Fechar
Publicidade

Sábado, 30 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

S.Caetano terá mais duas diretorias no ano que vem


Giba Bergamim Jr.
Do Diário do Grande ABC

12/11/2004 | 10:19


Antes de deixar o governo, o prefeito de São Caetano, Luiz Tortorello (PTB), determinou a criação de duas novas diretorias, setores com status de secretarias na cidade. A partir de 2005, as áreas de Cultura e de Meio Ambiente terão administração e orçamento próprios. A mudança anunciada pelo petebista já consta do Orçamento 2005, enviado à Câmara no mês passado, mas que ainda não passou pela apreciação dos vereadores. Hoje, a gestão administrativa da cidade é dividida em dez diretorias. No ano que vem, serão 12.

O prefeito Tortorello declarou ao Diário que não vai interferir na composição de nenhuma das diretorias. “Só vou entregar nas mãos do próximo prefeito. Quem ele vai colocar é problema dele”, declarou Tortorello.

As novas diretorias podem ser um espaço novo para integrantes da base de sustentação que ficarão de fora na próxima gestão. Em São Caetano, o número de cadeiras na Câmara Municipal diminuiu drasticamente – de 21 vagas, passará a ter 11 a partir da próxima legislatura. São os apoiadores que não conseguiram a reeleição que agora sonham com uma função no Executivo.

O prefeito eleito José Auricchio Júnior (PTB), por sua vez, disse que não definiu nenhum nome para ocupar as duas novas pastas. Ele admitiu, porém, que os setores podem ser comandados por alguém que hoje não atue na administração. “Temos uma estrutura muito boa atualmente, que pode ser absorvida para tentar contratar o mínimo possível para controlar a despesa. Obviamente que não vamos criar todo um time novo, mas é claro que tem de contratar um secretário, ter um corpo técnico mínimo para tocar para a frente”, disse Auricchio.

Atualmente vinculada à Diretoria de Educação, Cultura passará a ter gestão individual, com um orçamento previsto de R$ 3,1 milhões. Já a fatia destinada à Diretoria de Educação será de R$ 62,1 milhões – a maior entre as 12 pastas da futura administração. O valor previsto para o ano que vem representa um aumento de 21,7% em relação a este ano, que teve orçamento aprovado de R$ 51 milhões para as depesas da Diretoria de Educação e Cultura. O Orçamento total da cidade previsto para 2005 é de R$ 378,1 milhões, 12,6% maior que o aprovado neste ano – R$ 335,5 milhões.

Segundo Tortorello, o setor de cultura da cidade cresceu muito e precisa de gerenciamento separado.

A previsão de receita para a diretoria de Meio Ambiente é de apenas R$ 336 mil, a menor entre as 12 Pastas. Neste ano, ela ainda faz parte da Diretoria de Urbanismo, Obras, Habitação e Meio Ambiente, com orçamento de R$ 8,8 milhões. “Hoje, São Caetano, mesmo não estando em área de manancial, merece uma Pasta que cuide somente disso, pois está envolvida com as questões ambientais”, finalizou Auricchio. A diretoria sem o setor de meio ambiente tem orçamento de R$ 9 milhões. Embora os valores previstos para as novas diretorias sejam reduzidos, existe a possibilidade de receberem reforço de caixa por meio de remanejamento caso haja necessidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Caetano terá mais duas diretorias no ano que vem

Giba Bergamim Jr.
Do Diário do Grande ABC

12/11/2004 | 10:19


Antes de deixar o governo, o prefeito de São Caetano, Luiz Tortorello (PTB), determinou a criação de duas novas diretorias, setores com status de secretarias na cidade. A partir de 2005, as áreas de Cultura e de Meio Ambiente terão administração e orçamento próprios. A mudança anunciada pelo petebista já consta do Orçamento 2005, enviado à Câmara no mês passado, mas que ainda não passou pela apreciação dos vereadores. Hoje, a gestão administrativa da cidade é dividida em dez diretorias. No ano que vem, serão 12.

O prefeito Tortorello declarou ao Diário que não vai interferir na composição de nenhuma das diretorias. “Só vou entregar nas mãos do próximo prefeito. Quem ele vai colocar é problema dele”, declarou Tortorello.

As novas diretorias podem ser um espaço novo para integrantes da base de sustentação que ficarão de fora na próxima gestão. Em São Caetano, o número de cadeiras na Câmara Municipal diminuiu drasticamente – de 21 vagas, passará a ter 11 a partir da próxima legislatura. São os apoiadores que não conseguiram a reeleição que agora sonham com uma função no Executivo.

O prefeito eleito José Auricchio Júnior (PTB), por sua vez, disse que não definiu nenhum nome para ocupar as duas novas pastas. Ele admitiu, porém, que os setores podem ser comandados por alguém que hoje não atue na administração. “Temos uma estrutura muito boa atualmente, que pode ser absorvida para tentar contratar o mínimo possível para controlar a despesa. Obviamente que não vamos criar todo um time novo, mas é claro que tem de contratar um secretário, ter um corpo técnico mínimo para tocar para a frente”, disse Auricchio.

Atualmente vinculada à Diretoria de Educação, Cultura passará a ter gestão individual, com um orçamento previsto de R$ 3,1 milhões. Já a fatia destinada à Diretoria de Educação será de R$ 62,1 milhões – a maior entre as 12 pastas da futura administração. O valor previsto para o ano que vem representa um aumento de 21,7% em relação a este ano, que teve orçamento aprovado de R$ 51 milhões para as depesas da Diretoria de Educação e Cultura. O Orçamento total da cidade previsto para 2005 é de R$ 378,1 milhões, 12,6% maior que o aprovado neste ano – R$ 335,5 milhões.

Segundo Tortorello, o setor de cultura da cidade cresceu muito e precisa de gerenciamento separado.

A previsão de receita para a diretoria de Meio Ambiente é de apenas R$ 336 mil, a menor entre as 12 Pastas. Neste ano, ela ainda faz parte da Diretoria de Urbanismo, Obras, Habitação e Meio Ambiente, com orçamento de R$ 8,8 milhões. “Hoje, São Caetano, mesmo não estando em área de manancial, merece uma Pasta que cuide somente disso, pois está envolvida com as questões ambientais”, finalizou Auricchio. A diretoria sem o setor de meio ambiente tem orçamento de R$ 9 milhões. Embora os valores previstos para as novas diretorias sejam reduzidos, existe a possibilidade de receberem reforço de caixa por meio de remanejamento caso haja necessidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;