Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Brincadeira com geleca

Crianças aprendem como fazer seu próprio slime e se divertem ao colocar a mão na massa


Tauana Marin
Diário do Grande ABC

25/11/2018 | 07:00


Colocar a mão na massa e produzir o próprio brinquedo tem feito do slime sensação entre as crianças. Vídeos no YouTube ensinam diferentes receitas para se chegar na massinha mole capaz de esticar e formar bolhas. Toda a sujeira melequenta faz parte da brincadeira.

“Adoro fazer. Já fiz tantas vezes que hoje já não sigo mais receita. Vou fazendo tudo no olho mesmo. Aprendi a fazer na internet e, de tanto falarmos, a escola começou a pesquisar e a desenvolver a meleca com a gente”, conta Lara Rossi Gambini, 9 anos. “Já fiz em casa, na casa da minha amiga e na escola. É divertido ver os ingredientes formando a geleca. Adoro sentir (a mistura) na minha mão. É geladinho e muito mole”, comenta Manuela Galani Delgado, 6.

Após ter visto diversos vídeos na internet sobre o assunto, Lara Bosisio, 7, conheceu a gosma pessoalmente junto com os amigos. “Quando fiz na escola, peguei na mão e comecei a brincar. Ainda podemos deixá-la bem colorida, personalizada.”

A popularidade da geleca tem agitado tanto os alunos do Colégio Ábaco, em São Bernardo, por exemplo, que virou tema nas aulas de Português, História e Artes. “Cada um sabia de um detalhe e fomos estudando o slime, suas variações e curiosidades”, diz Gustavo Toguchi Rodrigues, 10 anos, revelando que a massinha tem origem inglesa e era conhecida no passado como lama viscosa.

Segundo o menino, o mais legal de colocar a mão na massa é a tentativa e o erro no processo de produção. “Nem sempre dá certo. A cada vez que fazemos, aprendemos alguma coisa. Vamos descobrindo ingredientes diferentes e sabendo a função de cada item da receita. A espuma, por exemplo, não é essencial na receita. Para ‘ativar’ o slime, e dar seu ponto certo, podemos usar outras coisas, como sabão líquido ou em pó, hidratante de mãos e amaciante de roupas. Colocar bolinhas de isopor deixa o ‘apertar’ mais legal.” Se bem armazenado, o item pode durar por meses.

“É só ir acrescentando cola ou sabonete líquido que dá para brincar por muito tempo”, explica Gustavo.
A brincadeira trabalha texturas, formas e cores. Pode não parecer, mas, ao manusear o slime ou qualquer outro tipo de massinha, o indivíduo exercita sua motricidade, ou seja, trabalha músculos e coordenação motora, capacidades que ajudam a escrever melhor, por exemplo. Todo o processo é capaz de ser relaxante, além de alimentar a criatividade de cada um.

Reação química que origina geleca requer atenção e cuidados

Fazer slime é divertido, mas são necessários cuidados para que não haja problemas em relação à saúde, seja por meio de contato ou ingestão do item.

Lavar as mãos após fazer a geleca e não levá-las à boca enquanto brinca é essencial. Olhar o rótulo dos produtos ajuda a verificar ver o que é tóxico (que faz mal a saúde) e o que não é. Até mesmo alguns componentes dos atóxicos causam irritação na pele. Crianças alérgicas, como portadores de rinite, asma e dermatite atópica, precisam ter atenção extra .

Segundo os médicos, tem crescido os casos de dermatite de contato e queimadura química local, por exemplo. Entre os componentes das reações estão fragrâncias e certos conservantes encontrados em colas, corantes e detergentes.

Consultoria de Grazia Cinosi e Thaís Almeida Lima, professoras do Ensino Fundamental 1 e do Integral do Colégio Ábaco, de São Bernardo, e Carolina Contin, dermatologista do Sabará Hospital Infantil, de São Paulo.

Para fazer seu próprio slime
– Um recipiente limpo e seco;
– Um batedor fuer ou colher grande;
– Uma colher de café;
– Papel ou toalha para forrar a mesa;
– 1 tubo grande de cola líquida (um litro);
– 1 tubo de espuma para barbear
(cerca de duas colheres);
– 1 vidro de água boricada (define a consistência
do slime e, se colocar demais, ficará duro);
– 1 saquinho de bicarbonato de sódio;
– Tubinhos de corantes alimentícios líquidos
(a tonalidade de sua preferência ou várias juntas);
– Glitter/lantejoula/estrelinhas.

(A quantidade depende do quanto de cola for usado)

Em recipiente limpo e seco, adicione quantidade de cola de modo que cubra todo o fundo;
Em seguida, acrescente ao pote um pouco da espuma de barbear e mexa bem;
Use o corante para dar a coloração que desejar. Em média, três gotas são suficientes para a mistura;
A água boricada é o que dá o ‘ponto’ certo da gosma e é preciso adicioná-la aos poucos;
Coloque uma colher de café de bicarbonato na mistura para que o slime fique ‘borrachudo’;
O acréscimo de glitter, lantejoulas e estrelinhas dão personalidade à geleca de maneira especial;
Continue a misturar bem até que o item atinja a consistência que desejar. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;