Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Minha Casa, Minha Vida de Ribeirão fica pronto em 2016

Prazo foi estipulado pela secretária de Habitação; licitação será aberta em setembro


Camila Galvez
Do Diário do Grande ABC

27/08/2013 | 07:00


A Prefeitura de Ribeirão Pires abre em setembro o processo de licitação para escolha da empresa responsável pelas obras do Minha Casa, Minha Vida no Jardim Serrano. A meta, segundo a secretária de Planejamento Urbano, Habitação, Meio Ambiente e Saneamento Básico, Dulcimara Alves de Lima, é que as unidades, que beneficiarão moradores com renda de até R$ 1.600 e que vivem em área de risco do município, sejam entregues no primeiro semestre de 2016.

Dulcimara explica que a licitação deve correr em prazo de 30 dias. “Vamos agilizar o processo porque, entre a escolha da empresa e o início das obras, há série de trâmites burocráticos que deverão ser seguidos.” A estimativa é que a construção comece dentro de um ano.

No terreno de 720 mil metros quadrados, localizado na Rua dos Manacás, a meta é construir entre 500 e 900 moradias. Cada apartamento do programa federal tem custo de R$ 70 mil, em média, mas o município pretende utilizar também o recurso de R$ 20 mil por unidade, por meio do programa estadual Casa Paulista, totalizando R$ 90 mil por moradia. O investimento mínimo no empreendimento será de R$ 35 milhões, considerando o custo de R$ 70 mil para 500 unidades, e máximo de R$ 81 milhões, com 900 apartamentos a R$ 90 mil cada.

As famílias beneficiadas virão de 33 núcleos prioritários mapeados pela Prefeitura. São áreas de risco, assentamentos precários ou ocupações irregulares em locais como o morro do Careca, Parque Aliança, Jardim Petrópolis e Sítio dos Vianas, entre outros.

Será a primeira experiência da cidade com conjunto residencial de habitação popular. “Vamos aprender bastante durante todo o processo”, prevê a secretária.

Dulcimara afirma ainda que o empreendimento resolverá boa parte do deficit habitacional na faixa de renda de até R$ 1.600, estimado em 1.500 famílias. “Estão em estudo projetos para beneficiar também famílias que ganham de três a 10 salários na cidade, além de moradia para o funcionalismo”, destaca.

Ribeirão Pires aderiu ao programa em outubro de 2011, ainda na gestão de Clóvis Volpi (PTB), e prometeu lançar licitação até o fim do ano, o que não ocorreu. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;