Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Apesar de novos casos de Covid-19 na França, público é mantido em Roland Garros

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


05/10/2020 | 11:43


Apesar de voltar a restringir aglomerações em Paris, as autoridades francesas decidiram manter a presença de público em Roland Garros, que será disputado até domingo. O Grand Slam francês vai poder continuar a receber até 1.000 torcedores por dia, embora a polícia local tenha decidido fechar os bares da cidade pelas próximas duas semanas, a contar de terça-feira.

A preocupação se deve ao crescimento do número de casos positivos para covid-19 entre pessoas de 20 e 30 anos. Os restaurantes poderão seguir abertos, mas os nomes dos clientes deverão ser registrados e o limite de pessoas por mesa é de 6 pessoas.

Até agora, mais de 32 mil pessoas morreram de coronavírus na França, de acordo com dados oficiais. O chefe da polícia de Paris, Didier Lallement, disse que as medidas são para frear a epidemia, que tem avançado rápido. "É preciso freá-la antes que o sistema esteja sobrecarregado".

Já Roland Garros seguirá com o mesmo movimento de torcedores em seu complexo, em Paris, apesar de, no domingo, ter excluído duas garotas da chave juvenil em razão de testes positivos para o novo coronavírus. O nome das atletas não foi divulgado pela organização.

Os casos de covid-19 rondam a competição antes mesmo do início. Às vésperas do começo do qualifying, a organização anunciou que cinco tenistas estavam excluídos do torneio por terem dado teste positivo ou por terem tido contato mais próximo com infectados. De acordo com o jornal espanhol Marca, os atletas são o usbeque Denis Istomin, o bósnio Damir Dzumhur, o espanhol Bernabé Zapata, o norte-americano Ernesto Escobedo e o sérvio Pedja Kristin.

No domingo, a doença voltou a preocupar na chave masculina. Após perder para o jovem italiano Jannik Sinner, o alemão Alexander Zverev disse ter sofrido febre na noite anterior ao jogo. E que apresentou falta de ar também. De acordo com Roland Garros, o vice-campeão do US Open não chegou a consultar os médicos da organização antes da partida.

Cerca de 3 mil testes para o novo coronavírus já foram realizados pela Federação Francesa de Tênis desde antes do início da competição, no fim do mês passado. Desde que começou, Roland Garros vem seguindo os protocolos de segurança, com distanciamento social e uso constante de máscara pelos jogadores, nos momentos em que não estão jogando.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Apesar de novos casos de Covid-19 na França, público é mantido em Roland Garros


05/10/2020 | 11:43


Apesar de voltar a restringir aglomerações em Paris, as autoridades francesas decidiram manter a presença de público em Roland Garros, que será disputado até domingo. O Grand Slam francês vai poder continuar a receber até 1.000 torcedores por dia, embora a polícia local tenha decidido fechar os bares da cidade pelas próximas duas semanas, a contar de terça-feira.

A preocupação se deve ao crescimento do número de casos positivos para covid-19 entre pessoas de 20 e 30 anos. Os restaurantes poderão seguir abertos, mas os nomes dos clientes deverão ser registrados e o limite de pessoas por mesa é de 6 pessoas.

Até agora, mais de 32 mil pessoas morreram de coronavírus na França, de acordo com dados oficiais. O chefe da polícia de Paris, Didier Lallement, disse que as medidas são para frear a epidemia, que tem avançado rápido. "É preciso freá-la antes que o sistema esteja sobrecarregado".

Já Roland Garros seguirá com o mesmo movimento de torcedores em seu complexo, em Paris, apesar de, no domingo, ter excluído duas garotas da chave juvenil em razão de testes positivos para o novo coronavírus. O nome das atletas não foi divulgado pela organização.

Os casos de covid-19 rondam a competição antes mesmo do início. Às vésperas do começo do qualifying, a organização anunciou que cinco tenistas estavam excluídos do torneio por terem dado teste positivo ou por terem tido contato mais próximo com infectados. De acordo com o jornal espanhol Marca, os atletas são o usbeque Denis Istomin, o bósnio Damir Dzumhur, o espanhol Bernabé Zapata, o norte-americano Ernesto Escobedo e o sérvio Pedja Kristin.

No domingo, a doença voltou a preocupar na chave masculina. Após perder para o jovem italiano Jannik Sinner, o alemão Alexander Zverev disse ter sofrido febre na noite anterior ao jogo. E que apresentou falta de ar também. De acordo com Roland Garros, o vice-campeão do US Open não chegou a consultar os médicos da organização antes da partida.

Cerca de 3 mil testes para o novo coronavírus já foram realizados pela Federação Francesa de Tênis desde antes do início da competição, no fim do mês passado. Desde que começou, Roland Garros vem seguindo os protocolos de segurança, com distanciamento social e uso constante de máscara pelos jogadores, nos momentos em que não estão jogando.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;