Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Foco voltado para o tênis

Nova geração de fãs participa de aulas para aprender e desenvolver habilidades


Luís Felipe Soares

09/06/2019 | 07:34


Figuras como o suíco Roger Federer, o espanhol Rafael Nadal, a norte-americana Serena Williams e a dinamarquesa Caroline Wozniacki são importantes nomes do atual circuito do tênis profissional. É olhando para as partidas que eles realizam que uma nova geração de esportistas mirins se empolga para realizar aulas e desenvolver habilidades ao mesmo tempo em que se diverte nos treinos.

Clubes e espaços esportivos com estruturas necessárias estão espalhados pela região. Um deles é a Academia Tênis & Cia, em Santo André, onde os participantes aprendem a rebater de diferentes maneiras utilizando as raquetes, são orientados a como se posicionarem bem em quadra e recebem dicas para potencializar suas jogadas. “Meu pai joga e ele me trouxe para ver como era. O jogo termina quando você faz seis pontos completos em dois sets”, explica o andreense Lucas Hespanhol Lima, 12 anos, fã da raça do jogador Rafael Nadal. 

“Acho o tênis mais elaborado e completo do que o futebol, por exemplo, que eu também jogo. Parte da dificuldade é pensar na maneira certa de bater na bola e perceber como a outra pessoa vai responder. Tem que pensar rápido”, analisa Arthur Jardim Habenchus, 11, de São Bernardo. 

DETALHES

Eduarda Milaneli, 8, fala das arenas. “Temos diferentes tipos de quadras. A azul é rápida (piso duro). Já a laranja é mais lenta (saibro, conhecida pela cor laranja), por causa da terra, e prefiro ela, porque me dá um pouco mais de tempo para pensar.” Ainda existe a quadra de grama, com superfície bem macia e campo verde. Os principais campeonatos do mundo se dividem entre os estilos e alguns atletas acabam sendo especialistas em determinadas arenas.

Sobre as raquetes, Clara Barbosa Demarchi, 8, alerta para encontrar o tamanho ideal. “A minha é menor do que uma de adulto e é bem mais leve. Estou pegando o jeito com ela”, conta. “Aprendi, inclusive, que a empunhadura (parte onde se segura um artefato usando os punhos) na raquete precisa estar certa. Isso influencia em algumas rebatidas com efeito e a direcionar melhor a bola para onde queremos”, diz Maria Eduarda Nicolau, 12. 

A curiosidade levou Maria Clara Martins de Souza, 11, moradora de São Caetano, a conhecer mundo ao qual tem se entregado ao máximo. “Tinha um lugar perto da minha igreja que eu não sabia o que era. Descobri que era uma quadra de tênis e tenho percebido que é algo que realmente quero para minha vida. Treino sonhando em ser tenista profissional”, confessa a garota.

Prática auxilia saúde do corpo e da mente

O tênis é atividade que auxilia saúde do corpo e da mente. Entre os elementos que os praticantes passam a desenvolver estão concentração, tomadas de decisões rápidas e autoconhecimento de maneira geral. Existem pessoas que possuem talento um tanto quanto natural para esse tipo de disputa, mas trabalho duro e dedicação são fundamentais para bons resultados.

A andreense Isabela Vittorelli, 9, dividia seu tempo entre compromissos de ginástica e tênis. Ela acabou se sentindo cansada e desistiu do contato com a raquete e a bolinha por um tempo, sendo que a saudade pelo esporte falou mais alto. “Pedi para meus pais para voltar a praticar o tênis. Na quadra, acho que corro mais, movimento mais os braços. Preferi a agitação dos treinos e das partidas. Me divirto bastante quanto estou jogando”, comenta.

Por ser jogo individual, acaba por trabalhar o equilíbrio emocional de mais um tanto quanto mais intensa do que se comparado com outras modalidades coletivas, a exemplo do basquete, onde se divide a responsabilidade do resultado. A participação em torneios, inicialmente, acaba por ter objetivo mais educativo do que competitivo. Esses campeonatos também surgem como ocasiões para que familiares e amigos possam ver como a criança está evoluindo nas aulas – há quem redobre os esforços nos treinos durante o período para melhorar sua performance.

‘Mario Tennis’ brinca com o esporte nos videogames

Brincar com partidas de tênis nada convencionais faz parte da franquia Mario Tennis, a mais popular sobre o esporte no mundo dos videogames. Iniciada no começo dos anos 2000, a série reúne o popular personagem que aparece no título com diversas outras figuras do universo da fabricante japonesa de jogos eletrônicos Nintendo em agitado torneio temático.

Luigi, Donkey Kong, Yoshi, Wario, Toad, Waluigi, Daisy, Peach e até mesmo os vilões Spike e Bowser podem ser escolhidos pelo público. Cada um conta com características distintas, como melhor velocidade, mais potência ou alguns com equilíbrio na maioria das categorias. Golpes especiais ampliam a diversão do desafio virtual. É possível realizar jogos individuais e em duplas, com o modo multiplayer ficando aberto para que o jogador possa se divertir com amigos.

TÍTULO RECENTE

O mais recente exemplar da saga é Mario Tennis Aces, lançado em 2018 com exclusividade para o console Nintendo Switch. Entre as novidades do título estão capacidade de quebrar a raquete do adversário com rebatida poderosa e momentos em câmera lenta. O inédito modo história apresenta a raquete amaldiçoada Lucien, capaz de transformar quem a toque em monstro. Quando seu irmão Luigi segura o item, Mario precisa coletar as chamadas Power Stones para salvar a todos. O caminho do protagonista é recheado de desafios e chefes, todos contando com técnicas de tênis para serem superados.

