Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Autori quer diminuir ansiedade dos jogadores


Do Diário do Grande ABC

29/08/1999 | 17:02


Embora só pensasse numa vitória, o técnico Paulo Autuori nao achou o empate contra o Vasco Sábado na Vila Belmiro um resultado tao mau. "Podíamos ter vencido, já que o Vasco abdicou de tentar ganhar o jogo", disse. Ele entende que a longa série de jogos sem vencer - agora sao cinco - cria uma ansiedade muito grande nos jogadores, "que passam a errar onde nao costumam". Por isso, vai continuar trabalhando esta semana para levantar psicologicamente o time, que conquistou apenas nove dos 21 pontos disputados, com média de aproveitamento de 42 8%.

Paulo Autuori dirigiu o Santos pela primeira vez e acha que a equipe melhorou em vários aspectos, principalmente o de marcaçao. "O Vasco nao conseguiu articular as jogadas que pretendia e conseguimos um isolamento de Viola e Donizeti". Segundo o treinador, faltou aproveitar melhor as jogadas pelas laterais. "Esse era um de nossos objetivos, mas nao conseguimos e vamos trabalhar esta semana para melhorar o rendimento nesse tipo de jogada", comentou, lembrando que o gol de Dodô surgiu numa jogada pelas costas de Gilberto.

Além dos aspectos táticos, o treinador deverá trabalhar o grupo para vencer o que ele considera excessivo: o grau de ansiedade. Autuori conta com o próximo jogo, contra o Sport, em Recife - fora da Vila Belmiro - para aliviar o estado emocional dos jogadores. A tendência é que joguem mais relaxados longe do seu estádio, onde a exigente torcida pressiona o tempo todo.

Com a troca de Leao por Autuori, os torcedores foram mais tolerantes com o time no sábado, mas nao perdoaram os dirigentes. O presidente Samir Abdul-Hak, que assistiu à partida contra o Vasco numa espécie de gaiola atrás do gol, só teve sossego até ser descoberto, quando voltou a ouvir o coro pedindo sua renúncia. Para agravar a situaçao da diretoria, as eleiçoes para o Conselho Deliberativo ocorrerao em dezembro e ele deixará o cargo um mês depois, já que nao pode ser reeleito pela terceira vez para o cargo. "Trata-se de um foco de oposiçao", disse Abul-Hak, minimizando o protesto da torcida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Autori quer diminuir ansiedade dos jogadores

Do Diário do Grande ABC

29/08/1999 | 17:02


Embora só pensasse numa vitória, o técnico Paulo Autuori nao achou o empate contra o Vasco Sábado na Vila Belmiro um resultado tao mau. "Podíamos ter vencido, já que o Vasco abdicou de tentar ganhar o jogo", disse. Ele entende que a longa série de jogos sem vencer - agora sao cinco - cria uma ansiedade muito grande nos jogadores, "que passam a errar onde nao costumam". Por isso, vai continuar trabalhando esta semana para levantar psicologicamente o time, que conquistou apenas nove dos 21 pontos disputados, com média de aproveitamento de 42 8%.

Paulo Autuori dirigiu o Santos pela primeira vez e acha que a equipe melhorou em vários aspectos, principalmente o de marcaçao. "O Vasco nao conseguiu articular as jogadas que pretendia e conseguimos um isolamento de Viola e Donizeti". Segundo o treinador, faltou aproveitar melhor as jogadas pelas laterais. "Esse era um de nossos objetivos, mas nao conseguimos e vamos trabalhar esta semana para melhorar o rendimento nesse tipo de jogada", comentou, lembrando que o gol de Dodô surgiu numa jogada pelas costas de Gilberto.

Além dos aspectos táticos, o treinador deverá trabalhar o grupo para vencer o que ele considera excessivo: o grau de ansiedade. Autuori conta com o próximo jogo, contra o Sport, em Recife - fora da Vila Belmiro - para aliviar o estado emocional dos jogadores. A tendência é que joguem mais relaxados longe do seu estádio, onde a exigente torcida pressiona o tempo todo.

Com a troca de Leao por Autuori, os torcedores foram mais tolerantes com o time no sábado, mas nao perdoaram os dirigentes. O presidente Samir Abdul-Hak, que assistiu à partida contra o Vasco numa espécie de gaiola atrás do gol, só teve sossego até ser descoberto, quando voltou a ouvir o coro pedindo sua renúncia. Para agravar a situaçao da diretoria, as eleiçoes para o Conselho Deliberativo ocorrerao em dezembro e ele deixará o cargo um mês depois, já que nao pode ser reeleito pela terceira vez para o cargo. "Trata-se de um foco de oposiçao", disse Abul-Hak, minimizando o protesto da torcida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;