Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

5 dicas para conservar a motocicleta durante a quarentena

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação, com assessoria
Do Garagem360

22/04/2020 | 14:19


Assim como os automóveis, motocicletas que ficam paradas por muito tempo precisam de cuidados especiais. A Harley-Davidson separou cinco dicas importantes para cuidar das motos durante o período de isolamento social e garantir que elas estejam sempre prontas para voltar às ruas.

LEIA MAIS: WhatsApp e redes sociais: concessionárias Ducati exploram novas formas de atendimento
100 anos de Suzuki: veja a trajetória da marca japonesa

Motocicletas paradas: 5 dicas de manutenção preventiva 

1. Bateria 

Quando uma motocicleta fica parada por muito tempo, a bateria pode perder a carga e não ter capacidade de dar partida. O recomendado é ligar a o veículo e colocá-lo em movimento para o sistema elétrico poder realizar a recarga da bateria. Porém, essa situação só é indicada para quem reside em um condomínio fechado ou em um bairro tranquilo, ou então em garagens grandes de prédios. Lembre-se: ligar a motocicleta e não rodar não tem a mesma eficiência para recarga da bateria, além de não oferecer a refrigeração necessária para o motor. Também é recomendado desligar o polo negativo da bateria ou retirar o fusível principal da motocicleta, que pode ser a tarefa mais fácil.

2. Combustível 

Nos casos em que a motocicleta fica parada por longos períodos, a recomendação é de que ela seja abastecida com gasolina premium de alta octanagem, que tem um prazo de validade maior.  Isso significa que ela dura mais tempo dentro do tanque, mantendo as características essenciais. Além disso, esse tipo de gasolina tem menor teor de etanol anidro em sua composição – 25% contra 27% das comuns.

3. Óleo

A mesma precaução existe com o óleo, que também pode oxidar e ficar contaminado quando a motocicleta acaba permanecendo parada e sem atividade por muito tempo. O óleo escorre para o cárter, deixando as partes superiores do motor com uma lubrificação deficiente. Por isso, é essencial utilizar o componente recomendado pelo fabricante. No caso das motocicletas paradas, a troca do óleo deve ser realizada por intervalo de tempo e não por quilometragem rodada.

4. Pneus

É extremamente importante não deixar os pneus murchos. Lembre-se de calibrar com a pressão indicada no manual do proprietário. Caso a moto fique parada por muito tempo, é recomendada a calibragem máxima permitida no manual (como se estivesse com piloto, passageiro e carga) em PSI. Em casos extremos, que demandam muito tempo, mas podem ocorrer, os pneus em contato com o solo em uma só posição prolongada podem sofrer deformação e “achatar” levemente com perda de pressão. Quando for rodar novamente, o piloto pode sentir diferença na condução até o pneu aquecer e recobrar a circunferência padrão,

5. Proteção

É importante usar uma capa para proteger a motocicleta – principalmente se ela estiver em uma garagem que também recebe animais de estimação, que podem arranhar paralamas, carenagens, alforges, pneu, banco, e até urinar nas rodas. Antes de guardar a moto na garagem, lave-a com água e sabão neutro (evite produtos químicos). Lembre-se de realizar uma secagem na pintura, cromados e quadro. Quem reside em regiões litorâneas também pode usar antioxidantes nas partes metálicas, para reduzir problemas causados pela maresia.

Motos mais impressionantes do mundo



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

5 dicas para conservar a motocicleta durante a quarentena

Da Redação, com assessoria
Do Garagem360

22/04/2020 | 14:19


Assim como os automóveis, motocicletas que ficam paradas por muito tempo precisam de cuidados especiais. A Harley-Davidson separou cinco dicas importantes para cuidar das motos durante o período de isolamento social e garantir que elas estejam sempre prontas para voltar às ruas.

LEIA MAIS: WhatsApp e redes sociais: concessionárias Ducati exploram novas formas de atendimento
100 anos de Suzuki: veja a trajetória da marca japonesa

Motocicletas paradas: 5 dicas de manutenção preventiva 

1. Bateria 

Quando uma motocicleta fica parada por muito tempo, a bateria pode perder a carga e não ter capacidade de dar partida. O recomendado é ligar a o veículo e colocá-lo em movimento para o sistema elétrico poder realizar a recarga da bateria. Porém, essa situação só é indicada para quem reside em um condomínio fechado ou em um bairro tranquilo, ou então em garagens grandes de prédios. Lembre-se: ligar a motocicleta e não rodar não tem a mesma eficiência para recarga da bateria, além de não oferecer a refrigeração necessária para o motor. Também é recomendado desligar o polo negativo da bateria ou retirar o fusível principal da motocicleta, que pode ser a tarefa mais fácil.

2. Combustível 

Nos casos em que a motocicleta fica parada por longos períodos, a recomendação é de que ela seja abastecida com gasolina premium de alta octanagem, que tem um prazo de validade maior.  Isso significa que ela dura mais tempo dentro do tanque, mantendo as características essenciais. Além disso, esse tipo de gasolina tem menor teor de etanol anidro em sua composição – 25% contra 27% das comuns.

3. Óleo

A mesma precaução existe com o óleo, que também pode oxidar e ficar contaminado quando a motocicleta acaba permanecendo parada e sem atividade por muito tempo. O óleo escorre para o cárter, deixando as partes superiores do motor com uma lubrificação deficiente. Por isso, é essencial utilizar o componente recomendado pelo fabricante. No caso das motocicletas paradas, a troca do óleo deve ser realizada por intervalo de tempo e não por quilometragem rodada.

4. Pneus

É extremamente importante não deixar os pneus murchos. Lembre-se de calibrar com a pressão indicada no manual do proprietário. Caso a moto fique parada por muito tempo, é recomendada a calibragem máxima permitida no manual (como se estivesse com piloto, passageiro e carga) em PSI. Em casos extremos, que demandam muito tempo, mas podem ocorrer, os pneus em contato com o solo em uma só posição prolongada podem sofrer deformação e “achatar” levemente com perda de pressão. Quando for rodar novamente, o piloto pode sentir diferença na condução até o pneu aquecer e recobrar a circunferência padrão,

5. Proteção

É importante usar uma capa para proteger a motocicleta – principalmente se ela estiver em uma garagem que também recebe animais de estimação, que podem arranhar paralamas, carenagens, alforges, pneu, banco, e até urinar nas rodas. Antes de guardar a moto na garagem, lave-a com água e sabão neutro (evite produtos químicos). Lembre-se de realizar uma secagem na pintura, cromados e quadro. Quem reside em regiões litorâneas também pode usar antioxidantes nas partes metálicas, para reduzir problemas causados pela maresia.

Motos mais impressionantes do mundo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;