Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

União antecipa eleição, diz Edílson sobre Atila e Vanessa

Avaliação do secretário de Governo de Mauá é a de que acordo não pode ser ‘oportunista’


Gustavo Pinchiaro
Do Diário do Grande ABC

19/03/2015 | 07:00


O acordo entre os deputados estaduais Atila Jacomussi (PCdoB) e Vanessa Damo (PMDB) para trabalharem juntos na Assembleia por melhorias a Mauá antecipa a eleição de 2016, na avaliação do secretário de Governo, Edílson de Paula (PT). Ambos, que tentaram chegar ao Executivo no pleito de 2012, iniciaram aproximação depois de cinco anos de rompimento. A especulação é a de que tentariam impedir a reeleição do prefeito Donisete Braga (PT).

“Achamos positiva essa preocupação dos dois em melhorar a cidade. O Donisete buscou essa parceria, independentemente dos partidos, quando foi deputado estadual. Mas se eles estiverem fazendo isso no contexto do oportunismo, o eleitor vai saber identificar esse movimento. Tomara que tenham feito essa união em cima de boas intenções”, comentou o titular de Governo.

As famílias Damo e Jacomussi se distanciaram em 2009, com o término da gestão do ex-prefeito Leonel Damo (PMDB) – vereador Admir Jacomussi (PRP) chefiava a Pasta de Obras no governo. O domingo marcou início de reaproximação após o anúncio de que Atila e Vanessa trabalhariam em conjunto para conquistar equipamentos para Mauá, como o Poupatempo de serviços e um AME (Ambulatório Médico de Especialidades).

“Em 2012, quando eles foram candidatos a prefeito e o Atila apoiou o Donisete (no segundo turno contra Vanessa) eles se colocavam como inimigos mortais. Política tem essa coisa boa de superar essas mágoas. Estão corretos”, comentou o secretário mauaense.

Atila é integrante da gestão de Donisete e Vanessa, opositora ferrenha. O comunista comanda a Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), com o superintendente Paulo Sérgio Pereira (PRP), e vem sendo assediado para reforçar o projeto de reeleição do petista. “Atila já é governo, comanda uma autarquia importante. É diferente da Vanessa, que é oposição. Estamos trabalhando uma situação para estreitar ainda mais os laços com ele para a eleição de 2016”, definiu Edílson. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

União antecipa eleição, diz Edílson sobre Atila e Vanessa

Avaliação do secretário de Governo de Mauá é a de que acordo não pode ser ‘oportunista’

Gustavo Pinchiaro
Do Diário do Grande ABC

19/03/2015 | 07:00


O acordo entre os deputados estaduais Atila Jacomussi (PCdoB) e Vanessa Damo (PMDB) para trabalharem juntos na Assembleia por melhorias a Mauá antecipa a eleição de 2016, na avaliação do secretário de Governo, Edílson de Paula (PT). Ambos, que tentaram chegar ao Executivo no pleito de 2012, iniciaram aproximação depois de cinco anos de rompimento. A especulação é a de que tentariam impedir a reeleição do prefeito Donisete Braga (PT).

“Achamos positiva essa preocupação dos dois em melhorar a cidade. O Donisete buscou essa parceria, independentemente dos partidos, quando foi deputado estadual. Mas se eles estiverem fazendo isso no contexto do oportunismo, o eleitor vai saber identificar esse movimento. Tomara que tenham feito essa união em cima de boas intenções”, comentou o titular de Governo.

As famílias Damo e Jacomussi se distanciaram em 2009, com o término da gestão do ex-prefeito Leonel Damo (PMDB) – vereador Admir Jacomussi (PRP) chefiava a Pasta de Obras no governo. O domingo marcou início de reaproximação após o anúncio de que Atila e Vanessa trabalhariam em conjunto para conquistar equipamentos para Mauá, como o Poupatempo de serviços e um AME (Ambulatório Médico de Especialidades).

“Em 2012, quando eles foram candidatos a prefeito e o Atila apoiou o Donisete (no segundo turno contra Vanessa) eles se colocavam como inimigos mortais. Política tem essa coisa boa de superar essas mágoas. Estão corretos”, comentou o secretário mauaense.

Atila é integrante da gestão de Donisete e Vanessa, opositora ferrenha. O comunista comanda a Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá), com o superintendente Paulo Sérgio Pereira (PRP), e vem sendo assediado para reforçar o projeto de reeleição do petista. “Atila já é governo, comanda uma autarquia importante. É diferente da Vanessa, que é oposição. Estamos trabalhando uma situação para estreitar ainda mais os laços com ele para a eleição de 2016”, definiu Edílson. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;