Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Hostilidade à guerra aumenta no ramadã


Das Agências

14/11/2001 | 12:34


Os sentimentos hostis à guerra contra o Afeganistão na Arábia Saudita, berço do islã, tornam-se mais intensos durante o ramadã, mês sagrado muçulmano, que começa esta semana. Religiosos, pregadores, escritores e autoridades políticas da Arábia Saudita, país que aplica estritamente a sharia (lei islâmica), disseram ser contra os bombardeios, que, em princípio, continuarão durante o ramadã.

Membros do Comitê de Ulemás (a mais alta autoridade religiosa da Arábia Saudita), presidido pelo grande mufti, criticaram a guerra no Afeganistão, dizendo que ela põe em risco a vida de "irmãos muçulmanos".

"Posso dizer que, apesar de numerosos sauditas não aprovarem os atentados contra os Estados Unidos nem os atos de Osama Bin Laden, eles se opõem veementemente à guerra contra o Afeganistão", assinalou um analista em Riad. O povo saudita é "muito religioso é não se pode esperar que apóie a matança de outros muçulmanos. Acredito que o sentimento contrário à guerra aumentará durante o ramadã", acrescentou a fonte, que pediu para não ser identificada.

O ramadã, que este ano começa quinta ou sexta-feira, é um período de orações que prescreve o jejum num período diário entre o alvorecer e o pôr do sol, e festividades à noite.

O islã não proíbe oficialmente a guerra durante o ramadã. Foi durante esse mês que o profeta Maomé conquistou Meca, no ano 630. Mas também é nesse período que o sentimento de solidariedade aos muçulmanos do mundo, principalmente afegãos, iraquianos e palestinos, é mais forte, e que o conceito de guerra santa e sacrifício está particularmente presente.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;