Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Palmeiras vence o Cruzeiro nos pênaltis e avança na Libertadores


Tatiana Freitas
Do Diário OnLine

31/05/2001 | 00:56


Mais uma vez Marcos foi o herói. O Palmeiras, com garra e muita sorte, conseguiu arrancar um empate do Cruzeiro no tempo normal (2 a 2) e levar a decisão para os pênaltis, confiando no goleiro, que não costuma decepcionar. Na noite desta quarta-feira, Palmeiras e Cruzeiro disputaram no Mineirão uma vaga nas semifinais da Copa Libertadores da América. Nos pênaltis, a equipe paulista venceu por 4 a 3 e avançou na competição.

O clássico entre os dois times foi novamente muito disputado e marcado pela emoção. Com o apoio da torcida, no início do jogo, o Cruzeiro mostrava mais determinação e criava jogadas mais perigosas do que o Palmeiras. Alessandro, que entrou no lugar de Geovanni, suspenso, começou bem a partida e não deixou que os mineiros sentissem falta do artilheiro.

Logo aos 5 minutos, o atacante recebeu de Ricardinho na entrada da área, driblou a marcação de Felipe e chutou no alto do gol de Marcos, marcando um bonito gol. A partir daí, o Cruzeiro recuou e passou a jogar nos contra-ataques. O Palmeiras, por sua vez, partiu para cima, criou boas chances e também desperdiçou muitas.

Fábio Júnior, por exemplo, perdeu um gol feito aos 10 minutos. Um belo passe de Alex deixou o atacante na cara do gol, mas ele chutou fraco, para fora, no canto direito de André. Seis minutos depois, o Cruzeiro, em rápido contra-ataque, chegou novamente com perigo, mas não fez.

Aos 22, o Palmeiras jogou fora a melhor oportunidade até então. Alex recebeu na área, arrancou e, quase na linha de fundo, foi derrubado por André. O árbitro Carlos Eugênio Simon não perdoou o goleiro de Felipão e marcou o pênalti. O meia bateu na trave direita de André e fez o Mineirão comemorar como se fosse mais um gol do time da casa.

Aos 35, uma cobrança de falta de Neném levou perigo ao gol do Palmeiras. No final do primeiro tempo, o time mineiro ainda chegou com perigo, desta vez com Oséas, que ficou no chão, dentro da pequena área.

O Palmeiras voltou alterado para o segundo tempo, com Tuta no lugar de Fábio Júnior e Basílio em vez de Juninho. As alterações deram resultado e o gol saiu logo aos 8 minutos, mas graças a Arce. O lateral cobrou falta perfeita na entrada da área e marcou, no canto esquerdo de André, que não teve chances. Logo depois, Tuta deixou o campo machucado e Muñoz entrou.

O Cruzeiro voltou à frente do placar aos 14. Ricardinho levantou a bola na área numa cobrança de falta e Cris marcou de cabeça, levando o Mineirão ao delírio e deixando a torcida com a garantia da classificação. O Palmeiras, no entanto, continuou acreditando na vitória.

Aos 25 e 27 minutos, Arce voltou a bater duas faltas com perigo, de fora da área, praticamente no mesmo lugar, mas não conseguiu marcar. O Cruzeiro ainda criou boas chances com Marcos Paulo e Ricardinho.

Com a classificação cruzeirense praticamente garantida, restava ao Palmeiras ir para cima e contar com a sorte que sempre acompanha o time na Libertadores. Aos 40, Arce colocou a bola na área e Alexandre marcou, de cabeça, reacendendo a esperança paulista. Com o gol, a classificação, que antes era do Cruzeiro, mudou de lado. Com Marcos, seria difícil o Cruzeiro levar a melhor nos pênaltis, mesmo com o apoio da torcida.

Mais uma vez o goleiro mostrou que tem “forças sobrenaturais” e pegou três pênaltis. Os dois times terminaram a primeira etapa das cobranças empatados (2 a 2). Alex, Galeano e Felipe desperdiçaram pelo Palmeiras (André defendeu o chute do lateral). Do outro lado, havia “são Marcos”, que pegou os chutes de Luizão e Ricardinho. Jackson, que tinha a chance de fechar, cobrou muito mal e mandou para fora.

Nas cobranças alternadas, Fernando e Marcos Vinícius converteram. Na segunda rodada, o goleiro palmeirense defendeu o chute de Marcos Paulo e, em seguida, Muñoz apenas confirmou, dando a classificação ao Palmeiras.

Na próxima fase, o time paulista enfrenta o Boca Juniors, da Argentina, que eliminou o Vasco também nesta quarta. A primeira partida acontece no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.

