Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 13 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Hipoglicemia

A hipoglicemia ocorre quando a taxa de glicose no sangue é menor do que a normal, ocasionando vários problemas ao organismo


Leo Kahn

20/05/2010 | 00:00


A hipoglicemia ocorre quando a taxa de glicose no sangue é menor do que a normal, ocasionando vários problemas ao organismo, principalmente o funcionamento do cérebro (neuroglicemia).
O nível preciso de glicose considerado baixo o suficiente para definir hipoglicemia depende de método de medição, idade da pessoa e presença ou falta de sintomas.
O método mais difundido é considerar o nível abaixo de 70 mg/dl medido por método padrão de glicose-oxidase usado em laboratórios para finalidades clínicas.
Os dados estatísticos de crianças e adultos saudáveis mostram que glicemias em jejum abaixo de 60 mg/dl ou acima de 100 mg/dl são encontradas em menos de 5% da população. Foram encontrados níveis abaixo de 60 mg/dl depois de jejum noturno em 10% dos recém-nascidos e crianças jovens.
Muitos indivíduos saudáveis podem eventualmente ter níveis glicêmicos na faixa de hipoglicemia sem apresentar sintomas.

SINAIS E SINTOMAS
Podem ser divididos entre aqueles produzidos pelos hormônios (adrenalina e glucagon) ativados pela queda de glicose, e efeitos neuroglicopênicos produzidos pelo nível de açúcar no cérebro reduzido.
Adrenérgicas:
Inquietação, ansiedade, nervosismo, tremor.
Palpitações, taquicardia.
Transpiração, sensação de calor.
Palidez
Pupilas dilatadas.
Glucagon:
Fome, barriga roncando.
Náusea, vômito, desconforto abdominal.
Neuroglicopênicas:
Julgamento prejudicado.
Ansiedade, depressão, mau humor, choro, medo de morrer.
Negativismo, irritabilidade, beligerância, raiva.
Mudança de personalidade.
Fadiga, fraqueza, apatia, letargia, sono.
Confusão, amnésia, tontura, delírio.
Visão turvada ou dupla.
Comportamento automático.
Dificuldade de falar, pronúncia ininteligível.
Falta de coordenação
Déficit motor, paralisia, fraqueza muscular em um lado do corpo.
Dor de cabeça.
Estupor, coma, respiração anormal.
Ataque apoplético.
Nem todas as manifestações acima ocorrem em todos os casos de hipoglicemia, e não há ordem consistente para o aparecimento dos sintomas.
Os sintomas da hipoglicemia raramente ocorrem até a concentração sérica de açúcar ser inferior a 50 mg/dl de sangue, apesar de, ocasionalmente, alguns indivíduos apresentarem sintomas com concentrações discretamente mais elevadas e outros não apresentarem sintomas até a concentração cair a níveis muitos baixos. Juntamente com os sintomas da hipoglicemia, a concentração sérica baixa de glicose confirma o diagnóstico.

SAIBA MAIS

A causa mais frequente é o álcool.
Não fique em jejum por período prolongado.
Certos medicamentos podem produzir hipoglicemia; é notavelmente o caso dos medicamentos antidiabéticos, como a insulina e os antidiabéticos orais. Outros medicamentos também podem ser a causa: aspirina, anti-inflamatórios não esteroides, beta-bloqueadores não cardiosseletivos, quinidina
A reversão da hipoglicemia consiste em elevar a glicemia, descobrir o motivo causador da hipoglicemia e tomar as medidas necessárias para que ele não se repita.
O amido é rapidamente transformado em glicose, mas a adição de gordura ou proteína retarda a digestão. Os sintomas começam a melhorar em cinco minutos, embora demore de dez a 20 minutos até a recuperação completa. O abuso de alimentos não acelera a recuperação e se a pessoa for diabética isso simplesmente causará hiperglicemia mais tarde.
Se a pessoa está sofrendo de efeitos severos de hipoglicemia de maneira que não possa (devido à combatividade) ou não deva (devido a convulsões ou inconsciência) ser alimentada, pode-se dar a ela uma infusão intravenosa de glicose ou uma injeção de glucagon.
A prevenção depende da causa da hipoglicemia. O risco de novos episódios pode ser frequentemente reduzida pelo abaixamento da dose de insulina ou medicamento, ou pela atenção maior à glicemia durante eventos inesperados, diminuição do ritmo de exercícios físicos ou de ingestão de álcool.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hipoglicemia

