Fechar
Publicidade

Sábado, 24 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fundo de pensao da Embratel vai prestar serviços a terceiros


Do Diário do Grande ABC

30/08/1999 | 18:03


O Telos, fundo de pensao dos funcionários da Embratel, prepara-se para ser um prestador de serviços. A fundaçao vai criar e administrar fundos de pensao de terceiros. "Já procuramos clientes", afirmou o diretor superintendente do Telos, Eduardo Pontual. Como o Telos é uma entidade sem fins lucrativos, poderá cobrar apenas o suficiente para cobrir seus custos. A vantagem, explicou Pontual, é que a fundaçao poderá criar uma economia de escala, aproveitando sua estrutura administrativa para o trabalho com os clientes.

A inovaçao faz parte de uma série de mudanças implantadas no fundo de pensao pela norte-americana MCI, que arrematou a Embratel no leilao do Sistema Telebrás, em julho do ano passado, com o compromisso de manter o Telos. Antigamente, por exemplo, o plano era complementar ao da previdência, mas agora nao tem essa orientaçao. "Se o reajuste da Previdência ficasse abaixo da inflaçao, o Telos tinha de complementar com o que fosse necessário", afirmou Pontual. "E isso era imprevisível." A Embratel também propoe indenizaçoes que o diretor classifica de "vultosas" para os associados que desistirem da assistência médica oferecida pela fundaçao.

O sistema de contribuiçoes, antes em proporçoes diferentes para a patrocinadora Embratel e o associado também mudou. Antes, para cara R$ 1 de contribuiçao do funcionário, a Embratel, como patrocinadora, entrava com mais R$ 1,5, em média. Agora o empregado escolhe se vai contribuir com 3% a 8% do salário, com a contrapartida da empresa.

Acima de 8%, a patrocinadora nao acompanha. E a rentabilidade do fundo, que antes ia para o grupo, agora é distribuída individualmente para cada funcionário, de acordo com sua contribuiçao.

A adesao para o novo modelo chegou a 97%, segundo Pontual. Esses associados migraram para o plano de contribuiçao definida (em que é determinado o percentual de contribuiçao). Antes, o Telos oferecia os planos de benefício definido (em que é determinado o benefício que cada associado irá receber quando se aposentar), mas quem ingressar agora nao tem mais essa opçao.

O Telos tem quase R$ 1 bilhao em investimentos, 9 mil participantes, 33 mil dependentes e 2,6 mil assistidos. Quando a MCI assumiu a Embratel, a dívida do Telos era de R$ 260 milhoes. Pontual informou que esse débito foi renegociado e coberto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fundo de pensao da Embratel vai prestar serviços a terceiros

Do Diário do Grande ABC

30/08/1999 | 18:03


O Telos, fundo de pensao dos funcionários da Embratel, prepara-se para ser um prestador de serviços. A fundaçao vai criar e administrar fundos de pensao de terceiros. "Já procuramos clientes", afirmou o diretor superintendente do Telos, Eduardo Pontual. Como o Telos é uma entidade sem fins lucrativos, poderá cobrar apenas o suficiente para cobrir seus custos. A vantagem, explicou Pontual, é que a fundaçao poderá criar uma economia de escala, aproveitando sua estrutura administrativa para o trabalho com os clientes.

A inovaçao faz parte de uma série de mudanças implantadas no fundo de pensao pela norte-americana MCI, que arrematou a Embratel no leilao do Sistema Telebrás, em julho do ano passado, com o compromisso de manter o Telos. Antigamente, por exemplo, o plano era complementar ao da previdência, mas agora nao tem essa orientaçao. "Se o reajuste da Previdência ficasse abaixo da inflaçao, o Telos tinha de complementar com o que fosse necessário", afirmou Pontual. "E isso era imprevisível." A Embratel também propoe indenizaçoes que o diretor classifica de "vultosas" para os associados que desistirem da assistência médica oferecida pela fundaçao.

O sistema de contribuiçoes, antes em proporçoes diferentes para a patrocinadora Embratel e o associado também mudou. Antes, para cara R$ 1 de contribuiçao do funcionário, a Embratel, como patrocinadora, entrava com mais R$ 1,5, em média. Agora o empregado escolhe se vai contribuir com 3% a 8% do salário, com a contrapartida da empresa.

Acima de 8%, a patrocinadora nao acompanha. E a rentabilidade do fundo, que antes ia para o grupo, agora é distribuída individualmente para cada funcionário, de acordo com sua contribuiçao.

A adesao para o novo modelo chegou a 97%, segundo Pontual. Esses associados migraram para o plano de contribuiçao definida (em que é determinado o percentual de contribuiçao). Antes, o Telos oferecia os planos de benefício definido (em que é determinado o benefício que cada associado irá receber quando se aposentar), mas quem ingressar agora nao tem mais essa opçao.

O Telos tem quase R$ 1 bilhao em investimentos, 9 mil participantes, 33 mil dependentes e 2,6 mil assistidos. Quando a MCI assumiu a Embratel, a dívida do Telos era de R$ 260 milhoes. Pontual informou que esse débito foi renegociado e coberto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;