Consultoria de Mariane Camargo, professora de tênis da Academia Tenis & Cia, de Santo André. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Foco voltado para o tênis

Nova geração de fãs participa de aulas para aprender e desenvolver habilidades

Luís Felipe Soares

09/06/2019 | 07:34


Figuras como o suíco Roger Federer, o espanhol Rafael Nadal, a norte-americana Serena Williams e a dinamarquesa Caroline Wozniacki são importantes nomes do atual circuito do tênis profissional. É olhando para as partidas que eles realizam que uma nova geração de esportistas mirins se empolga para realizar aulas e desenvolver habilidades ao mesmo tempo em que se diverte nos treinos.

Clubes e espaços esportivos com estruturas necessárias estão espalhados pela região. Um deles é a Academia Tênis & Cia, em Santo André, onde os participantes aprendem a rebater de diferentes maneiras utilizando as raquetes, são orientados a como se posicionarem bem em quadra e recebem dicas para potencializar suas jogadas. “Meu pai joga e ele me trouxe para ver como era. O jogo termina quando você faz seis pontos completos em dois sets”, explica o andreense Lucas Hespanhol Lima, 12 anos, fã da raça do jogador Rafael Nadal. 

“Acho o tênis mais elaborado e completo do que o futebol, por exemplo, que eu também jogo. Parte da dificuldade é pensar na maneira certa de bater na bola e perceber como a outra pessoa vai responder. Tem que pensar rápido”, analisa Arthur Jardim Habenchus, 11, de São Bernardo. 

DETALHES

Eduarda Milaneli, 8, fala das arenas. “Temos diferentes tipos de quadras. A azul é rápida (piso duro). Já a laranja é mais lenta (saibro, conhecida pela cor laranja), por causa da terra, e prefiro ela, porque me dá um pouco mais de tempo para pensar.” Ainda existe a quadra de grama, com superfície bem macia e campo verde. Os principais campeonatos do mundo se dividem entre os estilos e alguns atletas acabam sendo especialistas em determinadas arenas.

Sobre as raquetes, Clara Barbosa Demarchi, 8, alerta para encontrar o tamanho ideal. “A minha é menor do que uma de adulto e é bem mais leve. Estou pegando o jeito com ela”, conta. “Aprendi, inclusive, que a empunhadura (parte onde se segura um artefato usando os punhos) na raquete precisa estar certa. Isso influencia em algumas rebatidas com efeito e a direcionar melhor a bola para onde queremos”, diz Maria Eduarda Nicolau, 12. 

A curiosidade levou Maria Clara Martins de Souza, 11, moradora de São Caetano, a conhecer mundo ao qual tem se entregado ao máximo. “Tinha um lugar perto da minha igreja que eu não sabia o que era. Descobri que era uma quadra de tênis e tenho percebido que é algo que realmente quero para minha vida. Treino sonhando em ser tenista profissional”, confessa a garota.

Prática auxilia saúde do corpo e da mente

O tênis é atividade que auxilia saúde do corpo e da mente. Entre os elementos que os praticantes passam a desenvolver estão concentração, tomadas de decisões rápidas e autoconhecimento de maneira geral. Existem pessoas que possuem talento um tanto quanto natural para esse tipo de disputa, mas trabalho duro e dedicação são fundamentais para bons resultados.

A andreense Isabela Vittorelli, 9, dividia seu tempo entre compromissos de ginástica e tênis. Ela acabou se sentindo cansada e desistiu do contato com a raquete e a bolinha por um tempo, sendo que a saudade pelo esporte falou mais alto. “Pedi para meus pais para voltar a praticar o tênis. Na quadra, acho que corro mais, movimento mais os braços. Preferi a agitação dos treinos e das partidas. Me divirto bastante quanto estou jogando”, comenta.

Por ser jogo individual, acaba por trabalhar o equilíbrio emocional de mais um tanto quanto mais intensa do que se comparado com outras modalidades coletivas, a exemplo do basquete, onde se divide a responsabilidade do resultado. A participação em torneios, inicialmente, acaba por ter objetivo mais educativo do que competitivo. Esses campeonatos também surgem como ocasiões para que familiares e amigos possam ver como a criança está evoluindo nas aulas – há quem redobre os esforços nos treinos durante o período para melhorar sua performance.

‘Mario Tennis’ brinca com o esporte nos videogames

Brincar com partidas de tênis nada convencionais faz parte da franquia Mario Tennis, a mais popular sobre o esporte no mundo dos videogames. Iniciada no começo dos anos 2000, a série reúne o popular personagem que aparece no título com diversas outras figuras do universo da fabricante japonesa de jogos eletrônicos Nintendo em agitado torneio temático.

Luigi, Donkey Kong, Yoshi, Wario, Toad, Waluigi, Daisy, Peach e até mesmo os vilões Spike e Bowser podem ser escolhidos pelo público. Cada um conta com características distintas, como melhor velocidade, mais potência ou alguns com equilíbrio na maioria das categorias. Golpes especiais ampliam a diversão do desafio virtual. É possível realizar jogos individuais e em duplas, com o modo multiplayer ficando aberto para que o jogador possa se divertir com amigos.

TÍTULO RECENTE

O mais recente exemplar da saga é Mario Tennis Aces, lançado em 2018 com exclusividade para o console Nintendo Switch. Entre as novidades do título estão capacidade de quebrar a raquete do adversário com rebatida poderosa e momentos em câmera lenta. O inédito modo história apresenta a raquete amaldiçoada Lucien, capaz de transformar quem a toque em monstro. Quando seu irmão Luigi segura o item, Mario precisa coletar as chamadas Power Stones para salvar a todos. O caminho do protagonista é recheado de desafios e chefes, todos contando com técnicas de tênis para serem superados.

Consultoria de Mariane Camargo, professora de tênis da Academia Tenis & Cia, de Santo André. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;