Fechar
Publicidade

Domingo, 25 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Bernardo amplia abordagem a morador de rua durante o inverno

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Objetivo é evitar mortes por hipotermia; abrigos oferecem 230 vagas


Juliana Stern

12/06/2018 | 07:00


A Prefeitura de São Bernardo lanço ontem a Operação Cobertor que Salva, que promete intensificar a abordagem a moradores de rua durante a madrugada dos meses de junho, julho e agosto. O objetivo é evitar a morte por hipotermia dessa população, que varia entre 300 e 500 pessoas na cidade. 

Além de profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, a força-tarefa vai contar com apoio dos agentes da GCM (Guarda Civil Municipal). A acolhida da população será nos albergues municipais, que mantêm 150 vagas permanentes e 230 durante o inverno.

Na operação do ano passado, a Pasta realizou 1.573 atendimentos e 850 abordagens, sendo que 723 resultaram em acolhimentos. Nenhuma morte foi contabilizada. “Já há um programa de assistência realizado pelo Desenvolvimento Social, só melhoramos ele. Já tivemos três noites com temperaturas abaixo de 10°C, o que pode levar quem dorme na rua a morrer de hipotermia. Considero um retrocesso permitir alguém morrer de frio”, disse o prefeito Orlando Morando (PSDB). 

Segundo o prefeito, a operação utilizará o monitoramento de temperatura da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e só mobilizará as equipes de apoio adicionais em prontidão diante de previsão de temperaturas abaixo dos 12°C durante a noite. “Se é uma noite quente respeita-se a liberdade do morador. Não há a necessidade de manter esse volume de pessoas mobilizado. Mas a operação continua pelo próprio monitoramento”, explica Morando.

O time de assistência social conta com 19 agentes para as abordagens e 28 para o acolhimento. Munícipes que souberem de algum morador em situação de rua podem ajudar pelo número 153.

Das 230 acomodações disponíveis, 150 serão ofertadas no Centro de Acolhimento 24 horas (Albergue), localizado na Vila Scopel, e outras 30 na Moradia Provisória do bairro Riacho Grande. As demais vagas serão disponibilizadas em caráter emergencial. O acolhimento é acompanhado de serviços de alimentação e higiene, além de assistência social e psicológica. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Bernardo amplia abordagem a morador de rua durante o inverno

Objetivo é evitar mortes por hipotermia; abrigos oferecem 230 vagas

Juliana Stern

12/06/2018 | 07:00


A Prefeitura de São Bernardo lanço ontem a Operação Cobertor que Salva, que promete intensificar a abordagem a moradores de rua durante a madrugada dos meses de junho, julho e agosto. O objetivo é evitar a morte por hipotermia dessa população, que varia entre 300 e 500 pessoas na cidade. 

Além de profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, a força-tarefa vai contar com apoio dos agentes da GCM (Guarda Civil Municipal). A acolhida da população será nos albergues municipais, que mantêm 150 vagas permanentes e 230 durante o inverno.

Na operação do ano passado, a Pasta realizou 1.573 atendimentos e 850 abordagens, sendo que 723 resultaram em acolhimentos. Nenhuma morte foi contabilizada. “Já há um programa de assistência realizado pelo Desenvolvimento Social, só melhoramos ele. Já tivemos três noites com temperaturas abaixo de 10°C, o que pode levar quem dorme na rua a morrer de hipotermia. Considero um retrocesso permitir alguém morrer de frio”, disse o prefeito Orlando Morando (PSDB). 

Segundo o prefeito, a operação utilizará o monitoramento de temperatura da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e só mobilizará as equipes de apoio adicionais em prontidão diante de previsão de temperaturas abaixo dos 12°C durante a noite. “Se é uma noite quente respeita-se a liberdade do morador. Não há a necessidade de manter esse volume de pessoas mobilizado. Mas a operação continua pelo próprio monitoramento”, explica Morando.

O time de assistência social conta com 19 agentes para as abordagens e 28 para o acolhimento. Munícipes que souberem de algum morador em situação de rua podem ajudar pelo número 153.

Das 230 acomodações disponíveis, 150 serão ofertadas no Centro de Acolhimento 24 horas (Albergue), localizado na Vila Scopel, e outras 30 na Moradia Provisória do bairro Riacho Grande. As demais vagas serão disponibilizadas em caráter emergencial. O acolhimento é acompanhado de serviços de alimentação e higiene, além de assistência social e psicológica. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;