Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Muito mais que engano


Do Diário do Grande ABC

15/04/2021 | 23:22


Não bastasse o terror causado pelo novo coronavírus, com macabra sucessão de mortes, uma falha em posto de saúde de Diadema adiciona dose extra de desconforto e desconfiança à população. Cinco inocentes crianças, com idades entre 7 meses e 4 anos, que deveriam ser imunizadas contra a Influenza, acabaram recebendo a Coronavac, medicação destinada ao combate da Covid-19.

A ‘aplicação equivocada’, como foi descrito na nota oficial da Prefeitura, deu-se por erro de funcionárias que atuavam no local. Os pais, que levaram seus filhos à UBS (Unidade Básica de Saúde) Jardim das Nações, só souberam da troca dos remédios bem mais tarde, quando foram convocados para retornar ao equipamento e lá foram notificados.

Um boletim de ocorrência foi aberto em delegacia da cidade para averiguar os fatos. A administração municipal também abriu processo para apurar a responsabilidade de cada um dos envolvidos.

Enquanto isso, as crianças foram avaliadas e serão acompanhadas pelos próximos 42 dias. Tudo isso porque ainda não existem estudos sobre a aplicação do imunizante nesta faixa etária. Médicos ouvidos pela equipe de reportagem afirmam que, provavelmente, elas não serão acometidas por nenhum mal. Mesmo assim, o caso é gravíssimo. Que poderia ser evitado com o cuidado de não ministrar as duas vacinas em um único local, como outras cidades da região fazem.

É sempre bom lembrar que esta é o segundo incidente envolvendo vacinas em Diadema. Em janeiro, duas doses da Coronavac foram furtadas na UBS do Jardim Reid, no Centro do município, e até agora não se sabe quem foram os culpados e nem qual a motivação, embora a polícia esteja investigando.

O prefeito José de Filippi Júnior, que tem feito manifestações louváveis para que os munícipes se vacinem contra a Covid, tem o dever de agir exemplarmente neste caso. É o mínimo que se espera.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Muito mais que engano

Do Diário do Grande ABC

15/04/2021 | 23:22


Não bastasse o terror causado pelo novo coronavírus, com macabra sucessão de mortes, uma falha em posto de saúde de Diadema adiciona dose extra de desconforto e desconfiança à população. Cinco inocentes crianças, com idades entre 7 meses e 4 anos, que deveriam ser imunizadas contra a Influenza, acabaram recebendo a Coronavac, medicação destinada ao combate da Covid-19.

A ‘aplicação equivocada’, como foi descrito na nota oficial da Prefeitura, deu-se por erro de funcionárias que atuavam no local. Os pais, que levaram seus filhos à UBS (Unidade Básica de Saúde) Jardim das Nações, só souberam da troca dos remédios bem mais tarde, quando foram convocados para retornar ao equipamento e lá foram notificados.

Um boletim de ocorrência foi aberto em delegacia da cidade para averiguar os fatos. A administração municipal também abriu processo para apurar a responsabilidade de cada um dos envolvidos.

Enquanto isso, as crianças foram avaliadas e serão acompanhadas pelos próximos 42 dias. Tudo isso porque ainda não existem estudos sobre a aplicação do imunizante nesta faixa etária. Médicos ouvidos pela equipe de reportagem afirmam que, provavelmente, elas não serão acometidas por nenhum mal. Mesmo assim, o caso é gravíssimo. Que poderia ser evitado com o cuidado de não ministrar as duas vacinas em um único local, como outras cidades da região fazem.

É sempre bom lembrar que esta é o segundo incidente envolvendo vacinas em Diadema. Em janeiro, duas doses da Coronavac foram furtadas na UBS do Jardim Reid, no Centro do município, e até agora não se sabe quem foram os culpados e nem qual a motivação, embora a polícia esteja investigando.

O prefeito José de Filippi Júnior, que tem feito manifestações louváveis para que os munícipes se vacinem contra a Covid, tem o dever de agir exemplarmente neste caso. É o mínimo que se espera.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;