A hipoglicemia ocorre quando a taxa de glicose no sangue é menor do que a normal, ocasionando vários problemas ao organismo

Leo Kahn

20/05/2010 | 00:00


A hipoglicemia ocorre quando a taxa de glicose no sangue é menor do que a normal, ocasionando vários problemas ao organismo, principalmente o funcionamento do cérebro (neuroglicemia).
O nível preciso de glicose considerado baixo o suficiente para definir hipoglicemia depende de método de medição, idade da pessoa e presença ou falta de sintomas.
O método mais difundido é considerar o nível abaixo de 70 mg/dl medido por método padrão de glicose-oxidase usado em laboratórios para finalidades clínicas.
Os dados estatísticos de crianças e adultos saudáveis mostram que glicemias em jejum abaixo de 60 mg/dl ou acima de 100 mg/dl são encontradas em menos de 5% da população. Foram encontrados níveis abaixo de 60 mg/dl depois de jejum noturno em 10% dos recém-nascidos e crianças jovens.
Muitos indivíduos saudáveis podem eventualmente ter níveis glicêmicos na faixa de hipoglicemia sem apresentar sintomas.

SINAIS E SINTOMAS
Podem ser divididos entre aqueles produzidos pelos hormônios (adrenalina e glucagon) ativados pela queda de glicose, e efeitos neuroglicopênicos produzidos pelo nível de açúcar no cérebro reduzido.
Adrenérgicas:
Inquietação, ansiedade, nervosismo, tremor.
Palpitações, taquicardia.
Transpiração, sensação de calor.
Palidez
Pupilas dilatadas.
Glucagon:
Fome, barriga roncando.
Náusea, vômito, desconforto abdominal.
Neuroglicopênicas:
Julgamento prejudicado.
Ansiedade, depressão, mau humor, choro, medo de morrer.
Negativismo, irritabilidade, beligerância, raiva.
Mudança de personalidade.
Fadiga, fraqueza, apatia, letargia, sono.
Confusão, amnésia, tontura, delírio.
Visão turvada ou dupla.
Comportamento automático.
Dificuldade de falar, pronúncia ininteligível.
Falta de coordenação
Déficit motor, paralisia, fraqueza muscular em um lado do corpo.
Dor de cabeça.
Estupor, coma, respiração anormal.
Ataque apoplético.
Nem todas as manifestações acima ocorrem em todos os casos de hipoglicemia, e não há ordem consistente para o aparecimento dos sintomas.
Os sintomas da hipoglicemia raramente ocorrem até a concentração sérica de açúcar ser inferior a 50 mg/dl de sangue, apesar de, ocasionalmente, alguns indivíduos apresentarem sintomas com concentrações discretamente mais elevadas e outros não apresentarem sintomas até a concentração cair a níveis muitos baixos. Juntamente com os sintomas da hipoglicemia, a concentração sérica baixa de glicose confirma o diagnóstico.

SAIBA MAIS

A causa mais frequente é o álcool.
Não fique em jejum por período prolongado.
Certos medicamentos podem produzir hipoglicemia; é notavelmente o caso dos medicamentos antidiabéticos, como a insulina e os antidiabéticos orais. Outros medicamentos também podem ser a causa: aspirina, anti-inflamatórios não esteroides, beta-bloqueadores não cardiosseletivos, quinidina
A reversão da hipoglicemia consiste em elevar a glicemia, descobrir o motivo causador da hipoglicemia e tomar as medidas necessárias para que ele não se repita.
O amido é rapidamente transformado em glicose, mas a adição de gordura ou proteína retarda a digestão. Os sintomas começam a melhorar em cinco minutos, embora demore de dez a 20 minutos até a recuperação completa. O abuso de alimentos não acelera a recuperação e se a pessoa for diabética isso simplesmente causará hiperglicemia mais tarde.
Se a pessoa está sofrendo de efeitos severos de hipoglicemia de maneira que não possa (devido à combatividade) ou não deva (devido a convulsões ou inconsciência) ser alimentada, pode-se dar a ela uma infusão intravenosa de glicose ou uma injeção de glucagon.
A prevenção depende da causa da hipoglicemia. O risco de novos episódios pode ser frequentemente reduzida pelo abaixamento da dose de insulina ou medicamento, ou pela atenção maior à glicemia durante eventos inesperados, diminuição do ritmo de exercícios físicos ou de ingestão de álcool.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;