Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Guarda apreende animais silvestres em Mauá


Iara Vieira
Especial para o Diário

13/07/2005 | 08:04


A partir de uma denúncia anônima, o policiamento ambiental da Guarda Civil Municipal de Mauá apreendeu segunda-feira cinco animais silvestres e uma gaiola com seis arapucas para aprisionar pássaros. A apreensão foi feita em uma residência na rua Carmem Miranda, no Jardim Sonia Maria.

Os animais - um exemplar do pássaro colerinha, dois tico-ticos e dois sagüis - não estavam machucados. Os sagüis, que ficavam na mesma gaiola e eram abrigados apenas em um saco para dormir, estavam muito agitados. O suposto dono dos sagüis, Averaldo Oliveira Jandiroba, afirmou que os animais foram deixados em sua residência por um conhecido que depois retornaria para buscá-los. Oliveira, ao ser abordado por homens da Guarda, assinou um termo de doação dos animais e por esse motivo não deverá ser penalizado.

Os animais serão encaminhados ao Parque Tietê onde biólogos e veterinários farão exames para identificar se estão em boas condições de saúde. Somente após cumprirem quarentena serão devolvidos ao habitat natural.

A ambientalista Lívia Maria Botar, da entidade Projeto Mucky, diz que muitas pessoas gostariam de manter ou mantêm animais aprisionados em casa e não sabem os prejuízos que causam aos bichos e à natureza. Para ela, o sonho romântico de que é só abrir a porta da gaiola para o animal voltar à liberdade é uma utopia que deve ser combatida. "Os animais em cativeiro perdem as características da espécie e por isso têm dificuldades para retornar ao seu habitat", afirma Lívia.

Os animais silvestres são protegidos pela legislação brasileira. A lei federal 9.605, de 1998, proíbe comércio, posse, maus-tratos e caça de animais silvestres. A lei prevê ainda pena que varia de prisão a multa, conforme o delito cometido.

Projeto Mucky - A ambientalista Lívia Maria Botar é fundadora e coordenadora do Projeto Mucky, que tem como objetivo preservar primatas provenientes do tráfico de animais silvestres. A ONG (Organização Não-Governamental) atua na proteção da fauna da mata atlântica, especialmente os sagüis. Em parceria com universidades, a ONG desenvolve pesquisas e atua com programas de educação ambiental.

Como proceder

É possível legalizar um animal silvestre?

O Ibama não legaliza ou regulariza a posse de animais de origem desconhecida ou que tenham sido adquiridos em desacordo com o que estabelece a lei 9.612/98 de crimes ambientais.

Como posso conseguir um animal silvestre legalmente?

É possível adquirir um animal silvestre após ter sido emitido certificado de que o animal é procedente de criadouros comerciais devidamente autorizados pelo Ibama. Quem vende deve provar a procedência e fornecer nota fiscal.

Como fazer para denunciar o tráfico e a venda ilegal de animais?

Entrar em contato com:

Linha verde do Ibama - 0800-618080.

Polícia Ambiental do Grande ABC - 4123 2364 ou 0800-132060.

Em Mauá, as denúncias ou doações devem ser feitas pelos telefones 0800-773980 e 4549-8011 (Posto Avançado da Guarda Municipal do Jardim Sônia Mauá).



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;