Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Milhões de pessoas sem água e comida após ciclone em Bangladesh


Da AFP

19/11/2007 | 10:33


As equipes de socorro e o Exército tentam de tudo para fazer chegar alimentos e medicamentos aos milhões de desabrigados no sul de Bangladesh, devastado na quinta-feira pelo ciclone Sidr, que deixou entre cinco mil e dez mil mortos, segundo o Crescente Vermelho, a Cruz Vermelha muçulmana.

Pelo menos 900 mil famílias carecem de ajuda humanitária, ou seja, sete milhões de pessoas, segundo a fonte. Nos distritos meridionais devastados e isolados, os sobreviventes correm o perigo de morrer de sede e fome se não receber ajuda.

"Não há água, nem comida; os corpos flutuam nos rios e cobre os arrozais", relata, desesperado, Abdul Zabbar, um professor que denuncia a ausência de equipes de socorro.

Ajuda- As forças armadas bengalesas, que em janeiro passado instalaram um governo civil de transição, estão mobilizadas.

A marinha enviou barcos carregados com toneladas de alimentos e remédios, a força aérea mobilizou seus helicópteros e as tropas terrestres tentam chegar às localidades isoladas. Por sua parte, a Comissão Européia e os Estados Unidos destinaram milhões de dólares em ajuda.

Já a Cruz Vermelha e a Crescente Vermelho enviaram seus voluntários para distribuir alimentos e abrigos temporários aos desabrigados, mas muitos voluntários espalhados pelo sul do país também foram vítimas do ciclone.

No momento, as equipes de resgate avançam lentamente para as regiões isoladas, obrigadas a cortar árvores que bloqueiam as estradas nas regiões mais afastadas do país, explicou Douglas Casson Coutts, do Programa Mundial de Alimentos.

Catástrofe- Sidr é a pior tempestade ciclônica que atingiu Bangladesh nos últimos 16 anos.O país do sul da Ásia já havia sido devastado por um furacão em 1970 que deixou meio milhão de mortos, e por um maremoto em 1991, que matou 138 mil pessoas.

Desta vez há milhares de mortos, advertiram as autoridades. "O balanço pode aumentar e superar os cinco mil, mas deve ficar abaixo dos dez mil", declarou Abdur Rab, presidente do Crescente Vermelho em Bangladesh. Segundo o governo, Sidr causou 3.113 mortos até o momento.
 
O governo espera grandes danos econômicos para um país muçulmano laico de 144 milhões de habitantes, 40% dos quais vive com menos de um dólar por dia, o que faz dele um dos mais pobres do mundo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Milhões de pessoas sem água e comida após ciclone em Bangladesh

Da AFP

19/11/2007 | 10:33


As equipes de socorro e o Exército tentam de tudo para fazer chegar alimentos e medicamentos aos milhões de desabrigados no sul de Bangladesh, devastado na quinta-feira pelo ciclone Sidr, que deixou entre cinco mil e dez mil mortos, segundo o Crescente Vermelho, a Cruz Vermelha muçulmana.

Pelo menos 900 mil famílias carecem de ajuda humanitária, ou seja, sete milhões de pessoas, segundo a fonte. Nos distritos meridionais devastados e isolados, os sobreviventes correm o perigo de morrer de sede e fome se não receber ajuda.

"Não há água, nem comida; os corpos flutuam nos rios e cobre os arrozais", relata, desesperado, Abdul Zabbar, um professor que denuncia a ausência de equipes de socorro.

Ajuda- As forças armadas bengalesas, que em janeiro passado instalaram um governo civil de transição, estão mobilizadas.

A marinha enviou barcos carregados com toneladas de alimentos e remédios, a força aérea mobilizou seus helicópteros e as tropas terrestres tentam chegar às localidades isoladas. Por sua parte, a Comissão Européia e os Estados Unidos destinaram milhões de dólares em ajuda.

Já a Cruz Vermelha e a Crescente Vermelho enviaram seus voluntários para distribuir alimentos e abrigos temporários aos desabrigados, mas muitos voluntários espalhados pelo sul do país também foram vítimas do ciclone.

No momento, as equipes de resgate avançam lentamente para as regiões isoladas, obrigadas a cortar árvores que bloqueiam as estradas nas regiões mais afastadas do país, explicou Douglas Casson Coutts, do Programa Mundial de Alimentos.

Catástrofe- Sidr é a pior tempestade ciclônica que atingiu Bangladesh nos últimos 16 anos.O país do sul da Ásia já havia sido devastado por um furacão em 1970 que deixou meio milhão de mortos, e por um maremoto em 1991, que matou 138 mil pessoas.

Desta vez há milhares de mortos, advertiram as autoridades. "O balanço pode aumentar e superar os cinco mil, mas deve ficar abaixo dos dez mil", declarou Abdur Rab, presidente do Crescente Vermelho em Bangladesh. Segundo o governo, Sidr causou 3.113 mortos até o momento.
 
O governo espera grandes danos econômicos para um país muçulmano laico de 144 milhões de habitantes, 40% dos quais vive com menos de um dólar por dia, o que faz dele um dos mais pobres do mundo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;