Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Polícia entrega relatório final sobre morte de Celso Daniel


Gislayne Jacinto
Do Diário do Grande ABC

02/04/2002 | 00:01


  O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) entregou nesta segunda à Justiça a conclusão do inquérito que investigou o seqüestro e a morte do prefeito de Santo André Celso Daniel (PT). O delegado Armando de Oliveira Costa Filho, responsável pelo caso, disse que o documento foi encaminhado ao Fórum de Itapecerica da Serra e pede a prisão preventiva dos seqüestradores, além da custódia de um menor. Por se tratar de crime hediondo, eles responderão por extorsão mediante seqüestro qualificado e pela morte da vítima. A pena vai de 24 a 30 anos.

Apesar de a quadrilha ser composta por 15 integrantes, apenas nove participaram diretamente do crime. Destes, sete foram identificados pela polícia (seis adultos e um menor). Outros dois que atuaram como carcereiros no cativeiro de Celso ainda não foram qualificados. A polícia sabe apenas os seus apelidos: Baianinho e Primo.

Os seqüestradores identificados são: José Edson dos Santos; Marcos Roberto Bispo dos Santos, o Marquinhos; Rodolfo Rodrigo de Souza Oliveira, o Bozinho; Itamar Messias Silva dos Santos; Elcyd Oliveira Brito, o John, e Ivan Rodrigues da Silva, o Monstro. Esse último é apontado como líder e está foragido assim como John.

O inquérito ainda pede a custódia do menor L.S.N, 16 anos, o Alex ou Lalo, autor dos disparos contra o prefeito. Ele não pode ser indiciado porque é protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e ficará na Febem por no máximo três anos.

A quadrilha ainda tem outros seis membros que não tiveram participação na morte do prefeito, mas foram indiciados por crime de formação de bando pelo Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), onde também tramita um outro inquérito. Todos são acusados de envolvimento em roubos. São eles: Deivid Barbosa, o Sapeco; Adrelisson dos Santos Oliveira, o André Cara Seca; Jucelino Costa Barros, o Cara de Gato; Deivison Correa, o Alemão; Mauro Sérgio Santos de Souza, o Serginho; e Manoel Dantas de Santana Filho, o Cabeção.

O inquérito entregue à Justiça tem sete volumes com 1.397 páginas. As apurações envolveram 44 policiais civis, seis delegados, cinco escrivães e 33 investigadores da Divisão de Homicídios. As equipes usaram 17 viaturas no caso. Além do DHPP, atuaram nas investigações a Polícia Federal e o Deic.

Apesar da conclusão do inquérito, o delegado afirmou que a polícia continuará atrás dos foragidos para capturá-los.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;