fazia pouco exercício e gostava de embutidos e refrigerante. O médico proibiu e agora faço 30 minutos de caminhada diária para evitar outros problemas”, garante ele depois de passar por cirurgia no Hospital Mário Covas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hábitos saudáveis garantem coração forte

Alimentação, exercícios e suplementação, desde que feita com cautela, são aliados da saúde

Camila Galvez
Do Diário do Grande ABC

29/09/2014 | 07:00


No Dia Mundial do Coração, comemorado hoje, não é demais lembrar que hábitos de vida saudáveis podem prevenir doenças coronárias como arritmia e infarto do miocárdio, que, em muitos casos, levam à morte. Alimentação correta, prática de exercícios físicos e até mesmo suplementação nutricional, desde que feita com cautela, podem ajudar a evitar problemas.

Segundo o doutor em cardiologia pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Bruno Valdigem, são muitos os fatores que levam ao risco de doenças cardíacas adquiridas, ou seja, que não tem causas genéticas. “Sedentarismo, obesidade abdominal, tabagismo, dieta, diabetes e hipertensão não controladas são os principais fatores. Vale lembrar que fumantes com menos de 35 anos podem infartar e a maioria das mulheres que tem infarto antes da menopausa usam anticoncepcionais e fumam, combinação maligna para o coração.”

O médico indica alimentação fracionada ao longo do dia, com abuso de frutas e saladas e pouca gordura e carboidratos. Segundo Valdigem, álcool deve ser evitado, pois se transforma em gordura logo após seu consumo. Também tem efeitos imediatos sobre a pressão arterial e tardios sobre o fígado e o cérebro.

No caso da suplementação, o engenheiro químico Paulo Reimann, da empresa andreense projetoVhita, destaca que pesquisas apontam para os benefícios do consumo do ômega 3, principalmente se ingerido desde a infância. “Sabemos que dietas e exercícios são necessários, mas muitos não seguem. Portanto, a suplementação ajuda, desde que feita cedo e com produtos de qualidade.”

O alerta do cardiologista é o mesmo. “Ômega 3 e alguns derivados de uva e vinho têm efeito protetor cardiovascular, mas devem ser usados de forma cuidadosa, com produtos de qualidade.”

O aposentado de Santo André Sérgio Soares, 61 anos, recupera-se de infarto do miocárdio sofrido em abril. “Não tinha uma alimentação ruim, mas fazia pouco exercício e gostava de embutidos e refrigerante. O médico proibiu e agora faço 30 minutos de caminhada diária para evitar outros problemas”, garante ele depois de passar por cirurgia no Hospital Mário Covas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;