Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Barba minimiza votação menor que a de Grana em 2010

Eleito deputado estadual pelo PT, sindicalista exalta quarta melhor performance do partido


Leandro BaldiniDo Diário do Grande ABC

16/10/2014 | 07:00


Designado pelo PT a ser deputado estadual ligado ao movimento sindical, Teonilio Monteiro da Costa, o Barba, minimizou o fato de ter recebido menos votos que o prefeito de Santo André, Carlos Grana. Em 2010, Grana, então presidente da CNM (Confederação Nacional dos Metalúrgicos) e nome da sigla para captar votos de sindicalistas, foi eleito à Assembleia Legislativa com 129.973 votos, contra 95.156 obtidos por Barba.

“Eu vou sempre destacar em primeiro lugar a vitória extraordinária que tivemos, sendo o quarto do PT mais votado no Estado”, enfatizou Barba, que pela primeira vez assume mandato eletivo.

O ex-diretor administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC considerou que um dos fatores da votação menor foi a diferença dos cenários políticos. “Não dá para comparar a minha eleição com a do Grana, pois, em 2010, a conjuntura era outra. O (ex-) presidente Lula governava o Brasil com 80% de aprovação e apresentava a Dilma (Rousseff, atual presidente da República), que tratava de uma candidatura nova. Quer dizer, era mais favorável”, argumentou.

Em maio, Barba, em entrevista ao Diário, afirmou que sua campanha estava bem mais estruturada que a do atual chefe do Executivo andreense e enfatizava possuir maior base de apoios em mais municípios do Estado.

Para o parlamentar eleito, o principal problema enfrentado no pleito foi “opressão” sofrida por Dilma e pelo seu partido. “No cenário de hoje, a presidente Dilma enfrentou tudo sozinha. Existe frente de partidos, como o PPS, a Marina Silva (candidata derrotada pelo PSB) e o seu partido que estão contra a nossa candidatura e ao PT. Ressalto que fomos vencedores demais nesta eleição”, destacou, garantindo total confiança em vitória de Dilma contra o senador do PSDB Aécio Neves na disputa à Presidência da República no segundo turno.

Sobre as diretrizes de seu mandato, Barba ressalta que o movimento sindical será sua prioridade de trabalho. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Barba minimiza votação menor que a de Grana em 2010

Eleito deputado estadual pelo PT, sindicalista exalta quarta melhor performance do partido

Leandro BaldiniDo Diário do Grande ABC

16/10/2014 | 07:00


Designado pelo PT a ser deputado estadual ligado ao movimento sindical, Teonilio Monteiro da Costa, o Barba, minimizou o fato de ter recebido menos votos que o prefeito de Santo André, Carlos Grana. Em 2010, Grana, então presidente da CNM (Confederação Nacional dos Metalúrgicos) e nome da sigla para captar votos de sindicalistas, foi eleito à Assembleia Legislativa com 129.973 votos, contra 95.156 obtidos por Barba.

“Eu vou sempre destacar em primeiro lugar a vitória extraordinária que tivemos, sendo o quarto do PT mais votado no Estado”, enfatizou Barba, que pela primeira vez assume mandato eletivo.

O ex-diretor administrativo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC considerou que um dos fatores da votação menor foi a diferença dos cenários políticos. “Não dá para comparar a minha eleição com a do Grana, pois, em 2010, a conjuntura era outra. O (ex-) presidente Lula governava o Brasil com 80% de aprovação e apresentava a Dilma (Rousseff, atual presidente da República), que tratava de uma candidatura nova. Quer dizer, era mais favorável”, argumentou.

Em maio, Barba, em entrevista ao Diário, afirmou que sua campanha estava bem mais estruturada que a do atual chefe do Executivo andreense e enfatizava possuir maior base de apoios em mais municípios do Estado.

Para o parlamentar eleito, o principal problema enfrentado no pleito foi “opressão” sofrida por Dilma e pelo seu partido. “No cenário de hoje, a presidente Dilma enfrentou tudo sozinha. Existe frente de partidos, como o PPS, a Marina Silva (candidata derrotada pelo PSB) e o seu partido que estão contra a nossa candidatura e ao PT. Ressalto que fomos vencedores demais nesta eleição”, destacou, garantindo total confiança em vitória de Dilma contra o senador do PSDB Aécio Neves na disputa à Presidência da República no segundo turno.

Sobre as diretrizes de seu mandato, Barba ressalta que o movimento sindical será sua prioridade de trabalho. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;