Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

‘Mulheres em Destaque’: categoria cultura


Cristie Buchdid
Do Diário do Grande ABC

07/03/2008 | 07:03


Neste mês, dedicado à ala feminina, por conta do Dia Internacional da Mulher, o Diário convida todos os seus leitores a participarem da escolha das vencedoras da segunda edição do Mulheres em Destaque. O prêmio irá contemplar as profissionais que mais se destacam na região.

Para participar da votação, que segue até o próximo dia 16, é muito fácil. Basta entrar no site do Diário (www.dgabc.com.br) e clicar sobre o logotipo do prêmio.

Em seguida, abre-se uma janela que solicitará o nome da pessoa que está votando e o e-mail.

Cada uma das 13 categorias premiadas já tem três finalistas. O leitor deve escolher uma delas para levar o troféu.

As categorias são Beleza, Comunicação, Cultura, Decoração e Arquitetura, Direito, Educação, Empresarial, Esportes, Gastronomia, Moda, Pesquisa, Ciência e Tecnologia, Saúde e Terceiro Setor.

A contagem dos votos terá início no dia 17. As vencedoras, no entanto, serão conhecidas apenas no dia 25 deste mês, durante a festa de entrega dos troféus.

A cerimônia reunirá convidados no Teatro Municipal de Santo André.

Agora você saberá um pouco mais sobre as três finalistas da categoria Cultura.

Ana Bottosso mora em São Paulo e trabalha em Diadema. A sancaetanense Fernanda Bianchini mora em São Paulo. Ela trabalha na Capital e em Santo André. Maria Elisa Leal Cardoso é de São Caetano.

FERNANDA BIANCHINI
Nascida em São Caetano, Fernanda Coneglian Bianchini, conhecida como Fernanda Bianchini, de 29 anos, mora em São Paulo.

Formada em Fisioterapia pela Uniban e mestre em Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Mackenzie, Fernanda tem consultórios em Santo André e São Paulo.

Ela ficou muito feliz ao saber que estava entre as três cotadas para levar o prêmio na categoria Cultura. “Não mereço tudo isso. Parece que fiz tão pouco e o reconhecimento é tão grande. Mas fico feliz, porque isso (a homenagem) reflete em minhas alunas. Elas são as maiores beneficiadas. O trabalho não é meu, é nosso”, diz.

Ela lembra a importância do prêmio: “Dá uma visibilidade para a associação e as pessoas vêem que vale a pena ajudar. Como ser humano, vou guardar isso para sempre”.

Fernanda foi indicada por ter fundado, e ser professora voluntária, da Associação de Balé e Artes para Cegos que leva seu nome, em São Paulo. Em breve, a entidade terá filial em São Caetano.

Os 50 alunos têm aulas gratuitas há 13 anos. O grupo de balé formado na entidade ganhou reconhecimento ao se apresentar em vários programas da TV Globo e ser mostrado na novela América, da emissora.

ANA BOTTOSSO
Ana Bottosso, de 40 anos, mora em São Paulo e trabalha em Diadema.

Ela disse se sentir honrada por estar entre as finalistas da catogoria Cultura. “Se for escolhida, que eu faça jus. O prêmio é supervalioso porque as mulheres ‘ralam’ demais, seja na cultura, como eu, seja em casa ou com os filhos... A premiação valoriza o trabalho da mulher e ela passa a ser mais reconhecida na sociedade”, acredita.

Ana trabalha como intérprete, coreógrafa e professora de balé clássico e contemporâneo.

Também é diretora artística da Companhia de Danças de Diadema. Em 2003, assumiu a direção geral da companhia e também do Projeto de Formação e Difusão em Dança desenvolvido na comunidade, ocupando a assessoria em dança no Departamento de Diadema. Ela também coordena e coreografa para o grupo Danceato, criado a partir de oficinas de dança na cidade.

Formada pela PUC/SP em Ciências Sociais, ela também tem diploma de professora pela Royal Academy of Dancing, de Londres. Em países como França, Bélgica, Alemanha e Israel, participou de companhias. Em Nova York, fez aperfeiçoamento em dança moderna e contemporânea. Conquistou diversos prêmios como coreógrafa em importantes festivais nacionais.

MARIA ELISA LEAL CARDOSO

Aos 90 anos, Maria Elisa Leal Cardoso demonstra ter energia de sobra. Moradora de São Caetano, revelou se sentir muito honrada por figurar entre as três finalistas da categoria Cultura do Prêmio Mulheres em Destaque.

“Fiquei felicíssima. Gostei muito da idéia de realizar um prêmio como este. Essa homenagem levanta o moral das mulheres que trabalham, mas estão sempre no anonimato. O Diário publicou todos os prêmios que recebi, sempre representando São Caetano. É uma iniciativa muito boa (criar essa premiação) porque a gente se sente importante”, disse ela.

Maria Elisa se formou como contadora, em 1935, pela Faap. Foi na área cultural, no entanto, que se destacou. Ela é formada em piano pelo Conservatório U.C.M. Santa Cecília, de Santo André, e pela escola Magda Tagliaferro, de São Paulo. Além disso, é professora do Grupo Pianístico de São Caetano.

Durante 15 anos, ela se destacou em diversos concursos de piano: são 12 troféus, quatro medalhas, além de certificados.

Também fez trabalhos sociais como ministrar aulas de canto coral para crianças no Núcleo Menino Jesus, em São Caetano. Maria Elisa ainda revisa defesas de tese de cientistas do Instituto Biológico de São Paulo e foi professora de idiomas.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;