Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Frio derruba público de festa italiana em S.Caetano


Rita Norberto

31/08/2003 | 19:18


Seja para experimentar o famoso lanche de mortadela, saborear massas e fogazzas ou simplesmente passear, 80 mil pessoas aproveitaram os cinco fins de semana da 11ª Festa Italiana de São Caetano, organizada pelas entidades filantrópicas e Prefeitura de São Caetano no Espaço Matarazzo, no bairro Fundação, em São Caetano.

Neste ano, organização e entidades avaliam que o frio e a garoa atrapalharam um pouco a festa, que no ano passado chegou a ter o dobro de público, 160 mil. "Atrapalhou sim. Especialmente nos dois primeiros fins de semana, quando fez muito frio e teve um público pequeno", disse Paulo Bottura Ramos, presidente da Comissão de Festejos da cidade e organizador da festa.

Apesar do mal tempo, a festa manteve se manteve grandiosa. No imenso Espaço Matarazzo, de 15 mil m², havia 29 barracas-cantinas. Em dez dias de festa, 1,7 mil voluntários venderam 100 toneladas de alimentos, 200 mil refrigerantes e 10 mil unidades de vinhos. "Já até choramos, porque chegou ao fim", disse o responsável pela barraca da Igreja Nossa Senhora Aparecida, Carlos Falotico.

Obrigatória – Algumas barracas já se tornaram obrigatórias. Uma delas é a do lanche de mortadela do frigorífico Cardeal. Foram 18 mil lanches na chapa com molho vinagrete. "É o boca-a-boca é que atrai", disse um dos voluntários, o médico Caio Willians Castro Júnior. A fila é sempre grande. "É uma delícia. Até tentei fazer em casa, mas não fica igual", disse a engenheira civil Stella Souza. "Até sonhei, de tanto que ela fala deste lanche", disse a amiga, a instrumentadora Regina Alriche. A barraca faz o sorteio da mortadela gigante de 200 kg e 3 metros. Toda a renda será destina a Creche Osvaldo Cruz.

A mais tradicional barraca de fogazza, a da Paróquia São Francisco de Assis, vendeu 12 mil delas, feitas com o apoio do Moinho Santo André, que doou 1,8 mil kg de farinha. Para o próximo ano, algumas novidades voltam, como o coquetel e o quentão de morango da barraca dos Bombeiros Mirins, receita caseira da italiana Pia Rosina del Mestre Fonseca, 68 anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;