Fechar
Publicidade

Domingo, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Sagração da primavera


Gislaine Gutierre
Do Diário do Grande ABC

22/09/2006 | 20:12


A Primavera, que começa neste sábado, não poderia ter saudação mais especial. Para celebrar sua chegada, a Orquestra Sinfônica de Santo André executa, neste sábado e neste domingo, no Teatro Municipal da cidade, a famosa obra de Stravisnki (1882-1971), A Sagração da Primavera. O programa ainda reúne três solistas convidados: o violonista brasileiro Fábio Zanon e os franceses Julien Chauvin (violino) e Lise Berthaud (viola).

“Essa é uma obra que quase não é tocada. No Brasil, dá para contar nos dedos de uma mão as orquestras que a executam, e nos dedos de ‘meia mão’, os maestros que a regem”, diz o titular Flavio Florence, referindo-se à A Sagração da Primavera. A própria sinfônica andreense só a havia executado em 1991, em Campos do Jordão.

“Ela é diferente de outras obras, que nos colocam um desafio técnico. Esta impõe dificuldades de natureza rítmica. Comparo a orquestra a um transatlântico enorme, que tem de se desviar de um iceberg a cada 20 metros”, afirma o maestro.

Stravinski criou A Sagração da Primavera a partir de um ritual pagão imaginário, em que velhos sábios, sentados em círculo, observam uma donzela dançar até a morte. Ela fora oferecida em sacrifício ao Deus da Primavera. Quando estreou, em 1913, em um balé interpretado por Nijinski, a obra causou escândalo. E até hoje, não deixa ninguém indiferente. “Ela surpreende até os músicos”, diz Florence.

Mas o suculento programa ainda reserva dois grandes momentos: a execução da Sinfonia Concertante em Mi Bemol Maior, KV 364, para violino, viola e orquestra, de Mozart (1756-1791), com a participação dos solistas franceses Julien Chauvin (violino) e Lise Berthaud (viola), que vêm graças a uma parceria com a Aliança Francesa. E o Concerto Nº 1 para Violão e Orquestra,de Radamés Gnatalli (1906-1988), com Fábio Zanon.

Há tempos Florence tentava fazer um concerto com Zanon, a quem não poupa elogios: “Além de excelente violonista, ele tem uma cultura musical invejável”, diz. Sobre os jovens músicos franceses, afirma: “São talentosíssimos. Com certeza ouviremos falar muito deles”.

Orquestra Sinfônica de Santo André - Concertos. Com participação dos solistas Fábio Zanon (violão), Lise Berthaud (viola) e Julien Chauvin (violino); regência de Flavio Florence. Neste sábado e neste domingo, às 20h. No Teatro Municipal de Santo André - Paço Municipal, s/nº. Tel.: 4433-0789. Entrada franca. Ingressos disponíveis com uma hora de antecedência.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;