Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 9 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Especialistas estudam papel de aves silvestres na gripe aviária


Da AFP

30/05/2006 | 13:31


Cerca de 300 especialistas de todo o mundo estarão reunidos em Roma nesta terça e na quarta-feira para analisar o papel que as aves silvestres desempenham na propagação do vírus H5N1 da gripe aviária.

A conferência internacional, de caráter científico, foi convocada pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês) em colaboração com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO, sigla em inglês).

"Há muitas questões a respeito do comportamento das aves, sobre a maneira pela qual o vírus circula. São muitas incógnitas", explicou Joseph Domenech, chefe do serviço veterinário da FAO. "Quanto mais o tempo passa, mais nos damos conta de que a epidemia é complexa", comentou.

Os especialistas provenientes de mais de cem países querem esclarecer um dos aspectos mais controvertidos da gripe aviária: o papel desempenhado pelas aves silvestres, em comparação às aves de criação, na propagação do vírus.

A gripe aviária, cuja forma mais patogênica é o vírus H5N1, não deixa de "se desenvolver em grande velocidade e quebrou todas as regras estabelecidas", afirmou Robert G. Webster, especialista americano considerado um mestre no assunto.

Desde que surgiu o primeiro caso de gripe aviária no sudeste asiático, no final de 2003, o vírus H5N1 provocou a morte de 124 pessoas, quase todas infectadas por aves domésticas. A epidemia provocou também a morte ou sacrifício de mais de 200 milhões de aves domésticas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Especialistas estudam papel de aves silvestres na gripe aviária

Da AFP

30/05/2006 | 13:31


Cerca de 300 especialistas de todo o mundo estarão reunidos em Roma nesta terça e na quarta-feira para analisar o papel que as aves silvestres desempenham na propagação do vírus H5N1 da gripe aviária.

A conferência internacional, de caráter científico, foi convocada pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês) em colaboração com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO, sigla em inglês).

"Há muitas questões a respeito do comportamento das aves, sobre a maneira pela qual o vírus circula. São muitas incógnitas", explicou Joseph Domenech, chefe do serviço veterinário da FAO. "Quanto mais o tempo passa, mais nos damos conta de que a epidemia é complexa", comentou.

Os especialistas provenientes de mais de cem países querem esclarecer um dos aspectos mais controvertidos da gripe aviária: o papel desempenhado pelas aves silvestres, em comparação às aves de criação, na propagação do vírus.

A gripe aviária, cuja forma mais patogênica é o vírus H5N1, não deixa de "se desenvolver em grande velocidade e quebrou todas as regras estabelecidas", afirmou Robert G. Webster, especialista americano considerado um mestre no assunto.

Desde que surgiu o primeiro caso de gripe aviária no sudeste asiático, no final de 2003, o vírus H5N1 provocou a morte de 124 pessoas, quase todas infectadas por aves domésticas. A epidemia provocou também a morte ou sacrifício de mais de 200 milhões de aves domésticas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;