Para cima — O técnico Celso Roth disse, após a partida desta quarta, que o time vai a Argentina para vencer. "Contra o Boca, eu não me satisfaço com um empate em Buenos Aires. Esse nunca foi o objetivo do Palmeiras e não vai ser agora", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Palmeiras vence o Cruzeiro nos pênaltis e avança na Libertadores

Tatiana Freitas
Do Diário OnLine

31/05/2001 | 00:56


Mais uma vez Marcos foi o herói. O Palmeiras, com garra e muita sorte, conseguiu arrancar um empate do Cruzeiro no tempo normal (2 a 2) e levar a decisão para os pênaltis, confiando no goleiro, que não costuma decepcionar. Na noite desta quarta-feira, Palmeiras e Cruzeiro disputaram no Mineirão uma vaga nas semifinais da Copa Libertadores da América. Nos pênaltis, a equipe paulista venceu por 4 a 3 e avançou na competição.

O clássico entre os dois times foi novamente muito disputado e marcado pela emoção. Com o apoio da torcida, no início do jogo, o Cruzeiro mostrava mais determinação e criava jogadas mais perigosas do que o Palmeiras. Alessandro, que entrou no lugar de Geovanni, suspenso, começou bem a partida e não deixou que os mineiros sentissem falta do artilheiro.

Logo aos 5 minutos, o atacante recebeu de Ricardinho na entrada da área, driblou a marcação de Felipe e chutou no alto do gol de Marcos, marcando um bonito gol. A partir daí, o Cruzeiro recuou e passou a jogar nos contra-ataques. O Palmeiras, por sua vez, partiu para cima, criou boas chances e também desperdiçou muitas.

Fábio Júnior, por exemplo, perdeu um gol feito aos 10 minutos. Um belo passe de Alex deixou o atacante na cara do gol, mas ele chutou fraco, para fora, no canto direito de André. Seis minutos depois, o Cruzeiro, em rápido contra-ataque, chegou novamente com perigo, mas não fez.

Aos 22, o Palmeiras jogou fora a melhor oportunidade até então. Alex recebeu na área, arrancou e, quase na linha de fundo, foi derrubado por André. O árbitro Carlos Eugênio Simon não perdoou o goleiro de Felipão e marcou o pênalti. O meia bateu na trave direita de André e fez o Mineirão comemorar como se fosse mais um gol do time da casa.

Aos 35, uma cobrança de falta de Neném levou perigo ao gol do Palmeiras. No final do primeiro tempo, o time mineiro ainda chegou com perigo, desta vez com Oséas, que ficou no chão, dentro da pequena área.

O Palmeiras voltou alterado para o segundo tempo, com Tuta no lugar de Fábio Júnior e Basílio em vez de Juninho. As alterações deram resultado e o gol saiu logo aos 8 minutos, mas graças a Arce. O lateral cobrou falta perfeita na entrada da área e marcou, no canto esquerdo de André, que não teve chances. Logo depois, Tuta deixou o campo machucado e Muñoz entrou.

O Cruzeiro voltou à frente do placar aos 14. Ricardinho levantou a bola na área numa cobrança de falta e Cris marcou de cabeça, levando o Mineirão ao delírio e deixando a torcida com a garantia da classificação. O Palmeiras, no entanto, continuou acreditando na vitória.

Aos 25 e 27 minutos, Arce voltou a bater duas faltas com perigo, de fora da área, praticamente no mesmo lugar, mas não conseguiu marcar. O Cruzeiro ainda criou boas chances com Marcos Paulo e Ricardinho.

Com a classificação cruzeirense praticamente garantida, restava ao Palmeiras ir para cima e contar com a sorte que sempre acompanha o time na Libertadores. Aos 40, Arce colocou a bola na área e Alexandre marcou, de cabeça, reacendendo a esperança paulista. Com o gol, a classificação, que antes era do Cruzeiro, mudou de lado. Com Marcos, seria difícil o Cruzeiro levar a melhor nos pênaltis, mesmo com o apoio da torcida.

Mais uma vez o goleiro mostrou que tem “forças sobrenaturais” e pegou três pênaltis. Os dois times terminaram a primeira etapa das cobranças empatados (2 a 2). Alex, Galeano e Felipe desperdiçaram pelo Palmeiras (André defendeu o chute do lateral). Do outro lado, havia “são Marcos”, que pegou os chutes de Luizão e Ricardinho. Jackson, que tinha a chance de fechar, cobrou muito mal e mandou para fora.

Nas cobranças alternadas, Fernando e Marcos Vinícius converteram. Na segunda rodada, o goleiro palmeirense defendeu o chute de Marcos Paulo e, em seguida, Muñoz apenas confirmou, dando a classificação ao Palmeiras.

Na próxima fase, o time paulista enfrenta o Boca Juniors, da Argentina, que eliminou o Vasco também nesta quarta. A primeira partida acontece no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.

Para cima — O técnico Celso Roth disse, após a partida desta quarta, que o time vai a Argentina para vencer. "Contra o Boca, eu não me satisfaço com um empate em Buenos Aires. Esse nunca foi o objetivo do Palmeiras e não vai ser agora", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;