Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

História favorece Azulão em semifinal


Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

18/04/2002 | 00:36


O São Caetano não se impressiona com fases decisivas. No histórico do clube, semifinal traz boas lembranças. Foi assim na Série A-2 do Paulista, no Módulo Amarelo da Copa João Havelange, contra o Paysandu, depois diante do Grêmio e na semifinal de 2001, contra o Atlético-MG Em todas as oportunidades, o Azulão passou com facilidade. Dessa vez, o grupo quer o título para entrar de vez para a história. “A equipe só vem sendo vice. Está na hora de vencer um para botar o São Caetano entre os grandes”, disse o lateral Russo.

O zagueiro Serginho acredita no retrospeto para seguir no Torneio Rio/São Paulo e vencer o Corinthians sábado, no Pacaembu. “A gente sempre vai bem no mata-mata. Aprendemos a jogar partidas decisivas de mata-mata. Ainda mais que foram zerados os pontos. Isso faz com que a competição mude completamente porque a gente entra na semifinal em quarto e pode sair como primeiro. Nosso elenco já está acostumado e isso é muito bom, dá moral à equipe”, afirmou.

O técnico Jair Picerni entende que se o São Caetano chegou até aqui, não pode desperdiçar as oportunidades. “Temos chances, então vamos tentar o título”.

O pensamento do grupo é de que chegou o momento de conquistar um título importante para o São Caetano. Assim como Russo, o zagueiro Dininho também acredita que os dois vice-campeonatos – da João Havelange em 2000 e do Brasileiro em 2001 – foram suficientes para o time. “Batemos duas vezes na trave, então acho que na terceira vai vir o título”.

O técnico Jair Picerni começou nesta quarta a definir a cara do São Caetano que enfrenta o Corinthians sábado, no Pacaembu, pela semifinal do Rio/São Paulo. Existe a possibilidade de Anaílson entrar no lugar de Aílton como meia, sua posição original, e na frente entrar Wágner e Brandão no ataque. “A gente tem condições de fazer um grande jogo”, disse.

Como aconteceu na véspera da partida contra o Fluminense, quando o time treinou com uma formação e jogou com outra, Picerni explica que a análise do que é melhor é feita até na concentração. “A gente vê o que é mais importante para iniciar o jogo. Procuramos fazer quase que as duas equipes de cima”, disse, referindo-se à condição dos reservas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

História favorece Azulão em semifinal

Analy Cristofani
Do Diário do Grande ABC

18/04/2002 | 00:36


O São Caetano não se impressiona com fases decisivas. No histórico do clube, semifinal traz boas lembranças. Foi assim na Série A-2 do Paulista, no Módulo Amarelo da Copa João Havelange, contra o Paysandu, depois diante do Grêmio e na semifinal de 2001, contra o Atlético-MG Em todas as oportunidades, o Azulão passou com facilidade. Dessa vez, o grupo quer o título para entrar de vez para a história. “A equipe só vem sendo vice. Está na hora de vencer um para botar o São Caetano entre os grandes”, disse o lateral Russo.

O zagueiro Serginho acredita no retrospeto para seguir no Torneio Rio/São Paulo e vencer o Corinthians sábado, no Pacaembu. “A gente sempre vai bem no mata-mata. Aprendemos a jogar partidas decisivas de mata-mata. Ainda mais que foram zerados os pontos. Isso faz com que a competição mude completamente porque a gente entra na semifinal em quarto e pode sair como primeiro. Nosso elenco já está acostumado e isso é muito bom, dá moral à equipe”, afirmou.

O técnico Jair Picerni entende que se o São Caetano chegou até aqui, não pode desperdiçar as oportunidades. “Temos chances, então vamos tentar o título”.

O pensamento do grupo é de que chegou o momento de conquistar um título importante para o São Caetano. Assim como Russo, o zagueiro Dininho também acredita que os dois vice-campeonatos – da João Havelange em 2000 e do Brasileiro em 2001 – foram suficientes para o time. “Batemos duas vezes na trave, então acho que na terceira vai vir o título”.

O técnico Jair Picerni começou nesta quarta a definir a cara do São Caetano que enfrenta o Corinthians sábado, no Pacaembu, pela semifinal do Rio/São Paulo. Existe a possibilidade de Anaílson entrar no lugar de Aílton como meia, sua posição original, e na frente entrar Wágner e Brandão no ataque. “A gente tem condições de fazer um grande jogo”, disse.

Como aconteceu na véspera da partida contra o Fluminense, quando o time treinou com uma formação e jogou com outra, Picerni explica que a análise do que é melhor é feita até na concentração. “A gente vê o que é mais importante para iniciar o jogo. Procuramos fazer quase que as duas equipes de cima”, disse, referindo-se à condição dos reservas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;