Fechar
Publicidade

Domingo, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sama convida MP e OAB para acompanhar abertura de envelopes de licitação

Andréa Iseki/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Mesa avaliadora negou recurso da Isamix e Atila deve marcar reunião no começo da semana


Cynthia Tavares

14/09/2013 | 07:00


A Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá) convidará o MP (Ministério Público) e a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para participar da abertura dos envelopes referentes ao processo licitatório número 02/13, que possui suspeita de cartel. A comissão de licitação negou ontem os recursos apresentados pela Isamix Trading Ltda.

A audiência está prevista para ocorrer na terça-feira. A decisão oficial sai na segunda-feira, quando o superintendente da autarquia, Atila Jacomussi (PCdoB), decidirá se acata ou não o parecer expedido pela comissão. A tendência é que ele avalize o laudo e marque a abertura dos envelopes.

A Isamix pediu que as outras cinco participantes fossem desabilitadas por não apresentarem nota fiscal e contratos anexos aos atestados previstos pelo edital. A comissão alegou que em nenhum momento houve esta exigência e que o recurso deveria ter sido feito antes da entrega dos documentos. “Não sei qual foi a intenção da Isamix. Se ela achou que fosse conseguir ficar como única habilitada ou quis postergar o processo, o que não faz sentido”, declarou José Vianna Leite, diretor financeiro e administrativo da Sama.

O número dois da autarquia disse que vai encaminhar ofício para o MP e OAB na segunda-feira, assim que a superintendência proferir sua decisão. “Queremos a presença de todos para acompanhar a abertura dos envelopes”, disse.

O presidente da subsecção da OAB em Mauá, Luiz Carlos Spíndola, garantiu que a entidade estará presente na reunião. O advogado ponderou que o convite para acompanhar o processo licitatório foi importante, mas não garante a total lisura. “É difícil manter a formação do cartel longe, apesar do Atila ter se esforçado. O rateio ocorre pelos empresários”, analisou.

A licitação prevê locação de máquinas e equipamento num contrato anual que pode chegar a R$ 4,7 milhões por ano. Das seis participantes, quatro teriam formado o conluio: a PCS Construção e Saneamento, Unyduy Comercial Locações, Schunck Terraplenagem e Transportes e a JP Bechara Terraplenagem e Pavimentação, que seria a vencedora.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;