Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Alemães saem às ruas para festejar

Na capital Berlim, Portão de Brandeburgo recebeu dezenas de milhares de torcedores durante a final da Copa do Mundo


Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

14/07/2014 | 07:00


“Super Deutschland!”. O grito entoado por dezenas de milhares de pessoas ecoou forte pelas ruas de Berlim, capital da Alemanha, após a conquista do tetracampeonato mundial diante da Argentina, no Maracanã, Rio de Janeiro.

Apesar de ter chovido durante todo o dia, os alemães foram às ruas e acompanharam a final na Fan Fest da Fifa de Berlim, localizada entre o Portão de Brandeburgo – símbolo da divisão da Alemanha Oriental e Ocidental – e o Obelisco da Vitória, onde sete telões foram instalados para mostrar os jogos da seleção durante a Copa do Mundo. O local é também onde os campeões serão recepcionados amanhã pela chanceler Angela Merkel, que viu a partida in loco.

A festa na capital alemã varou o fim de noite (a partida começou às 21h, horário local) e a madrugada, o que não é comum para os padrões do país.

Em Munique, uma das cidades economicamente mais importantes da Alemanha, torcedores lotaram os 69.250 lugares do Estádio Olímpico, além de ocuparem também o gramado do local, que abrigou a Fan Fest da Fifa.

O ponto mais alto de ontem foi o gol de Götze, que fez o estádio explodir em comemoração. Muitos foram às lágrimas de alegria e milhares de bandeiras alemãs foram agitadas pela torcida.

Até 2006, quando o país sediou a Copa do Mundo, a utilização dos símbolos nacionais, como a bandeira, era restrita devido ao passado do nacionalismo alemão que culminou no surgimento do nazismo nas décadas de 1930 e 1940.

Ontem, porém, nada disso foi lembrado – muitas bandeiras foram vistas 24 anos depois do tricampeonato alemão no Mundial.

BUENOS AIRES

Já na capital da Argentina, Buenos Aires, a festa acabou mais cedo. Houve grande concentração de torcedores ao redor do Obelisco, um dos pontos turísticos mais visitados.

A multidão acompanhou a final até o último minuto, mas saiu decepcionada com o resultado adverso. Muitos choraram, enquanto outros tentaram consolar os mais abatidos, que saíram em direção às suas casas com a cabeça baixa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alemães saem às ruas para festejar

Na capital Berlim, Portão de Brandeburgo recebeu dezenas de milhares de torcedores durante a final da Copa do Mundo

Felipe Simões
Do Diário do Grande ABC

14/07/2014 | 07:00


“Super Deutschland!”. O grito entoado por dezenas de milhares de pessoas ecoou forte pelas ruas de Berlim, capital da Alemanha, após a conquista do tetracampeonato mundial diante da Argentina, no Maracanã, Rio de Janeiro.

Apesar de ter chovido durante todo o dia, os alemães foram às ruas e acompanharam a final na Fan Fest da Fifa de Berlim, localizada entre o Portão de Brandeburgo – símbolo da divisão da Alemanha Oriental e Ocidental – e o Obelisco da Vitória, onde sete telões foram instalados para mostrar os jogos da seleção durante a Copa do Mundo. O local é também onde os campeões serão recepcionados amanhã pela chanceler Angela Merkel, que viu a partida in loco.

A festa na capital alemã varou o fim de noite (a partida começou às 21h, horário local) e a madrugada, o que não é comum para os padrões do país.

Em Munique, uma das cidades economicamente mais importantes da Alemanha, torcedores lotaram os 69.250 lugares do Estádio Olímpico, além de ocuparem também o gramado do local, que abrigou a Fan Fest da Fifa.

O ponto mais alto de ontem foi o gol de Götze, que fez o estádio explodir em comemoração. Muitos foram às lágrimas de alegria e milhares de bandeiras alemãs foram agitadas pela torcida.

Até 2006, quando o país sediou a Copa do Mundo, a utilização dos símbolos nacionais, como a bandeira, era restrita devido ao passado do nacionalismo alemão que culminou no surgimento do nazismo nas décadas de 1930 e 1940.

Ontem, porém, nada disso foi lembrado – muitas bandeiras foram vistas 24 anos depois do tricampeonato alemão no Mundial.

BUENOS AIRES

Já na capital da Argentina, Buenos Aires, a festa acabou mais cedo. Houve grande concentração de torcedores ao redor do Obelisco, um dos pontos turísticos mais visitados.

A multidão acompanhou a final até o último minuto, mas saiu decepcionada com o resultado adverso. Muitos choraram, enquanto outros tentaram consolar os mais abatidos, que saíram em direção às suas casas com a cabeça baixa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;