Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Varejo tem melhor agosto em nove anos


Paula Cabrera
Do Diário do Grande ABC

15/10/2010 | 07:02


O bom momento da economia trouxe recorde para o varejo. O segmento registrou o melhor mês de agosto para vendas dos últimos nove anos. A pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada ontem aponta ainda que o Dia dos Pais deste ano foi fator fundamental para o bom desempenho, assim como as vendas dos super e hipermercados.

De acordo com o estudo, a comercialização do setor aumentou 2% ante julho e subiu 10,4% em comparação a igual período do ano passado. No entanto, o mês é apenas o segundo melhor para vendas neste ano, perdendo para janeiro, quando o crescimento registrado no período foi de 2,8% em relação ao mês anterior.

Os bons resultados são, na verdade, reflexo da estabilidade da economia nacional, segundo o técnico da coordenação de serviços e comércios do instituto, Reinaldo Pereira.

"Temos variáveis macroeconômicas que respondem por esse crescimento como o aumento de massa salarial, do emprego formal. Além disso, tivemos as categorias com reajuste na data-base acima da inflação, o que ocasiona aumento real de renda e maior oferta de crédito", explica.

Pereira destaca a "estabilidade de preços" e o papel da valorização do real em relação ao dólar na redução dos custos no supermercados em produtos de informática, celulares e eletrodomésticos para justificar que o desempenho dos próximos meses também será bom. "A estabilidade favorece a importação de produtos mais baratos e obriga os nacionais a segurarem preços, o que ajuda muito o comércio. É uma conjugação de bom momento", diz.

Ele exemplifica que duas atividades com peso importante na pesquisa - supermercados e eletrodomésticos - têm preços atrelados à cotação do dólar, por causa do volume de importações. As vendas varejistas do segmento de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que têm maior peso na pesquisa (cerca de 30%), responderam sozinhas por 3,5 ponto percentual, ou 34% da alta nas vendas varejistas em agosto ante igual mês do ano passado. Esse segmento registrou elevação na comercialização de 1,2% em agosto ante julho e elevação de 7,2% em relação há um ano antes.

A segunda principal influência no aumento das vendas no varejo foi dada por móveis e eletrodomésticos (2,7 ponto percentual). Essa atividade registrou expansão de 2,9% em agosto ante julho e alta de 16,7% ante agosto de 2009. (com agências)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Varejo tem melhor agosto em nove anos

Paula Cabrera
Do Diário do Grande ABC

15/10/2010 | 07:02


O bom momento da economia trouxe recorde para o varejo. O segmento registrou o melhor mês de agosto para vendas dos últimos nove anos. A pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada ontem aponta ainda que o Dia dos Pais deste ano foi fator fundamental para o bom desempenho, assim como as vendas dos super e hipermercados.

De acordo com o estudo, a comercialização do setor aumentou 2% ante julho e subiu 10,4% em comparação a igual período do ano passado. No entanto, o mês é apenas o segundo melhor para vendas neste ano, perdendo para janeiro, quando o crescimento registrado no período foi de 2,8% em relação ao mês anterior.

Os bons resultados são, na verdade, reflexo da estabilidade da economia nacional, segundo o técnico da coordenação de serviços e comércios do instituto, Reinaldo Pereira.

"Temos variáveis macroeconômicas que respondem por esse crescimento como o aumento de massa salarial, do emprego formal. Além disso, tivemos as categorias com reajuste na data-base acima da inflação, o que ocasiona aumento real de renda e maior oferta de crédito", explica.

Pereira destaca a "estabilidade de preços" e o papel da valorização do real em relação ao dólar na redução dos custos no supermercados em produtos de informática, celulares e eletrodomésticos para justificar que o desempenho dos próximos meses também será bom. "A estabilidade favorece a importação de produtos mais baratos e obriga os nacionais a segurarem preços, o que ajuda muito o comércio. É uma conjugação de bom momento", diz.

Ele exemplifica que duas atividades com peso importante na pesquisa - supermercados e eletrodomésticos - têm preços atrelados à cotação do dólar, por causa do volume de importações. As vendas varejistas do segmento de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que têm maior peso na pesquisa (cerca de 30%), responderam sozinhas por 3,5 ponto percentual, ou 34% da alta nas vendas varejistas em agosto ante igual mês do ano passado. Esse segmento registrou elevação na comercialização de 1,2% em agosto ante julho e elevação de 7,2% em relação há um ano antes.

A segunda principal influência no aumento das vendas no varejo foi dada por móveis e eletrodomésticos (2,7 ponto percentual). Essa atividade registrou expansão de 2,9% em agosto ante julho e alta de 16,7% ante agosto de 2009. (com agências)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;